Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Polícia prende foragido acusado de homicídio em Viamão

25 de julho de 2016 0
Foto: Divulgação / Polícia Civil

Foto: Divulgação / Polícia Civil

Policiais da Delegacia de Capturas do Departamento de Investigações Criminais (Deic) da Polícia Civil prenderam, na manhã desta segunda-feira (25), um foragido com antecedentes criminais como homicídio, roubos de carro e associação a tráfico de drogas em Viamão. O homem de 21 anos, que não teve a identidade revelada mas recebe o apelido de “Macaco”, estava foragido há um mês.

De acordo com o delegado Arthur Raldi, o homem tentou fugir após perceber a chegada da polícia na residência dele, no bairro Vila Esmeralda. A captura ocorreu a duas quadras do local.

“Macaco” foi encaminhado ao DEIC, onde aguarda para ser transferido.

Político paranaense acusado de homicídio é preso em Novo Hamburgo

25 de julho de 2016 0
Foto: Polícia Civil

Foto: Polícia Civil

Um homem de 59 anos foi preso na manhã desta segunda-feira (25) por policiais da Delegacia de Capturas do Departamento de Investigações Criminais (Deic) da Polícia Civil no bairro Canudos, em Novo Hamburgo. Conforme o delegado Arthur Raldi, que coordenou a ação, o preso é um político foragido por um homicídio no Paraná.

O político foi condenado a pena de mais de 19 anos por homicídio qualificado em 1997. Ele era suplente de vereador e, segundo as investigações,  foi um dos mentores da morte. A vítima foi executada com três tiros. A polícia paranaense identificou que o assassinato foi feito para que o preso assumisse o cargo da vítima, que era vereador do município de Sarandi, próximo a Maringá.

O homem será mantido em um presídio gaúcho. A identificação não foi divulgada.

 

Polícia Civil prende mais dois agentes da DPPA de Alvorada por extorsão de presos e familiares

25 de julho de 2016 3

A Polícia Civil prendeu mais dois agentes da Delegacia de Pronto Atendimento (DPPA) de Alvorada por extorsão de presos e de familiares. A dupla, que fazia plantões nos mesmos dias, é apontada por cobrar R$ 1 mil para liberar uma pessoa detida. Sob ameaça de ter um parente levado para o Presídio Central, familiares pagaram R$ 800,00 aos dois policiais. Eles foram detidos no fim de semana, mas a divulgação foi na manhã desta segunda-feira (25). Em junho, um delegado e outros dois agentes também foram presos pelo mesmo motivo.

Investigação 

O delegado Marco Antônio Duarte de Souza é o responsável pelas investigações que também contaram com apoio do Ministério Público. Segundo ele, a dupla que foi presa agora cometeu a extorsão no dia 22 de maio deste ano. Já os outros três policiais cometeram a irregularidade há três meses. No entanto, outro inquérito foi instaurado contra eles para apurar dois novos casos. Em um deles, o trio está sendo indiciado nesta segunda-feira por cobrar R$ 1,5 mil para soltar em janeiro deste ano um preso.

“Acreditamos que estes três policiais desviavam entre R$ 2 mil e R$ 3 mil por plantão. Eles trabalhavam em um plantão e os dois policiais presos neste fim de semana trabalhavam em outro plantão. Em outro dia”, afirma o delegado Marco de Souza.

O delegado e os dois agentes recebiam ajuda de uma advogada e de um ex-PM, também investigados. Eles eram os responsáveis por fazer a cobrança e o contato direto com os familiares dos presos.

Extorsão 

As investigações começaram há cerca de três meses e os alvos erma dois plantões na Delegacia de Pronto Atendimento de Alvorada. Os detidos eram encaminhados para a zona de plantão, onde os policiais avaliavam a capacidade econômica dos criminosos e passavam a estabelecer as cobranças indevidas, o que configura extorsão. A abordagem ocorria dentro da delegacia e se estendia até o lado de fora do prédio. Em alguns casos, a negociação ocorria até em casas dos familiares dos presos. Os valores cobrados inicialmente eram de R$ 5 mil, mas sempre terminavam recebendo quantias abaixo de R$ 2 mil.

Crimes

Os crimes apontados são concussão, que é exigir para si ou para outrem dinheiro ou vantagem em razão da função, organização criminosa, violação de sigilo profissional e usurpação da função pública. Eles também responderão por improbidade administrativa.

Preso integrante de quadrilha que roubava somente carros de mulheres na zona norte da Capital

24 de julho de 2016 6
Na prisão do criminosos, no bairro Lindoia, três carros roubados foram recuperados / Foto: Polícia Civl

Na prisão do criminosos, no bairro Lindoia, três carros roubados foram recuperados / Foto: Polícia Civl

Agentes da Delegacia de Roubo de Veículos do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) prenderam neste domingo (24) um integrante de quadrilha que roubava somente carros novos ou de luxo e de mulheres na zona norte da Capital. Segundo a polícia, ele atuava junto com outro homem e depois a dupla entregava os veículos para outros criminosos. Em média, a dupla roubava um carro por dia nos bairros Lindoia, Navegantes, São Sebastião e Floresta.

Após um mês de investigação, foi preso no bairro Lindoia um homem de 27 anos que tem vários antecedentes criminais. O comparsa dele, já identificado, está foragido. Durante a prisão, três carros roubados foram apreendidos: Ford KA 2015, Focus 2012 e Etios 2014. Os carros roubados eram entregues, possivelmente, para clonagem e desmanches na Região Metropolitana. A dupla atuava só por encomenda.

Denúncias – 0800 510 2828

Whatsapp – (51) 8418.7814

* Saiba mais:

Presos ladrões que roubavam carros de luxo dentro de centros comerciais em Canoas.

Suspeito foi preso neste domingo no bairro Lindoia e comparsa dele segue foragido / Foto: Polícia Civil

Suspeito foi preso neste domingo no bairro Lindoia e comparsa dele segue foragido / Foto: Polícia Civil

Decretada prisão preventiva de 33 integrantes de quadrilha que roubava cinco carros por dia na Grande Porto Alegre

23 de julho de 2016 2
Quase todos os ladrões foram presos semana passada. Grupo também clonava carros e ainda colocava à venda em revendas / Foto: Cid Martins

Quase todos os ladrões foram presos semana passada. Grupo também clonava carros e ainda colocava à venda em revendas / Foto: Cid Martins

A 1ª Vara Criminal de Viamão decretou a prisão preventiva de 33 integrantes de uma quadrilha que roubava em média cinco carros por dia na Grande Porto Alegre. O grupo criminoso foi desarticulado no dia 15 de julho, quando foi desencadeada a chamada “Operação Illuminati” em nove cidades gaúchas. Os bandidos clonavam e revendiam os veículos para receptadores da região, do Interior e até de Santa Catarina. Entre os indiciados, está uma mulher de Alvorada considerada especialista em clonagem e que foi presa na semana passada.

A Polícia Civil, através da Delegacia Regional da Capital, indiciou os 33 integrantes da quadrilha por roubo, receptação, clonagem e associação criminosa. Deste total, 18 que estavam com prisão temporária agora passam a cumprir prisão preventiva. O restante foi preso em flagrante no dia da ação policial, sendo que alguns foram soltos para responder ao caso em liberdade, e outros já se encontravam foragidos. O diretor da Delegacia Regional de Porto Alegre, delegado Cléber Ferreira, diz que pelo menos 70% dos indiciados estão presos.

“Os que estão foragidos ou estavam soltos, mesmo sendo investigados, agora serão presos. E é o que vamos fazer nos próximos dias depois que houve a decretação da preventiva”, destaca Ferreira.

* Veja vídeo da Operação Illuminati, deflagrada dia 15 de julho com 32 detidos:

Investigação

O responsável pela investigação, delegado Juliano Ferreira, diz que a operação iniciou no final de 2014 com uma prisão em flagrante. Ao apurar o envolvimento deste preso, a polícia chegou em 52 pessoas identificadas. Segundo ele, era uma verdadeira empresa e existia uma espécie de “confraria do roubo de carro”. Segundo ele, esta era uma das maiores quadrilhas do Rio Grande do Sul, com ramificações inclusive em Santa Catarina. O grupo tinha base em Viamão e só trabalhava por encomenda, já que os bandidos tinham até lista diária com os tipos de carros que precisavam roubar. A investigação também apurou que o esquema colocava carros roubados e clonados à venda em revendas de veículos da Região Metropolitana.

Polícia realiza operação no Beco do Adelar na zona sul de Porto Alegre

22 de julho de 2016 0
Helicóptero auxiliou nas buscas a criminosos. Foto: Lucas Abati / Gaúcha

Helicóptero auxiliou nas buscas a criminosos. Foto: Lucas Abati / Gaúcha

O Departamento de Investigação do Narcotráfico (Denarc) realizou uma operação contra o tráfico de drogas, na região conhecida como Beco do Adelar, na zona sul de Porto Alegre.

Nas últimas semanas, diversos conflitos entre criminosos foram registrados no local, inclusive fazendo com que escolas fechassem mais cedo e antecipassem as férias escolares.

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão, mas a polícia não encontrou drogas ou armas.

Operação combate homicídios ligados ao tráfico no Litoral Norte do Rio Grande do Sul

22 de julho de 2016 1
cid

Operação ocorreu em Capão da Canoa / Foto: Divulgação / Polícia Civil

Uma operação policial foi realizada na manhã desta sexta-feira (22) em Capão da Canoa, no Litoral Norte gaúcho. O objetivo é coibir o número de homicídios ligados ao tráfico de drogas, considerado elevado para uma cidade deste porte. Já foram registrados 21 assassinatos apenas em 2016. Ao todo, 130 policiais civis e 30 brigadianos vistoriaram 52 locais através de mandados judiciais. Eles procuraram drogas, armas e demais provas que possam ligar o tráfico às execuções. Também foram cumpridos 15 mandados de prisão. Os suspeitos pertencem a facções criminosas e alguns deles saíram da cadeia em fevereiro. Depois disso, passaram a retomar pontos de venda de drogas em Capão. Até o momento, 20 pessoas foram detidas, 18 adultos e dois adolescentes.

Idosa é presa em flagrante por lavagem de dinheiro em Porto Alegre em operação contra fraude na venda de imóveis

21 de julho de 2016 1
Aproximadamente R$ 200 mil foram apreendidos, além de jóias e veículos - Foto: Divulgação / Polícia Civil

Aproximadamente R$ 200 mil foram apreendidos, além de jóias e veículos – Foto: Divulgação / Polícia Civil

Uma idosa de 79 anos foi presa em flagrante por lavagem de dinheiro nesta quinta-feira, em Porto Alegre, durante operação da Polícia Civil. A empresária que mora no bairro Mont’Serrat guardava em um cofre dentro de um armário o valor de R$ 80 mil, além de $ 9 mil.

Segundo o delegado Daniel Medelski, a idosa não conseguiu comprovar a origem deste dinheiro. Ela é uma das oito pessoas investigadas na operação Areia Movediça, que foi desencadeada nesta manhã pela Delegacia Fazendária do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

O grupo é acusado de fraudar a venda de mais de 150 imóveis residenciais e comerciais na zona norte de Porto Alegre em 2006. Sócios da construtora Ediba SA Edificações e Incorporações anunciaram um empreendimento imobiliário, venderam os imóveis e depois cancelaram as obras. As vítimas assumiram seus bens inacabados e demoraram 11 anos para finalizar a construção do empreendimento.

A polícia comprovou que cerca de 50 compradores foram lesados em R$ 7,5 milhões. Ao todo, 46 agentes cumpriram hoje 12 mandados de busca na Capital. Foram apreendidos oito veículos e um total aproximado de R$ 200 mil, além de joias.

O inquérito deve ser concluído em até 60 dias e os investigados deverão ser indiciados por lavagem de dinheiro, estelionato e formação de quadrilha, entre outros crimes.

Saiba mais:

- Operação policial combate fraude na venda de imóveis na zona norte da Capital

Operação policial combate fraude na venda de imóveis na zona norte da Capital

21 de julho de 2016 0

Foto: Divulgação / Polícia Civil

A Delegacia Fazendária do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) realizou uma operação na manhã desta quinta-feira (21) para combater esquema criminoso que fraudou a venda de mais de 150 imóveis residenciais e comerciais na zona norte de Porto Alegre. Sócios da construtora Ediba SA Edificações e Incorporações anunciaram um empreendimento imobiliário, venderam os imóveis e depois cancelaram as obras. Os nomes dos sócios não foram divulgados.

A polícia comprovou que cerca de 50 compradores foram lesados em R$ 7,5 milhões. Ao todo, 46 agentes cumpriram hoje 12 mandados de busca na Capital. Sete empresários, que residem em áreas nobres da Capital, são investigados. O objetivo também é apreender dinheiro, joias, documentos, computadores e veículos.

Investigação

A Operação Areia Movediça é resultado de cinco anos de investigação. O delegado Joerberth Nunes diz que a apuração começou pela sonegação porque os suspeitos receberam imóveis das vítimas e colocaram em nomes de laranjas para não pagar impostos.

“O grupo chegou a montar 31 empresas. Abriam e depois, conforme a suspeita sobre cada uma das firmas abertas, fechavam para abrir outra. E assim iam”, ressalta Nunes.

O Deic obteve na Justiça a quebra do sigilo bancário e fiscal dos envolvidos no esquema. Além disso, Nunes pedirá o bloqueio de todos os bens dos investigados. A meta posterior será identificar os laranjas, até pelo fato de que os empresários não têm grandes valores em seus nomes e nem em nome da construtora. Até o momento, a polícia não repassou à imprensa a identificação da empresa e dos suspeitos.

Crimes

O delegado Daniel Mendelski, que também participou da investigação, diz que os delitos cometidos pelo grupo de sócios são associação criminosa, sonegação fiscal, estelionato, lavagem de dinheiro, crimes contra as relações de consumo e contra a economia popular. Suspeita-se também de eventual crime de evasão de divisas, fato que será encaminhado à Polícia Federal. Os investigados, segundo apuração, já construíram outros imóveis e estão com novos empreendimentos. No entanto, não são alvos da Operação Areia Movediça.

Polícia Civil prende um dos maiores ladrões de caminhão do Rio Grande do Sul

20 de julho de 2016 0
Divulgação / Polícia Civil

Caminhão roubado e desmanchado foi encontrado na oficina de Paulo Henrique Cazara (Foto: Divulgação / Polícia Civil)

*Por Cid Martins e Gabriel Rigoni

Agentes da Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) efetuaram a prisão preventiva de Paulo Henrique Cazara, 46 anos, considerado um dos maiores ladrões de caminhões do Rio Grande do Sul, na Operação Fim da Linha. Ele é responsável por um grande quantidade de furtos, roubos e extorsões na Região Metropolitana e interior. Além da prisão preventiva, foram cumpridos sete mandados de busca.

De acordo com os delegados Adriano Nonnenmacher e Marcos Guns, a investigação sobre Cazara havia começado há dois meses. Em abril, a Polícia Civil encontrou uma propriedade que servia de depósito e esconderijo de caminhões roubados, carretas, caçambas, baús frigoríficos e guinchos na Grande Porto Alegre. Juntos, os veículos foram avaliados em aproximadamente R$ 700 mil.

Nesta quarta-feira (20), Paulo Henrique Cazara foi preso preventivamente em sua oficina, localizada no bairro Mathias Velho, em Canoas. No local, foi encontrado um caminhão roubado e desmanchado.

Cazara foi autuado em flagrante pelos crimes de receptação qualificada e adulteração de sinal. Ele foi encaminhado ao Presídio Central.

Segundo o delegado Sander Cajal, Diretor Operacional do DEIC, a Operação Fim da Linha pode diminuir consideravelmente índices destes crimes na grande Porto Alegre.

Em abril, Polícia Civil encontrou propriedade que servia de depósito e esconderijo de caminhões roubados na Grande Porto Alegre (Foto: Divulgação / Polícia Civil)