Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Professor de Imbé procurado por assédio cria perfil falso nas redes sociais para se comunicar com vítimas

04 de maio de 2016 8
José Fernando da Silva, suspeito de molestar dez alunas, teria criado este perfil para tentar falar com as vítimas / Foto: Reprodução  José Fernando da Silva, suspeito de molestar dez alunas, teria criado este perfil para tentar falar com as vítimas / Foto: Reprodução

José Fernando da Silva, suspeito de molestar dez alunas, teria criado este perfil para tentar falar com as vítimas / Foto: Reprodução

A Polícia Civil segue procurando o ex-professor de música em Imbé José Fernando da Silva, 36 anos, indiciado por assédio sexual e estupro de alunas, e apura o fato de que ele estaria criando perfis falsos nas redes sociais para tentar se comunicar com as vítimas. O delegado Antônio Ractz descobriu um perfil no Facebook com mensagens para meninas que registraram ocorrência contra o foragido. Já foram confirmadas dez vítimas, algumas delas foram molestadas por uma década.

Silva, que chegou a ser maestro da Orquestra Sinfônica Municipal no período de 2002 a 2016, teve prisão preventiva decretada pela Justiça. Como não foi localizado pela polícia, o nome dele foi inserido na lista de procurados. Ractz diz ainda que o suspeito foi procurado em várias cidades da Região Metropolitana, mas não foi localizado. O maestro foi indiciado por assédio sexual majorado, com pena de detenção até dois anos e oito meses, e por estupro de vulnerável, com pena de reclusão até 15 anos.

A polícia não informou o teor das mensagens do suspeito para as vítimas, já que há informações importantes que podem ajudar na localização de Silva. A Polícia Civil segue solicitando informações da população sobre o paradeiro do maestro. Para tanto, disponibiliza site e telefones:

Telefones: (51) 3627-2455, (51) 3627-1176 e (51) 3627-2204, da Delegacia de Polícia de Imbé.
Site: www.pc.rs.gov.br
Whatsapp e telegram: (51) 84187814

Maestro é procurado pela Polícia / Foto: Reprodução

Saiba mais:

Professor que assediou alunas por mais de uma década em Imbé está foragido.

Polícia prende homem que negociava armas através de redes sociais

03 de maio de 2016 0

* Por Lucas Abati 

Conversa mostra negociação do preso com comprador. Divulgação / Polícia Civil

Conversa mostra negociação do preso com comprador. Divulgação / Polícia Civil

A Delegacia de Repressão aos Crimes Informáticos, do DEIC, prendeu nesta terça-feira (03), um homem que negociava armas de fogo através da internet. O flagrante aconteceu no Centro de Porto Alegre.

De acordo com o delegado Arthur Reguse, o homem negociava as armas através das redes sociais e estava sendo monitorado após denúncia. No momento da prisão, o revólver estava sendo vendido a R$ 1500. Também foi apreendido um celular com conversas mostrando as negociações.

O homem será encaminhado ao Presídio Central.

Em operação policial, trio é preso com armas e drogas no Litoral gaúcho

03 de maio de 2016 0
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

* por Guilherme Chaves

Dois homens e uma mulher foram presos, na tarde desta terça-feira (3), em ação conjunta da Polícia Civil e da Brigada Militar, com emprego do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) da BM. No local foram apreendidas três pistolas, munição, três balanças de precisão, 1 quilo de cocaína, crack e R$ 13.120 em dinheiro.

Foram presos Juliano Cardoso da Silva, Cristiano Soares da Silva e Angelia Maria da Silva. Cardoso e Soares possuem antecedentes criminais. Todos foram presos e serão encaminhados à Delegacia de Polícia Civil de Palmares do Sul para os trâmites legais.

Peritos não emitirão laudos por um mês devido ao parcelamento de salários no RS

03 de maio de 2016 4

Os peritos criminais do Rio Grande do Sul decidiram não emitir laudos por um mês. O motivo é protestar contra o governo estadual devido ao parcelamento dos salários do funcionalismo público. A decisão foi protocolada nesta segunda-feira (2) à direção do Instituto Geral de Perícias e começa a partir de quinta-feira (5) até o dia 30 de maio. A estimativa é de que 6,5 mil laudos periciais deixarão de ser emitidos neste período. A informação é do presidente do Sindicato dos Peritos Oficiais da Área Criminal (Acrigs), Rafael Moro.

A maioria dos trabalhos realizados pela categoria é encaminhada à Polícia Civil, portanto ficarão prejudicadas investigações que envolvam análises de cadáveres, imagens de vídeos, balística, exame laboratorial de drogas e de DNA, identificação veicular e principalmente a chamada perícia informática, que envolve computadores, telefones, entre outros. No entanto, Rafael Moro destaca que locais de crime seguirão sendo atendidos pelos peritos.

“Já havíamos sido prejudicados em relação aos reajustes salariais do governo passado em relação às demais categorias da Segurança Pública, mas agora, com o parcelamento, fica difícil trabalhar”, afirma Moro.

Segundo a Acrigs, no Rio Grande do Sul há hoje 231 peritos criminais e o quadro deveria ser de no mínimo 509 servidores pelo fato de que este é o número de vagas disponíveis e que não foram preenchidas devido ao cancelamento dos concursos públicos. A entidade diz ainda que a ONU determina um número de 2,1 mil peritos para locais com mais de 10 milhões de habitantes, que é o caso do Rio Grande do Sul. Moro ainda destaca que, se hoje parassem de chegar novos pedidos de perícias relacionadas à informática, levaria 20 anos para zerar todo o trabalho atual. Há 21,5 mil perícias paradas no Departamento de Criminalística, sendo 2 mil de informática.

Cerca de 6,5 mil laudos não serão emitidos em maio, mas locais de crime (foto) seguirão sendo atendidos / Foto: Agência RBS

Cerca de 6,5 mil laudos não serão emitidos em maio, mas locais de crime (foto) seguirão sendo atendidos / Foto: Agência RBS

Acusados de integrar grupo de extermínio em Alvorada são absolvidos pelo Júri

02 de maio de 2016 0

Na madrugada do último sábado (30), a 1ª Vara do Júri de Porto Alegre absolveu dois irmãos, o PM Marcelo Machado Maier, 39 anos, e o ex-PM Márcio Machado Maier, 36 anos, que eram acusados de integrar um grupo de extermínio dentro da Brigada Militar em Alvorada. Eles foram investigados por participarem de uma chacina com quatro mortos em 2011, no bairro Salomé, em Alvorada.

Ambos pertenciam ao 24º Batalhão de Polícia Militar e estavam presos, mas foram soltos após a decisão do final de semana. O MP informou que vai recorrer. O Júri já havia sido cancelado anteriormente, quando, após 16 horas de sessão, uma das juradas passou mal. O processo também sofreu uma cisão inicial porque, logo depois da divulgação dos crimes, Fernando de Souza e Silva deixou de ser integrante da Brigada Militar. O julgamento dos outros réus ainda aguarda por decisão da Justiça. Outros dois acusados ainda foram denunciados por ameaças com explosivos ao ex-governador Tarso Genro, durante protestos da Brigada Militar em 2011.

Saiba mais:

Justiça cancela Júri de acusados por integrar grupo de extermínio em Alvorada.

 

 

Quatro pessoas são presas com armas e R$ 40 mil na Zona Sul da Capital

29 de abril de 2016 0
19195589

Foto: Divulgação / Polícia Civil

Agentes do Departamento de Homicídios prenderam, nesta sexta-feira (29), dois homens e duas mulheres suspeitos de envolvimento em duas tentativas de homicídio, ocorridas neste mês no Extremo Sul de Porto Alegre. As prisões ocorreram em três residências localizadas no bairro Restinga.

Durante as buscas, foram apreendidos R$ 40 mil em espécie, três revólveres, uma espingarda calibre 12 e munição. As investigações da Polícia Civil apontam que um dos presos alugava as armas para quadrilhas ligadas ao tráfico de drogas na região.

De acordo com o delegado Rodrigo Pohlmann Garcia, da 4ª Delegacia de Homicídios, o caso começou quando um homem descobriu que a atual namorada possuía envolvimento com o tráfico de drogas.

“Com isso, ele resolveu se separar da mulher. Mas como ele sabia da vinculação dela, eles começaram a perseguir ele com medo de que ele passasse às informações à polícia. E própria ex-companheira foi autora das duas tentativas de homicídio, uma no dia 5 e outra no dia 19 de abril”, explicou o delegado.

Os quatro presos foram encaminhados para o sistema prisional.

Operação prende traficantes que agiam no Bairro Niterói em Canoas

29 de abril de 2016 0
cid

Divulgação / Polícia Civil

*Por Cid Martins 

A 2ª Delegacia de Polícia de Canoas realizou uma operação na manhã desta sexta-feira (29) para coibir o tráfico de drogas no Bairro Niterói. Ao todo, 55 agentes cumpriram quatro mandados de prisão temporária e 15 de busca. Foram presos três traficantes que atuavam em quatro pontos de venda na região.

Entre os presos, dois foram presos temporariamente e um foi em flagrante. Dois suspeitos estão foragidos. A ação ocorreu após denúncia anônima da comunidade. A quadrilha não pertencia a nenhuma facção criminosa e havia se instalado há pouco tempo no bairro. Foram apreendidos R$ 2,6 mil e cerca de meio quilo de maconha. Os criminosos também vendiam crack e cocaína.

 

Denarc apreende R$ 500 mil de quadrilha que financiava tráfico de drogas

28 de abril de 2016 2
Foto: Lucas Abati / Gaúcha

Foto: Lucas Abati / Gaúcha

* por Lucas Abati

Uma estudante universitária e o companheiro dela foram presos na tarde desta quinta-feira (28), em Alvorada, com cerca de R$ 235 mil em espécie – a maior apreensão da história do Denarc. Também foram apreendidos cheques, totalizando mais de R$ 500 mil.

Segundo o delegado Maurício Barison, a suspeita é de que eles financiavam traficantes que buscavam drogas em outros países.

Na investigação, que durou quatro meses, também foram apreendidos carros de luxo. A apuração segue para construir provas sobre o crime de lavagem de dinheiro e outros envolvidos.

Seis são indiciados por desvio de armas da Taurus no Vale do Sinos

28 de abril de 2016 0
Foto: Cid Martins / Gaúcha

Foto: Cid Martins / Gaúcha

*Por Cid Martins

A 1ª Delegacia de Polícia de São Leopoldo indiciou seis pessoas pelo desvio de armas da fábrica da Taurus, no município. Entre os envolvidos, um funcionário que foi preso há pouco mais de dez dias dentro da empresa. O grupo revendia o armamento para traficantes e ladrões de carros, inclusive em Santa Catarina. Além disso, anunciava os revólveres em páginas nas redes sociais.

O delegado Heliomar Franco diz que Rafael Ibarra de Abreu, preso na Taurus, o irmão dele, preso em Florianópolis, e mais três homens foram indiciados por venda ilegal de arma e por furto de peças dos revólveres, além de associação criminosa. Uma mulher foi indiciada por posse de munição.

A investigação policial continua sobre o furto de armas da empresa. No dia 14 deste mês, quando ocorreu a operação em São Leopoldo, Novo Hamburgo, Sapucaia do Sul, Taquara e Florianópolis, todos os indiciados foram presos.

Saiba mais

 Presa quadrilha que desviava armas da empresa Taurus no Vale do Sinos

PF prende 15 envolvidos em esquema de tráfico internacional de drogas que abastecia o RS

28 de abril de 2016 0

 

Presos distribuíam drogas na Região Metropolitana / Polícia Federal

Presos distribuíam drogas na Região Metropolitana / Polícia Federal

Por Vitor Rosa

A Polícia Federal (PF) fez uma operação na manhã desta quinta-feira (28) para desarticular grupo de criminosos que integravam um esquema internacional de tráfico de drogas, que abastecia Porto Alegre e a Região Metropolitana. O grupo também comanda o tráfico de drogas no bairro Restinga. Foram 15 presos, nos municípios de Porto Alegre, Gravataí, Viamão, Florianópolis e Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul.

Os investigadores da PF identificaram que o grupo comprava cocaína e maconha trazida do Paraguai, do município de Pedro Juan Caballero,  por fornecedores estabelecidos em Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul. Essas drogas eram distribuídas na Capital, principalmente na Zona Sul e na Região Metropolitana. Durante os nove meses de investigação, foram presas 20 pessoas em flagrante, apreendidas 3,6 toneladas de maconha e 40 quilos de cocaína.

Tentando despistar a PF
Conforme o titular da Delegacia de Repressão ao Tráfico de Drogas da PF no Rio Grande do Sul, delegado Roger Soares Cardoso, o esquema usava carros velhos, como Fusca, para despistar os investigadores – já que a droga vinha de longe. Parte do bando também estava envolvido em roubos, como o feito em uma imobiliária na Restinga no início deste ano.

No último dia 17, foram apreendidas no bairro Restinga, 2,2 toneladas de maconha que seria distribuída pelo grupo. A operação foi denominada de  “La Ruta”, por causa do longo caminho que a droga percorria até o RS.

O homem apontado como chefe da quadrilha estava escondido em um condomínio em Gravataí, onde foi preso nesta manhã. Cem policiais cumpriram os mandados. Os suspeitos, que não tiveram nomes revelados,  devem ser indiciados por tráfico internacional de drogas e associação para o tráfico. A Polícia Federal diz que eles já possuem antecedentes criminais por tráfico, homicídio e roubo.