Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "assassinato"

Polícia acredita que funkeiro morto em Viamão não tinha envolvimento com traficantes

12 de janeiro de 2016 4
MC Bravinho foi morto a tiros em Viamão / Foto: Félix Zucco - Agência RBS

MC Bravinho foi morto a tiros em Viamão / Foto: Félix Zucco – Agência RBS

Por: Vitor Rosa

A Delegacia de Homicídios de Viamão descartou pelo menos duas linhas de investigação após começar a ouvir familiares e amigos de Adriano Oliveira Gonçalves, conhecido como “MC Bravinho”, de 22 anos. O jovem foi morto a tiros na noite do último sábado (9).

Conforme a delegada Larissa Fajardo, tudo indica que ele não possuía nenhum envolvimento com traficantes de drogas. As duas hipóteses já descartadas pela polícia são latrocínio, que é roubo seguido de morte, e também de que ele pudesse ter sido assassinado por engano. Gonçalves não tinha nenhum antecedente criminal.

Nas redes sociais, amigos dizem que muitos conhecidos tinham inveja do cantor, pela sua atuação no funk, mas a delegada não afirma se esta hipótese é trabalhada e nem qual a principal linha de investigação seguida até o momento

Nesta segunda, a polícia ouviu a família da namorada da vítima, com quem o cantor morava. Hoje os agentes pretendem ouvir a família de “MC Bravinho”. A vítima foi sepultada na segunda-feira, em cerimônia no Cemitério Parque Jardim da Paz, na zona leste de Porto Alegre.

Polícia faz buscas na Capital e não localiza quatro suspeitos da morte de PM em Tramandaí

11 de janeiro de 2016 0
PM Maysson Fagundes da Silva, 27 anos, foi morto durante o Réveillon à beira-mar / Foto: Arquivo pessoal

PM Maysson Fagundes da Silva, 27 anos, foi morto durante o Réveillon à beira-mar / Foto: Arquivo pessoal

A Polícia Civil e a Brigada Militar fizeram buscas em Porto Alegre durante todo o final de semana para tentar localizar quatro suspeitos identificados como responsáveis pela morte do PM Maysson Fagundes da Silva, 27 anos, durante o Réveillon em Tramandaí, no Litoral Norte. No entanto, nenhum deles foi encontrado e seguem foragidos, inclusive, três apagaram seus perfis em redes sociais. Se até terça-feira não forem presos, o delegado Paulo Perez vai divulgar nomes e fotos dos procurados que tiveram prisão temporária decretada pela Justiça. Todos são residentes na Capital.

Perez destaca que o crime foi motivado por uma desavença momentânea entre dois grupos de jovens envolvendo uma mulher, sendo que o PM estava em um deles, durante as comemorações da virada do ano na beira-mar. Ele também descartou o envolvimento de Nélson José Paiano, 19 anos, preso em Alvorada um dia depois do assassinato por já ter sido preso anteriormente pelo brigadiano. Ele apresentou testemunhas e vídeo apontando que não estava na praia no dia em que houve o homicídio.

Bala perdida

Outro inquérito, mas provavelmente envolvendo o mesmo caso, apura se uma adolescente de 16 anos foi vítima de uma bala perdida no Réveillon de Tramandaí. A jovem, quatro minutos depois que o PM foi baleado, foi atingida nas costas. Um amigo do PM morto confessou que pegou a arma do policial, após ele levar um tiro, e deu seis disparos contra os criminosos em fuga. A polícia não descarta que um dos tiros atingiu a adolescente e aguarda resultado pericial para comprovar a ligação entre os dois crimes. Se o amigo do PM realmente for o autor do disparo, ele deverá responder por tentativa de homicídio com dolo eventual, por ter assumido o risco.

Saiba mais:

Polícia descarta envolvimento de suspeito preso pela morte de PM no litoral e pede prisão de outros quatro.

Suspeitos de matar sargento da Brigada Militar são presos em Gravataí

08 de janeiro de 2016 2

17793864

* por Kathlyn Moreira 

Dois homens foram presos nesta sexta-feira (8), em Gravataí, por serem suspeitos de matar o sargento Carlos Alberto Chiobatto, de 39 anos, que foi encontrado no Rio Gravataí, próximo à Freeway, em dezembro. Os suspeitos foram encontrados em uma residência na Vila Augusta e trocaram tiros ao avistarem os policiais.

Giovani Gomes da Costa, 20 anos, foi baleado na perna direita, recebeu atendimento e foi levado para a delegacia. Conforme a Brigada Militar, ele é investigado como o autor do assassinato.

O irmão dele, Gilberto Gomes da Costa, 22 anos, também foi preso e é apontado como comparsa. A Polícia Civil avalia se ele será preso. Giovani já está detido por porte ilegal de uma pistola nove milímetros.

Relembre o caso

O corpo do sargento Carlos Alberto Chiobatto, de 39 anos, foi encontrado no dia 1º de dezembro, no Rio Gravataí, na região do Loteamento Vila Rica, próximo à Freeway.

Na manhã de 29 de novembro, a Brigada Militar foi acionada após o relato de tiroteio no loteamento. O carro do sargento, um Fiat Uno, foi localizado com diversas marcas de tiros. O corpo dele também apresentava diversos disparos.

A última vez que o sargento Chiobatto havia sido visto foi em uma festa na avenida Dorival de Oliveira, na altura da parada 70. O PM era lotado no 17º BPM, onde trabalhava no canil. Ele integrava a Brigada Militar há 17 anos, era casado e tinha dois filhos.

Polícia descarta envolvimento de suspeito preso pela morte de PM no litoral e pede prisão de outros quatro

06 de janeiro de 2016 0
17858848

PM foi morto durante a festa da virada em Tramandaí

A Polícia Civil descartou o envolvimento de Nélson José Paiano, 19 anos, na morte do PM Maysson Fagundes da Silva, 27 anos, durante o Réveillon em Tramandaí, no litoral norte. Ele apresentou testemunhas e vídeo apontando que estava em Alvorada no dia do crime.

A suspeita é de que, como ele já havia sido preso pelo vítima em novembro, poderia ter reconhecido o policial durante as comemorações da virada de ano e ter articulado o homicídio. Paiano foi preso pela Brigada Militar na última sexta-feira em Alvorada e a polícia encaminhou hoje o pedido de soltura dele. Além disso, está pedindo a prisão temporária de outros quatro suspeitos.

Investigação

Como a polícia apurou que Paiano não tem envolvimento com o assassinato, descartou a hipótese de que a vítima foi morta após ser reconhecida pelo suspeito. No entanto, com a identificação de outros quatro envolvidos, a linha de investigação é de que houve uma desavença entre dois grupos de jovens envolvendo uma mulher, sendo que o PM estava em um deles, durante o Réveillon na beira-mar. Três, dos quatro suspeitos, tiveram a foto divulgada.

Eles fizeram uma selfie momentos antes do crime e no local do fato. O quarto investigado, que seria o atirador, ainda não teve foto divulgada. Os nomes deles também não foram repassados pelo delegado Paulo Perez, responsável pelo inquérito. Na terça-feira (5) testemunhas do crime reconheceram por fotos todos os envolvidos.

Bala perdida

Outro inquérito, mas provavelmente envolvendo o mesmo caso, apura se uma adolescente de 16 anos foi vítima de uma bala perdida no Réveillon de Tramandaí. A jovem, quatro minutos depois que o PM foi baleado, foi atingida nas costas. Um amigo do PM morto confessou que pegou a arma do policial, após ele levar um tiro, e deu seis disparos contra os criminosos em fuga. A polícia não descarta que um dos tiros atingiu a adolescente e aguarda resultado pericial para comprovar a ligação entre os dois crimes. Se o amigo do PM realmente for o autor do disparo, ele deverá responder por tentativa de homicídio com dolo eventual, por ter assumido o risco.

Polícia pede perícia em 25 fuzis apreendidos no RS para desvendar morte do traficante Xandi

06 de janeiro de 2016 0

Um ano depois da morte do traficante Alexandre Goulart Madeira, o Xandi, em Tramandaí, a polícia tenta desvendar o crime e para tentar descobrir quem foi o mandante, está solicitando perícia em 25 fuzis apreendidos no Rio Grande do Sul durante ações policiais. O assassinato completou um ano no dia 4 de janeiro e a investigação sobre o caso foi dividida em três partes. Ainda falta a conclusão somente do trabalho que apura o homicídio do traficante que comandava a venda de drogas no condomínio Princesa Isabel, bairro Santana, em Porto Alegre.

Ele foi morto com um tiro de fuzil 556 na cabeça quando estava em uma casa alugada perto da plataforma de Tramandaí. O delegado Paulo Perez destaca que o objetivo é confrontar os projéteis e estojos recolhidos no dia do crime com os cerca de 30 fuzis que foram apreendidos ao longo de vários meses no RS. Um dos fuzis que será periciado foi apreendido em novembro do ano passado com traficantes da quadrilha do Xandi. O ex-sócio dele, Renato Fao Gambini, também é um dos suspeitos de ser mandante do crime.

Fuzil (que teria sido usado na morte do Xandi), pistolas e drogas foram apreendidos com traficantes em apartamento na avenida Ipiranga, bairro Santana / Foto: Cid Martins

Fuzil (que teria sido usado na morte do Xandi), pistolas e drogas foram apreendidos com traficantes em apartamento na avenida Ipiranga, bairro Santana / Foto: Cid Martins

Mas a principal suspeita é de que o homicídio tenha sido encomendado pelo traficante Teréu, Cristiano Souza da Fonseca, que comandava a venda de drogas no Beco dos Cafunchos, zona leste da Capital, e que tinha desavenças com Xandi. Teréu foi morto dentro da Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc) e no mesmo dia houve comemorações com fogos no condomínio Princesa Isabel. Anteriormente, traficantes mandaram até fazer uma pintura do traficante em um dos prédios, mas o desenho foi apagado depois.

Inquéritos

Já foi concluído o inquérito sobre o tiroteio e tráfico de drogas no dia do crime, com indiciamento de oito pessoas. Uma delas foi o comissário Nilson Aneli, que, além de ser assessor do ex-secretário de Segurança do Estado, Airton Michels, foi apontado por fazer segurança para o traficante Xandi. Ele responde processo na Justiça e, no mês passado, a 2ª Vara Criminal de Tramandaí negou pedido de anulação do processo, bem como de liberdade provisória de um dos oito réus.

* Veja trecho do despacho da juíza Cristiane Scherer:

Com relação à arguição da defesa de Nilson Aneli de nulidade absoluta, cumpre referir que eventuais irregularidades no inquérito policial não contaminam a fase judicial do processo, pois neste a prova é repetida sob o crivo do contraditório e da ampla defesa. Por este motivo, afasto a nulidade arguida. No que tange aos pedidos de declinação da competência; violação do art. 289 do CPP e resolução nº 698/2008-COMAG; violação do segredo funcional e cerceamento de defesa, já foram apreciados anteriormente, conforme decisões de fls. 1751 e 1854/1855. Inviável o pedido de suspensão do depoimento do acusado Nilson Aneli no processo administrativo disciplinar, por ausência de previsão legal para interferência do juízo criminal na esfera administrativa da polícia civil. Quanto ao alegado excesso de prazo para encerramento da instrução processual, decorre da complexidade do caso, conforme já exposto em decisões anteriores. Também não se trata de absolvição sumária, uma vez que, no presente caso, não incidem as hipóteses legais previstas no art. 397 do CPP. 2“.

Outro inquérito, também concluso, diz respeito à lavagem de dinheiro. O Departamento de Investigações do Narcotráfico (Denarc) indiciou 27 pessoas. Os crimes são de tráfico de drogas, falsificação de documentos, crime organizado, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e extorsão.

Saiba mais:

Investigação sobre tiroteio com morte de traficante em Tramandaí é dividida em três inquéritos.

Justiça aceita denúncia contra policial que assessorava ex-secretário de segurança.

Operação policial apreende patrimônio de mais de R$ 5 milhões da quadrilha do traficante Xandi.

 

Polícia irá pedir reconstituição da morte de jovem em São Francisco de Paula

05 de janeiro de 2016 0
Foto: reprodução

Foto: reprodução

* por Maria Eduarda Fortuna

A Polícia Civil irá solicitar ao Instituto-Geral de Perícias (IGP) a reconstituição do assassinato da jovem Dóris Terra, 21 anos, em São Francisco de Paula, ocorrido no dia 20 de dezembro. A delegada responsável pelo caso, Fernanda Aranha, pretende enviar até amanhã um ofício ao IGP com o pedido.

“O objetivo é termos mais elementos, para que fique bem documentado no procedimento”, explica.

Nesta quarta-feira (6), a delegada também irá encaminhar o inquérito sobre o caso à Justiça. Ela irá indiciar Luis Pulo da Silva Nunes, 31 anos, preso no dia 23, por latrocínio e ocultação de cadáver. Ainda será solicitado a conversão da pena de temporária para preventiva.

Nunes foi preso no dia 23/12

Ao ser detido, Nunes prestou depoimento e confessou o crime. Ele também confirmou ter escolhido a vítima de forma aleatória, além de afirmar que não tinha a intenção de matar a moça.

Conforme o relato, Doris teria dado um tapa no rosto do criminoso, o que desencadeou os golpes de faca que a levaram à morte.

A jovem Doris Terra saiu de casa por volta das 14h de domingo (20) para ir a uma farmácia na área central da cidade, mas não retornou. O corpo foi encontrado às margens da RS-020, na saída de São Francisco de Paula, às 23h. O carro da vítima foi localizado no município de Canoas, aparentemente sem vestígio de violência e com o celular da jovem dentro do veículo.

Dóris Terra é filha do diretor do Parque de Exposições Assis Brasil e ex-prefeito de São Franciso de Paula Sérgio Bandoca.

Saiba mais:

Preso suspeito de matar jovem em São Francisco de Paula
Suspeito confessa e diz estar arrependido de matar jovem na Serra

Suspeito da morte de PM no Réveillon de Tramandaí apresenta vídeo para comprovar inocência

05 de janeiro de 2016 0

O suspeito da morte do PM Maysson Fagundes da Silva, 27 anos, durante o Réveillon em Tramandaí, apresentou testemunhas e um vídeo para comprovar a inocência. Nélson José Paiano, 19 anos, preso desde a última sexta-feira, negou o crime e disse que passou a virada do ano em Alvorada. O delegado Paulo Perez, de Tramandaí, diz que está averiguando o fato e destaca que nesta terça-feira (5) será feito um reconhecimento fotográfico de outros três suspeitos já identificados.

Investigação

No caso do suspeito preso, a polícia trabalha com a linha de investigação de que a vítima foi morta após ser reconhecida pelo suspeito. Paiano havia sido preso em novembro pelo brigadiano e por isso não se descarta uma retaliação. No entanto, em relação aos outros três suspeitos, a linha de investigação é de que houve uma desavença entre dois grupos de jovens, sendo que o PM estava em um deles, durante as comemorações do ano novo. Os três suspeitos tiveram a foto divulgada, mas os nomes não foram revelados. Eles fizeram uma selfie momentos antes do crime e no local do fato. Testemunhas tentarão reconhece-los hoje por fotos.

Bala perdida

Outro inquérito, mas provavelmente envolvendo o mesmo caso, apura se uma adolescente de 16 anos foi vítima de uma bala perdida no Réveillon de Tramandaí. A jovem, quatro minutos depois que o PM foi baleado, foi atingida nas costas. Um amigo do PM morto confessou que pegou a arma do policial, após ele levar um tiro, e deu seis disparos contra os criminosos em fuga. A polícia não descarta que um dos tiros atingiu a adolescente e aguarda resultado pericial para comprovar a ligação entre os dois crimes. Se o amigo do PM realmente for o autor do disparo, ele deverá responder por tentativa de homicídio com dolo eventual, por ter assumido o risco.

Saiba mais:

Polícia identifica outros 3 suspeitos pela morte PM em Tramandaí.

Suspeito de envolvimento em morte de PM é interrogado em Tramandaí.

 

Quase um mês após morte de estudante no bairro Jardim Botânico, polícia segue sem pistas do crime

23 de dezembro de 2015 0

* Por Lucas Abati 

June Cartier foi morta com um tiro na cabeça. Foto: Arquivo Pessoal

June Cartier foi morta com um tiro na cabeça. Foto: Arquivo Pessoal

Passado quase um mês do assassinato da estudante June Cartier Sumino, 32 anos, no bairro Jardim Botânico, em Porto Alegre, a Polícia Civil ainda não esclareceu a motivação do crime, nem identificou suspeitos. O fato aconteceu na noite do dia 25 de novembro, na rua Felizardo Furtado.

Polícia investiga circunstâncias da morte de mulher no Jardim Botânico

Inicialmente, a morte foi tratada como latrocínio, mas outras hipóteses não foram descartadas. Conforme a delegada Vandi Lemos, no momento do crime, a vítima estava acompanhada do namorado e estava passeando com um cachorro, quando foi abordada por dois homens. Um deles estava armado.

Em depoimento, o namorado da vítima relatou que não houve anúncio do assalto. Imagens de uma câmera de segurança também não foram esclarecedoras. O equipamento estava filmando o outro lado da via e não registrou a ação dos criminosos. Segundo a delegada, as imagens não estão muito nítidas, mas a câmera conseguiu flagrar dois homens correndo pela rua minutos depois de June ter sido atingida.

A Delegada Vandi Lemos afirma que não teve avanço nas investigações e que o tempo decorrido após o crime atrapalha a apuração. O telefone (51) 9707-7357 foi disponibilizado para auxiliar com informações. Não é preciso se identificar e ligações a cobrar são permitidas.

Justiça solta marido e mais seis suspeitos da morte de empresária em São Borja

10 de dezembro de 2015 1
Foto: reprodução / Facebook

Foto: reprodução / Facebook

* por Cid Martins

A 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça concedeu habeas corpus para o marido e mais seis suspeitos pela morte da empresária Sônia Khaled, 44 anos, atingida com três tiros e uma facada no dia 6 de novembro, na Fronteira Oeste. A decisão foi tomada na noite de quarta-feira (9) e, logo depois, foram soltos o também empresário Husein Kasem Khaled, 46 anos, e os demais acusados de envolvimento no assassinato.

Khaled é apontado pela polícia como mandante do crime, e os outros, todos com antecedentes criminais, como executores. O fato causou revolta na cidade e nas redes sociais.

Quatro estavam presos temporariamente desde o dia 11 de novembro e os outros três desde o dia 16.

Para o delegado Charles do Nascimento, causa estranheza a decisão judicial já que a investigação está em andamento e houve prorrogação da temporária, com parecer favorável do Ministério Público.

Os desembargadores da 1ª Câmara Criminal afirmam que não constataram necessidade das prisões por não encontrarem fundamentos concretos que justificassem a medida. Já a polícia informou que o inquérito será concluído nos próximos dias, mas não quis dar detalhes sobre indiciamentos e o motivo do assassinato.

Saiba mais:

Sete suspeitos estão presos por morte de empresária em São Borja
Empresário é preso suspeito de ser mandante de morte da esposa

Presos suspeitos de gravar imagens e executar homem com mais de 30 tiros na zona Norte da Capital

07 de dezembro de 2015 4

Durante operação realizada na manhã desta segunda-feira (7) na zona Norte de Porto Alegre, a polícia prendeu cinco traficantes, mas dois deles são suspeitos de gravar imagens e de executar um homem com mais de 30 tiros na vila Nova Dique, também na região, há uma semana. Darlen Carlos Severo Prestes foi morto com vários disparos de arma de fogo na cabeça, inclusive tiros de fuzil e pistolas 9mm e calibre 380. Uma das prováveis armas utilizadas no crime foi apreendida, uma pistola 9 mm. Os criminosos gravaram imagens da execução e ainda disponibilizaram nas redes sociais.

A operação realizada hoje foi em conjunto, entre o Departamento de Investigações do Narcotráfico (Denarc) e Departamento de Homicídios. O grupo faz parte de uma facção criminosa ligada ao tráfico de drogas e é responsável por vários assassinatos na região dos bairros Rubem Berta e Passo das Pedras. São mais de dez ocorrências registradas. O delegado Mário Souza, da 1ª Delegacia do Denarc, destaca que novas ações irão ocorrer nestas localidades nos próximos dias.

Execução

Sobre a execução, o delegado João Paulo de Abreu, da 3ª Delegacia de Homicídios, diz que a vítima não tinha antecedentes criminais. Há cerca de um ano, Darlen teria atirado uma pedra em um jovem que passava de bicicleta e buzinando na frente da casa dele, no bairro Passo das Pedras. No entanto, o adolescente é irmão de um traficante. Depois disso, Darlen passou a ser perseguido e no último dia 30 de novembro foi executado na frente da casa da mãe dele, na Vila Nova Dique.

“A crueldade é tanta que, ele foi sequestrado na frente da esposa e filha e assassinado com cerca de 35 tiros na cabeça na frente da casa que sua mãe morava”, diz Abreu.

Os criminosos gravaram todas as imagens e disponibilizaram nas redes sociais. São cenas muito fortes que não podem ser divulgadas, nem mesmo com edição. A polícia segue tentando identificar outros envolvidos na execução. A pistola 9 mm será encaminhada para perícia.

Pistola teria sido usada em um dos homicídios investigados pelos policiais / Foto: Polícia Civil

Pistola teria sido usada em um dos homicídios investigados pelos policiais / Foto: Polícia Civil

Saiba mais:

Homem é encontrado morto com mais de 30 tiros em Porto Alegre.

Operação policial prende cinco traficantes investigados por vários homicídios na zona Norte da Capital.