Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Operação policial desarticula quadrilha que desviava recursos da prefeitura de Nova Hartz

27 de abril de 2017 0
Policiais cumprem mandados no Vale do Sinos e no Litoral / Foto: Polícia Civil

Policiais cumprem mandados no Vale do Sinos e no Litoral / Foto: Polícia Civil

Uma operação policial foi realizada na manhã desta quinta-feira (27) para desarticular quadrilha que desviava recursos públicos da prefeitura de Nova Hartz, no Vale do Sinos. Ao todo, 36 policiais cumpriram três mandados de prisão temporária, dois de condução coercitiva e cinco de busca e apreensão, além de três bloqueios de ativos financeiros. As ações ocorreram em Sapiranga (prisão e condução), São Leopoldo e Campo Bom (prisões), e Imbé (condução). Em todas estas cidades também houve apreensão de documentos.

Após cinco meses de investigação, a Polícia Civil apurou vários fatos relacionados aos crimes contra a administração pública e contra a ordem tributária praticados por funcionários da Tesouraria do executivo municipal de Nova Hartz. Os três presos são servidores e os outros dois são suspeitos que se beneficiaram com os crimes. Eles formaram uma associação criminosa e se utilizaram dos cargos para enriquecer.  Por meio do sistema informatizado de arrecadações dos contribuintes, os investigados inseriam dados inferiores aos que efetivamente eram registrados no cadastro tributário. Cerca de 40 contribuintes foram lesados. Um dos investigados, por exemplo, ostentava uma vida de luxo com viagens para Europa, o que era incompatível com os vencimentos dele.

Desvios de recursos desde 2010 

Tudo começou quando o Tribunal de Contas do Estado encaminhou cópia do relatório de inspeção extraordinária ao Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). O documento comprovava desvios ocorridos desde o ano de 2010, mas foram emitidos dados pela auditoria apenas dos anos de 2015 e 2016 para agilizar a realização da chamada “Operação Misha”. O valor estimado dos recursos desviados é de R$ 242 mil.

O delegado Max Otto Ritter, da Delegacia de Repressão aos Crimes contra  Administração Pública e Ordem Tributária (DEAT) do Deic, destaca que a análise do relatório referente a desvios dos anos entre 2010 e 2014 irá ocorrer em um segundo momento.

“Os fatos são graves e precisavam ser coibidos para evitar maiores prejuízos. Se fossem analisados todos os anos em que houve suspeita de desvio de recursos, levaríamos muito tempo”, ressalta Ritter, responsável pela investigação.

O próximo passo do delegado Ritter, além de analisar dados de 2010 a 2014, será avaliar a lavagem de dinheiro através de empresas adquiridas pelos investigados. Até agora, foram atribuídos ao grupo os crimes de peculato e de inserção de dados falsos no sistema tributário.

“O Deic está atento para toda e qualquer irregularidade envolvendo desvios e fraudes dos cofres públicos e recebe denúncia pelo 0800 510 2828″, ressalta o diretor de Investigações do Deic, delegado Sander Cajal.

Equipe do Deic responsável por desencadear operação que apura desvios da prefeitura de Nova Hartz / Foto: Polícia Civil

Equipe do Deic responsável por desencadear operação que apura desvios da prefeitura de Nova Hartz / Foto: Polícia Civil

Envie seu Comentário