Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Operação Babilônia: dois anos depois, investigação segue sem denúncia aos suspeitos de desviar verbas públicas

30 de setembro de 2014 0

Em setembro de 2012, a Delegacia Fazendária do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC) deflagrou a chamada Operação Babilônia para coibir desvio de R$ 7 milhões em verbas públicas, principalmente do Bolsa Família, no noroeste gaúcho. Na época, 13 pessoas, entre secretários municipais de Bom Progresso e empresários da região, foram presas e seis acabaram sendo indiciadas. Mas dois anos depois, os suspeitos seguem ser denunciados e devido a isso, o caso ainda não foi para a Justiça.

A Polícia alega já ter elementos suficientes para o parecer da promotoria, apesar de seguir cumprindo algumas investigações solicitadas posteriormente à conclusão do trabalho do DEIC e lamentar que a demora prejudica na punição dos indiciados. Já o Ministério Público (MP) confirma que foram pedidas novas diligências simplesmente pelo fato de que alguns indiciamentos ainda precisam ser confirmados para que seja oferecida a denúncia. Por exemplo, comprovação do montante desviado e de como o dinheiro era lavado.

Saiba mais:

Operação Babilônia: nove meses depois, polícia questiona demora no processo sobre desvio de verba.

Polícia

A Delegacia Fazendária destaca ter obtido provas suficientes para o parecer da promotoria. Ressalta que já são três requisições suficientes neste período e que quando entrega um novo procedimento, outro é pedido. Para a polícia, essa demora já fez com que os suspeitos acabassem soltos e mantém a sensação de impunidade. No momento, o DEIC analisa novo pedido de quebra fiscal e faz mais degravações de novos trechos de escutas telefônicas. O objetivo é remeter ao MP em 20 dias.

Ministério Público

O MP também lamenta a demora, destaca estar preocupado com a situação e avalia se aguarda por mais tempo ou se dá o parecer apenas para os indiciamentos que entende ter provas suficientes. Segundo a promotoria, a investigação não está parada e ela só segue por dois anos por que entende que o trabalho ainda não está completo. Também ressalta que, em uma das três requisições de novas diligências, a polícia levou quase um ano para atender e mesmo assim precisou de complemento. Por fim, o MP diz que precisa de provas suficientes para comprovar os indiciamentos feitos pelo próprio DEIC.

 

Instaurado inquérito sobre caso de homem que mentiu ser seqüestrado por adolescentes em Porto Alegre

30 de setembro de 2014 1

A Delegacia da Criança e Adolescente Vítimas do Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (DECA) instaurou inquérito policial para apurar seis crimes cometidos por homem que mentiu ao dizer que foi seqüestrado por três jovens em Porto Alegre. O fato ocorreu há duas semanas e a suposta vítima foi salva em uma blitz na avenida Goethe após dizer ter ficado quatro horas na mira de uma arma de brinquedo. No entanto, a polícia descobriu que os quatro estavam usando drogas e planejavam um roubo.

Saiba mais:

Polícia diz que homem salvo em blitz mentiu ao dizer que foi seqüestrado por adolescentes.

Inquérito

O procedimento foi instaurado em outra delegacia do DECA, isso por que a Delegacia do Adolescente Infrator apurou o caso inicialmente e indiciou os três jovens por associação criminosa. Um deles, inclusive, foi detido depois do fato por outra infração. Agora, o delegado Leandro Cantarelli tem 30 dias para averiguar os crimes cometidos pelo suspeito, que tem antecedentes criminais e histórico de dependência química. O homem ainda não compareceu no DECA, isso após uma intimação e três tentativas de localização.

Ele será intimado novamente e Cantarelli espera concluir o inquérito em menos de um mês. Já o prazo para ele esclarecer os fatos será de mais uma semana. Os crimes que ele teria cometido seriam de corrupção de menores, associação criminosa, entre outros.

 

 

Polícia tenta identificar em imagens ladrões que mataram servidora do TJ na frente do filho em Porto Alegre

29 de setembro de 2014 3

Agentes da 4ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre já estão analisando imagens de uma câmera de segurança, que fica entre as avenidas Brasil e Pernambuco, na zona norte, para identificar ladrões que mataram uma servidora do Tribunal de Justiça (TJ) na frente do filho de dez anos. Arlete Lielge, 49 anos, levou três golpes de facas e teve a bolsa roubada quando chegava a pé em casa na última quinta-feira. Ela morreu um dia depois no hospital Cristo Redentor.

Saiba mais:

Polícia investiga morte de servidora do TJ na frente do filho durante assalto em Porto Alegre.

De acordo com a apuração policial, que já está avançada, já se tem suspeitos do fato, um casal, e as imagens servem para confirmar a linha de investigação. Enquanto um grupo analisa as imagens, outro já está na rua tentando localizar os suspeitos. Um dos agentes não descarta que os envolvidos sejam usuários de drogas. Mesmo entregando a bolsa após ser esfaqueada pela primeira vez, a vítima levou mais dois golpes de faca. Ela foi socorrida pelo próprio filho.

Pelas redes sociais, amigos e familiares lamentam a perda da servidora que atuava no Departamento de Biblioteca e Jurisprudência do TJ na capital, deixando marido e dois filhos:

Foto: Reprodução do Facebook

Foto: Reprodução do Facebook

Polícia investiga morte de servidora do TJ na frente do filho durante assalto em Porto Alegre

29 de setembro de 2014 6

A 4ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre está investigando o assassinato de uma servidora do Tribunal de Justiça (TJ) na frente do filho de dez anos durante assalto na zona norte da cidade. O fato ocorreu na quinta-feira da semana passada quando Arlete Lilge, 49 anos, chegava em casa a pé na avenida Brasil quase esquina com a Pernambuco. Ela faleceu um dia depois, na sexta-feira à noite, no hospital Cristo Redentor.

Assalto

Arlete, que estava com uma bolsa, caminhava com o filho pela calçada e era seguida por um casal. A mulher teria repassado algum objeto para o homem e este se aproximou das vítimas, dando um golpe de faca na altura de uma das costelas da servidora. Logo depois ele pediu a bolsa e ela teria levantado o braço para entregar, no entanto, o criminoso desferiu mais dois golpes e fugiu. A bolsa foi levada. O próprio filho acudiu a mãe e pediu socorro para demais moradores do prédio, já que eles estavam em frente à residência.

Arlete foi socorrida e encaminhada para o hospital pelo Samu. Mas um dia depois, na sexta-feira à noite, não resistiu aos ferimentos e morreu. Os golpes atingiram o coração e o pulmão. O velório foi neste domingo, com a presença do presidente do TJ/RS, desembargador José Aquino Flôres de Camargo. A 4ª DP informou que a investigação está avançada e que já tem suspeitos do latrocínio, matar para roubar.

Arlete Lilge foi assassinada na zona norte com golpes de faca por causa de uma bolsa / Foto: Reprodução Facebook

Arlete Lilge foi assassinada na zona norte com golpes de faca por causa de uma bolsa / Foto: Reprodução Facebook

Nova residência

Arlete morou praticamente toda a vida em Canoas, mas no último mês, devido ao trânsito e à proximidade da escola dos filhos, estava residindo em um apartamento na zona norte da capital. Ela, que era natural de São Lourenço do Sul e trabalhava no Departamento de Biblioteca e Jurisprudência do TJ, deixou marido e dois filhos, o de dez anos que estava junto com ela no momento do crime, e outro de 14 anos. A irmã dela, que mora no Maranhão, estava em Porto Alegre para passarem juntas os aniversários de ambas. O de Arlete no dia 2 de setembro e o da irmã amanhã, terça-feira (30).

Professor de artes marciais é investigado por agressão a jovem em Porto Alegre

29 de setembro de 2014 0

Um professor de artes marciais está sendo investigado pela 2ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre devido a agressão a um jovem no mês de agosto no bairro Praia de Belas. Dion Lenon Jardim Falkenberg, 36 anos, foi detido nesta segunda-feira (29) quando dava aula de muay thai em uma academia na Farrapos, zona norte.

No entanto, o delegado César Carrion destaca que a prisão se deve pelo fato dele estar na condição de foragido. O jovem Diefferson de Souza Hilário, 21 anos, teve nariz e dentes quebrados e ele teria apanhado por que estaria tentando manter uma aproximação com a ex-companheira do investigado.

Entenda o caso

Hilário e a ex-companheira do professor trabalham juntos em loja de shopping center da região e quando ele estava saindo do trabalho, dia 9 de agosto, de acordo com a polícia, teria recebido vários golpes por parte de Falkenberg. Foi registrado um Termo Circunstanciado, quando envolve crimes de menor poder ofensivo, mas após apurar os fatos, a 2ª DP solicitou novo exame pericial na vítima devido a suspeita de lesões graves.

Durante a apuração dos fatos, Carrion descobriu que o suspeito estava foragido devido à condenação por roubo e falsidade ideológica. Ele, que é instrutor de artes marciais em Porto Alegre e também no Rio de Janeiro, foi preso nesta manhã.

“Ele, que tem um filho pequeno com a ex-companheira, disse que Hilário estava “mexendo” com a mulher e por isso teria cometido a agressão”, diz Carrion.

O delegado destaca que a conclusão da investigação depende do resultado do exame pericial, já que pode apontar alguma lesão mais grave na vítima.

Empresário que jogou corpo de amante no Guaíba é condenado por homicídio qualificado

26 de setembro de 2014 16

*Por Lucas Abati 

Zélia foi amante de Eliezer por quatro anos. Foto: Arquivo Pessoal

Zélia foi amante de Eliezer por quatro anos. Foto: Arquivo Pessoal

A 1ª Vara Criminal de Guaíba condenou o empresário Eliezer Pinto Costa pela morte da amante Zélia Heloísa Dedeco Ximendes, em abril de 2013. Na ocasião, o empresário agrediu a vítima até a morte e jogou o corpo na ponte do Saco da Alemoa, na BR-290, em Guaíba.

O juiz condenou Eliezer por homicídio triplamente qualificado – motivo torpe, meio cruel e por dificultar a defesa da vítima -. A pena-base foi fixada em 20 anos de reclusão, no entanto, como o réu confessou o crime, a pena foi reduzida em seis meses, totalizando 19 anos e seis meses. O condenado está preso no Presídio Central e não poderá recorrer da decisão em liberdade

O crime

No dia 24 de abril de 2013, Eliezer matou Zélia e jogou o corpo da ponte sobre o Saco da Alemoa, na BR-290, em Guaíba. Dois dias depois, ele confessou o crime, mas não teve a prisão decretada por falta de provas. No dia seguinte, mergulhadores encontraram o corpo preso a uma barra de ferro de 10 quilos, no mesmo local onde o empresário apontou.

Disputa por tráfico de drogas acaba com três integrantes dos "Bala na Cara" mortos no Vale do Sinos

25 de setembro de 2014 6

*Por Lucas Abati

Armas apreendidas na ocorrência. Divulgação/Brigada Militar

Armas apreendidas na ocorrência. Divulgação/Brigada Militar

A disputa entre quadrilhas de tráfico de drogas no Vale do Sinos terminou com três mortes na madrugada desta quinta-feira (25), no bairro Santa Marta, em São Leopoldo.

A ocorrência iniciou em uma disputa entre a quadrilha que se apresentou como dos “Bala na Cara”, facção que teve origem na zona leste de Porto Alegre, e um grupo rival no tráfico. No primeiro confronto, entre os dois grupos rivais, um integrante da quadrilha da Capital morreu e um homem do grupo rival foi preso.

Durante a madrugada, os policias receberam informação de que seis homens estavam em um veículo, à procura do grupo rival para vingar a morte do primeiro criminoso. Os PMs conseguiram localizar o veículo e dois suspeitos foram presos. Outros quatro fugiram para um matagal na região.

Após o cerco, por volta das 4 horas da madrugada, os bandidos que não foram detidos, acabaram sendo encontrados e houve uma nova troca de tiros, que acabou com dois suspeitos mortos, sendo que um deles tinha 15 anos de idade e estava desaparecido. Segundo a Brigada Militar, um deles é o homem que havia sido preso no Centro de Porto Alegre com um fuzil canadense, no dia 14 de setembro.

- Polícia prende homem com fuzil canadense no Centro da Capital

Os outros dois foram detidos em flagrante e foram encaminhados à Delegacia de Pronto Atendimento de São Leopoldo.

* Saldo da ocorrência:

- Três criminosos dos Bala na Cara mortos

- Cinco presos – quatro integrantes do Bala na Cara e um do grupo rival

- Oito armas apreendidas – uma espingarda, três pistolas 9mm, uma pistola 380, dois revólveres

Criminoso morto foi preso com fuzil canadense no Centro de Porto Alegre, no dia 14 de setembro. Divulgação/BOE

Criminoso morto foi preso com fuzil canadense no Centro de Porto Alegre, no dia 14 de setembro. Divulgação/BOE

* Saiba mais detalhes sobre a quadrilha:

Grupo Bala na Cara avança seu domínio

 

Polícia diz que homem "salvo" de sequestro em blitz mentiu que era refém de adolescentes

25 de setembro de 2014 2

Reprodução/RBSTV

O caso de um homem que teria sido salvo de um sequestro durante blitz na semana passada na Avenida Goethe, em Porto Alegre, chamou a atenção da polícia. Não porque ele teria passado quatro horas dentro de um carro na mira de uma arma de brinquedo, mas sim porque a suspeita dos agentes acabou se confirmando: ele mentiu que era refém de três adolescentes.

O delegado Raul Vier, da Delegacia do Adolescente Infrator do Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (DECA), afirma que os quatro estavam consumindo drogas e planejavam cometer um assalto, provavelmente de um veículo ou de um estabelecimento comercial. Os jovens serão indiciados por associação criminosa e o caso do adulto será encaminhado para a Delegacia da Criança e do Adolescente Vítimas de Delitos pelo motivo de que foi apurado, inicialmente, a prática de seis crimes cometidos por ele.

Saiba mais:
Refém por arma de brinquedo é salvo por blitz em Porto Alegre.

De acordo com Vier, o primeiro fato que levou à suspeita da polícia foi a falta de colaboração da suposta vítima, que não prestou depoimento quando os adolescentes foram apresentados na delegacia pela Brigada Militar. Depois foram os depoimentos dos jovens de 13, 14 e 17 anos. Todos disseram que estavam ingerindo drogas com o adulto, que foram em um posto de combustíveis e também em uma vila da cidade para comprar drogas.

“Segundo indicam as investigações, o homem teria visto a blitz, abandonado o carro e dito que era refém para não ser pego pelas autoridades”, diz Vier.

Antecedentes
O delegado Raul Vier diz que o adulto, cujo nome não está sendo divulgado pela polícia, tem antecedentes criminais, inclusive por tráfico e posse de drogas. Conforme foi apurado, a família dele ingressou com ação judicial de interdição alegando que ele não teria condições de responder pelos atos devido ao vício em drogas. Ele mesmo já ingressou com ação contra um plano de saúde solicitando cobertura superior a 30 dias em caso de internação por dependência química.

Vier destaca que a suposta “vítima” ainda ignorou intimação para comparecer no Deca e em três momentos, inclusive na quarta-feira (24), não foi localizado pelos agentes.

“É estranho que uma vítima precisa estar assistida de um advogado para prestar esclarecimentos a respeito de um assalto cometido contra ela”, destaca o delegado.

Investigação
Informações prestadas por frentistas e demais funcionários de um posto de combustíveis onde os quatro estiveram revelam que todos estavam tranquilos. Além disso, imagens de câmeras de segurança mostram que não havia indicativos de constrangimento, sequestro ou roubo contra a suposta vítima.

“A vítima poderia fazer o que fez na blitz (pedir socorro) no posto, onde havia várias pessoas que poderiam auxiliá-la”, ressalta Vier.

Como a Delegacia do Adolescente Infrator tem atribuição para apurar apenas infrações cometidas por jovens, o delegado Vier encaminhou o caso do adulto para a Delegacia da Criança e do Adolescente Vítimas de Delitos, já que foram constatados seis crimes crimes cometidos por ele: comunicação falsa de crime, denunciação caluniosa ( quando se movimenta irregularmente uma delegacia, por exemplo, fazendo surgir contra alguém um inquérito ou processo indevido), corrupção de menores, tráfico de drogas privilegiado (quando envolve uma pessoa do convívio), associação criminosa e desobediência. Na outra delegacia será instaurado novo inquérito.

Adolescentes
No caso dos três jovens, o delegado Vier está indiciando eles pelo ato infracional de associação criminosa, já que estavam com uma arma de brinquedo e confirmaram em depoimento que planejavam junto com o adulto praticar algum assalto. Um dos três, inclusive, foi apreendido três dias depois do falso sequestro por estar envolvido em assalto a pedestre na capital. O inquérito deve ser remetido nesta quinta-feira (25) ao Ministério Público, bem como a recomendação do envolvimento do adulto à Delegacia da Criança e do Adolescente Vítimas de Delitos.

 

Polícia prende quadrilha que roubava caminhões e extorquia motoristas na Grande Porto Alegre

25 de setembro de 2014 4

A Delegacia de Furtos e Roubos de Cargas realizou na manhã desta quinta-feira (25) uma operação policial para prender quadrilha que roubava caminhões e extorquia motoristas na Grande Porto Alegre. Os ladrões cobravam entre R$ 20 mil e R$ 30 mil para devolver os veículos, no entanto, muitas vezes recebiam os valores e não entregavam os caminhões. Ao todo, 80 policiais cumpriram 17 mandados de busca e 13 de prisão temporária em seis cidades da região e em uma do Vale do Taquari. O delegado Luciano Peringer destaca que dez suspeitos foram presos.

Investigação

A investigação começou no início do ano e desde então, a polícia confirmou pelo menos 25 vítimas. O grupo agia de duas formas. Na primeira, eles furtavam caminhões parados em postos de combustíveis e em restaurantes. A outra forma, sempre com toucas e armamento pesado, os bandidos roubavam os veículos nas estradas ou também quando as vítimas paravam para fazer refeições. Os ataques ocorriam na Região Metropolitana e no Vale do Sinos.

Caminhão roubado pela quadrilha foi recuperado hoje em Gravataí / Foto: Polícia Civil

Caminhão roubado pela quadrilha foi recuperado hoje em Gravataí / Foto: Polícia Civil

As prisões e buscas ocorreram hoje nas cidades de Taquari, Canoas, Cachoeirinha, Gravataí, Guaíba, Sapucaia do Sul e São Leopoldo. O delegado Peringer destaca a importância de comunicar os roubos à polícia.

“Em muitos casos, os motoristas só procuravam a gente depois de ter pago dinheiro aos bandidos e não ter conseguido recuperar o caminhão”, afirma Peringer.

A polícia ainda destaca que a extorsão só ocorria com os veículos que não tinham seguro.

Presa suspeita que usava documentos falsos para abrir contas bancárias na zona norte de Porto Alegre

24 de setembro de 2014 0

A 14ª Delegacia de Porto Alegre prendeu nesta quarta-feira (24) uma suspeita que usava documentos falsos para abrir contas bancárias na zona norte da cidade. Maria Elizabeth Romeu Camargo foi detida em flagrante no momento em que tentava a liberação de um cartão de crédito em um Bradesco da avenida Assis Brasil. Ela foi autuada por uso de documento falso e será investigada também por estelionato e usurpação de função.

Golpe

De acordo com o delegado Tiago Baldin, a mulher se passava por corretora de imóveis e também dizia que era carioca na hora da abertura das contas bancárias. Em um período de três meses, desde quando veio do Rio de Janeiro para o Rio Grande do Sul, ela comprou carteira de identidade por R$ 1 mil e abriu três contas em bancos diferentes, todos nas avenidas do Forte e Saturnino de Brito. Depois disso, fazia empréstimos e obtinha cartões de crédito. No entanto, não pagava as contas e as vítimas, que tiveram RG e CPF usados, eram cobradas pelos saques.

Suspeita usava documentos falsos e foi presa em flagrante quando tentava liberação de cartão de crédito em um banco / Foto: Polícia Civil

Suspeita usava documentos falsos e foi presa em flagrante quando tentava liberação de cartão de crédito em um banco / Foto: Polícia Civil

Primeira denúncia

Com antecedentes criminais por estelionato e ameaça, Maria Camargo teve a primeira denúncia feita contra ela pela própria mãe. Segundo o delegado Baldin, ela estava aplicando golpes e usava os documentos da mãe. Isso já teria ocorrido há cerca de dez anos.

* Ouça entrevista do delegado Tiago Baldin concedida à Rádio Gaúcha: