Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Caxias do Sul"

Demora na Justiça coloca criminosos especializados em furto e roubo de veículos em liberdade

01 de julho de 2014 0

Foram necessários quatro meses de investigações da Delegacia de Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas (Defrec) de Caxias do Sul para prender três criminosos especializados em furtos, roubos e extorsões. Entretanto, quase sete meses depois das prisões, os criminosos não foram julgados e, por isso, tiveram os mandados de prisão revogados e foram colocados em liberdade.

Taylor Carneiro Gajardo, Diego Ribeiro, e Jeison Pereira Festugato, seriam, de acordo com as investigações da Polícia Civil, como responsáveis por 30% de todos os roubos e furtos de caminhonetes e caminhões que ocorriam em Caxias do Sul, no segundo semestre de 2013. Os três, além de outros criminosos que foram investigados, mas não foram denunciados, também eram especializados em extorsões.

Os bandidos furtavam ou roubavam os veículos e depois procuravam os proprietários exigindo resgate. Em mais de 90% das vezes os caminhões e caminhonetes não eram devolvidos.

De acordo com a decisão da Justiça, Taylor e Diego tiveram a prisão preventiva (decretada em abril) revogada e Jeison teve revogada a prisão domiciliar por excesso de prazo.

Segundo o despacho da juíza Milene Fróes Rodrigues Dal Bó, o processo ainda está na dependência de perícias e da marcação da data da audiência. O Ministério Público foi favorável à manutenção das prisões.

Condenado a 122 anos de prisão por assaltos e latrocínio em Caxias do Sul pode ir para o semiaberto

26 de junho de 2014 8
Criminoso foi preso depois de matar advogado durante assalto (nereu de almeida/agência rbs)

Ladrão foi preso depois de matar advogado (nereu de almeida/agência rbs)

 

Beneficiado por uma legislação branda e pelo entendimento de desembargadores do Tribunal de Justiça, o comandante da quadrilha que aterrorizou Caxias do Sul entre agosto e novembro de 2005 está mais perto da rua. Condenado a 122 anos de reclusão por 14 assaltos a residências e um latrocínio, Evorton Rodrigues, o Eto, está fazendo exames para saber se poderá cumprir o restante de sua pena em semiaberto. Como é um apenado que trabalha dentro da cadeia e tem bom comportamento atrás das grades, a possibilidade de ele estar nas ruas nos próximos dias é grande.

Eto gravou seu nome na crônica policial ao comandar uma quadrilha especializada em assaltos a casas de classe média alta, ainda quando o Colina Sorriso e Altos do Seminário eram apenas loteamento do Santa Catarina. Ele e seu bando foram desarticulados pela Delegacia de furtos, roubos, entorpecentes e capturas depois do assassinato do advogado Henrique Martins da Silva, 42. O bacharel foi executado por Eto dentro de sua casa, durante um assalto na madrugada de 16 de novembro de 2005.

Antes de ser preso pela série de ataques já tinha uma sentença de 7 anos por assalto, Eto foi condenado a 99 anos e 7 meses pelos 14 assaltos, porte ilegal de arma de fogo e receptação. Nesse processo, além de Eto, outras cinco pessoas foram condenadas (X). A sentença foi da então titular da 3ª Vara Criminal de Caxias do Sul, juíza Sonáli da Cruz Zluhan. A mesma magistrada foi quem condenou Eto a 23 anos de prisão pelo latrocínio do advogado. Somadas, as penas contabilizavam 122 anos de prisão.

Entretanto, a defesa de Eto recorreu a decisão. Desembargadores da 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça entendeu que nos 14 assaltos houve continuidade delitiva (vários delitos do mesmo modus operandis cometidos em pequenos intervalos de tempo). Com isso, a pena de 99 anos e 7 meses caiu para 38 anos e 2 meses de prisão. Essa condenação foi unificada com a do latrocínio e os cálculos para progressão de regime também foram alterados. Como os crimes foram praticados antes de 2007, quando houve a alteração na redação dos crimes hediondos, Eto precisa cumprir apenas um sexto (1/6) de sua condenação no regime fechado. Atualmente, o cálculo seria de dois quintos (2/5)  para réus primários e três quintos (3/5) para reincidentes.

Eto já faz os exames e Processo de Execução Criminal dele aguarda para ser avaliado pelo Ministério Público. Enquanto isso, ele segue recolhido na Penitenciária Regional de Caxias, no Apanhador.

Os assaltos pelos quais Eto foi condenado

Data: 1º de agosto de 2005
Bairro: Santa Catarina
Envolvidos: Evorton Rodrigues
Circunstâncias: Evorton invadiu uma residência e rendeu uma mulher que cuidava de um bebê. A babá e a criança foram trancadas no banheiro. Evorton, armado com uma faca, fugiu com roupas e jóias.

 

Data: 14 de agosto de 2005
Bairro: Nossa Senhora da Saúde
Envolvidos: Evorton Rodrigues e mais um réu
Circunstâncias: o dono da moradia foi surpreendido por dois homens armados dentro de sua casa, às 21h30min.O homem ficou sem ação enquanto um dos ladrões apontava a arma para a cabeça de suas filhas, de nove e três anos. Outro criminoso rendeu a mãe das crianças, que estava no andar superior. Os assaltantes fugiram com o carro da família carregado de roupas, jóias e eletroeletrônicos.

 

Data: 23 de agosto de 2005
Bairro: Monte Bérico
Envolvidos: Evorton Rodrigues e um jovem
Circunstâncias: a dona da moradia havia feito um bolo e colocado para esfriar em uma janela. A abertura foi usada por assaltantes para entrar na casa e render o dono, que segurava um bebê no colo. O casal foi amarrado no banheiro e os dois assaltantes escaparam, após uma hora e meia, levando o veículo das vítimas, roupas e jóias. O segundo assaltante não foi identificado.

 

Data: 25 de setembro de 2005
Bairro: Nossa Senhora da Saúde
Envolvidos: Evorton Rodrigues, um homem e um adolescente
Circunstâncias: às 22h, a dona da moradia via televisão ao lado do marido e do filho quando percebeu que três assaltantes estavam na sala apontando armas para família.O casal foi levado para a garagem e amarrado. Um dos assaltantes montou na mulher e passou a mão em suas nádegas. Após fazer refeições, os três criminosos deixaram a moradia levando eletroeletrônicos, armas e dinheiro.


Data:
2 de outubro de 2005
Bairro: Monte Bérico
Envolvidos: Evorton Rodrigues e dois homens
Circunstâncias: a moradora de uma residência é surpreendida por três homens que arrebentaram a porta com um tora de eucalipto. O dono da casa já estava deitado e, quando levantou para ver o que estava acontecendo, foi atacado por um dos ladrões, que atirou em seu pé, decepando um dedo.O casal e dois filhos foram trancados no banheiro pelo trio, que fugiu com o carro da família carregado de objetos.


Data:
12 de outubro de 2005
Bairro: Serrano
Envolvidos: Evorton Rodrigues e um homem
Circunstâncias: um casal de noivos é surpreendido no começo da noite com dois homens armados na moradia. Um dos ladrões engatilhou um revólver e apontou para a cabeça das vítimas exigindo dinheiro.O outro ladrão passou a mão pelo corpo da mulher, que simulou um desmaio para não ser levada a um quarto.O casal é amarrado com fitas adesivas pelos criminosos, que fogem no carro do homem.


Data:
17 de outubro de 2005
Bairro: Saint´Etienne
Envolvidos: Evorton Rodrigues e outro jovem
Circunstâncias: durante três horas, Evorton e outro rapaz ficaram ameaçando um casal de morte, exigindo dinheiro e armas. A dupla invadiu a casa por volta da meia-noite.Os ladrões deixaram a moradia levando computadores, jóias e roupas.


Data:
24 de outubro de 2005
Bairro: Santa Catarina
Envolvidos: Evorton Rodrigues e um rapaz
Circunstâncias: uma jovem escutou gritos de sua mãe e passos na casa, mas achou que fossem de seu pai. Quando abriu a porta de seu quarto, por volta das 2h, foi atacada por Evorton, armado com dois revólveres. Após exigir dinheiro e armas, ele tentou praticar atos libidinosos com a jovem, dizendo que se ela praticasse sexo com ele a casa não seria roubada. Com um revólver, ele ergueu a blusa da jovem e riu. Os ladrões levaram eletroeletrônicos, dinheiro e jóias.

 

Data: 27 de outubro de 2005
Bairro: São Ciro
Envolvidos: Evorton Rodrigues e um jovem
Circunstâncias: Evorton e outro suspeito não-identificado renderam sete pessoas da mesma família depois de invadir a residência durante a madrugada.Todos foram trancados em um banheiro enquanto os ladrões procuravam dinheiro e armas. Um dos assaltantes passou o tempo todo engatilhando e desengatilhando a arma, dizendo que mataria todos. As vítimas foram deixadas amarradas pela dupla, que desapareceu levando roupas, jóias e uma arma.

 

Data: 30 de outubro de 2005
Bairro: São Ciro
Envolvidos: Evorton Rodrigues e outro réu
Circunstâncias: o proprietário da casa tomava chimarrão acompanhado de dois filhos, de dois e cinco anos, quando escutou um barulho. Ao olhar para trás, viu dois homens armados. A dona da casa também foi rendida.Todos foram levados para um quarto e passaram cerca de três horas sendo monitorados por um dos assaltantes enquanto o segundo carregou o carro da família e saiu. O ladrão retornou minutos depois para buscar o comparsa com o automóvel da família.


Data:
2 de novembro de 2005
Bairro: Santa Catarina
Envolvidos: Evorton Rodrigues e um adolescente
Circunstâncias: uma jovem foi rendida por Evorton. O rapaz, mantendo a vítima refém, rendeu mais três familiares dela, que foi obrigada a ajudar o ladrão a carregar objetos. A jovem contou que o ladrão lhe fazia perguntas íntimas e propunha manter relações sexuais. A dupla fugiu com o carro da família.

 

Data: 4 de novembro de 2005
Bairro: Santa Catarina
Envolvidos: Evorton Rodrigues e um adolescente
Circunstâncias: um casal havia acabado de retornar de uma viagem, à meia-noite, quando foi abordado por dois homens armados na moradia. A dupla pediu por dinheiro, jóias e armas e ficou por três horas fazendo ameaças de morte e recolhendo objetos, levados no carro da família.O casal ficou amarrado.

 

Data: 9 de novembro de 2005
Bairro: Interlagos
Envolvido: Evorton Rodrigues
Circunstâncias: um grupo de amigos que estava na sede do Recreio da Juventude foi atacado por Evorton armado, à 1h. O ladrão recolheu roupas, dinheiro e carteiras de seis pessoas.

 

Data: 14 de novembro de 2005
Bairro: Serrano
Envolvidos: Evorton Rodrigues e outro réu
Circunstâncias: às 22h, a dupla invadiu uma casa e rendeu quatro pessoas.Os ladrões ficaram até a 1h recolhendo objetos e fazendo ameaças às vítimas.Todos foram amarrados e trancados em uma das peças. Evorton e comparsa fugiram levando dinheiro, jóias e eletroeletrônicos.

Autores de duplo homicídio em Caxias do Sul são denunciados pelo MP

25 de junho de 2014 0

Os dois criminosos indiciados pela Polícia Civil como autores de um duplo homicídio em Caxias do Sul foram denunciados pelo Ministério Público. Juraci Antônio Ribeiro da Silva, o Jura, 37 anos, e Luiz Carlos Ribeiro da Silva, 40, foram responsabilizados pelas mortes de Evandro Carlos Costa Ferraz, 26, e Darlan Sebastião da Costa, 28.

A dupla foi emboscada e baleada no final da tarde de 11 de maio passado. Darlan morreu no mesmo local onde foi atacado. Evandro foi levado ao hospital e morreu no começo deste mês. De acordo com a denúncia da 4ª Promotoria Especializada Criminal, no dia dos crimes, os criminosos estavam dentro de uma residência na Luiz Covolan, no bairro Reolon, e avistaram Darlan e Evandro caminhando na via Jura e Luiz deixaram a moradia e surpreenderam a dupla pelas costas.

A motivação do crime, conforme o descrito na denúncia da promotora de Justiça Sílvia Regina Becker Pinto, seria a vingança por uma tentativa de assassinato, registrada no dia anterior, envolvendo familiares dos denunciados e das vítimas. Os dois réus estão presos e a Justiça ainda não decidiu se os pronuncia.

Defrec de Caxias prende cinco, apreende drogas, carros e armamento

23 de junho de 2014 2

Uma quadrilha formada por ex-assaltantes de bancos, carro-fortes e criminosos especializados em extorsão foi desarticulada na manhã desta segunda-feira (23) pela Defrec de Caxias do Sul. Os cinco homens presos eram investigados há dois meses e foram capturados em três bairros de Caxias do Sul e em Farroupilha. Um fuzil Ruger, calibre 5.56, de fabricação americana, uma escopeta Hatsan, de origem turca, três pistolas e munição, foram apreendidos com o grupo que é investigado em seis inquéritos por assaltos em Caxias e um em Flores da Cunha. Agentes também apreenderam 400 gramas de cocaína, 1,1 quilo de maconha e 67 gramas de crack.

De acordo com o delegado Mario Mombach, titular da Defrec, o alvo preferencial da quadrilha eram residências, de onde bandidos levavam joias. Tanto que a ação policial recebeu o nome de Operação Esmeralda. Nos próximos dias a polícia vai chamar vítimas para fazer o reconhecimento do material que também foi apreendido.

“Além dos assaltos a residências, o grupo era especializado em roubo e clonagem de veículos”, salienta Mombach.
Policias apreenderam cinco veículos com os bandidos: um Sandero, um Honda Civic, um Palio, uma BMW e uma Zafira blindada.

Como estão com prisão temporária, os nomes dos criminosos não foram revelados pela polícia. Mas três dos presos são velhos conhecidos dos policiais mais experientes da Defrec. Um dos presos foi investigado algumas vezes nos últimos anos. Assaltante de bancos, o homem teria em seu poder um fuzil (provavelmente o apreendido hoje) e teria praticado alguns assaltos contra empresas. Em uma abordagem de PMs, há pouco mais de três anos, brigadianos apreenderam a capa do fuzil. Integrante de quadrilha responsável por dezenas de assaltos a banco no final da década de 90, ele chegou a ser vítima de uma tentativa de assassinato em 2009. A motivação seria uma desavença com origem dentro do sistema prisional.

O outro preso já conhecido dos agentes da Defrec é assaltante de carro-forte. O criminoso ficou conhecido no meio policial depois de usar uma roupa de vigilante para apanhar o dinheiro da movimentação dos caixas da Estação Rodoviária de Caxias. A atendente achou que ele fosse da empresa responsável pela coleta. Com conexões com criminosos da Região Metropolitana de Porto Alegre, ele também já foi investigado pelo Departamento Estadual de Investigações Criminais. O bandido também integrou por algum tempo a quadrilha de Elizandro Rodrigo Falcão, morto um confronto com PMs em Cotiporã, em dezembro de 2012. Na época, Falcão era o foragido número um do Estado.

Guilherme Pulita/ Gaúcha Serra

Guilherme Pulita/ Gaúcha Serra

Dupla é sentenciada por assassinato e seis tentativas de homicídio em Caxias do Sul

11 de junho de 2014 0

Harlan Pereira Lira de Jesus, 27 anos, e Ademir Soares Teixeira, 26, foram condenados, na tarde desta quarta-feira, a penas que somadas chegam a 90 anos de prisão. Halan foi sentenciado a 48 anos e Ademir a 42 anos de prisão pelo assassinato de Diógenes da Silva Martins e por seis tentativas de assassinato. O julgamento ocorreu nesta quarta-feira e os jurados acolheram na íntegra a denúncia do Ministério Público.Também eram réus nesse processo Ricardo Alexandre Bicalho da Cruz, 28, e Johnatam Perez dos Passos, 32, mas eles foram assassinados.

Os crimes pelos quais os réus foram condenados aconteceram no começo da noite de 9 de novembro de 2007, na Rua Leoclides Pereira Dias, no loteamento Mariani. Na oportunidade, Harlan, acompanhado dos outros réus, estacionou um Corsa próxima à casa de Ramilton Godoy Mello. Ali estavam os irmãos Douglas e Maicon da Luz Isoppo, Vagner José Hoffmann e Lilia Cristina da Silva Camargo.

Os quatro desembarcaram do carro e emboscaram o grupo parado em frente à residência. Imediatamente, eles começaram a atirar. Diógenes tentou fugir de moto e foi baleado. Maicon, Douglas e Rodrigo também foram atingidos pelos atiradores. Em seguida, os quatro embarcaram no Corsa e fugiram. Vagner, Ramilton e Lilia conseguir escapar sem ferimentos, mesmo sendo alvo de disparos dos quatro atiradores. Os crimes teriam motivação passional. Ramilton teria impedido que Harlan agredisse própria mulher. Ramilton também já foi morto.

Dupla que matou jovem e tentou matar outros seis é julgada em Caxias do Sul

10 de junho de 2014 0

Está marcado para as 9h desta quarta-feira o julgamento popular de Harlan Pereira Lira de Jesus, 27 anos, Ademir Soares Teixeira, 26. Também eram réus nesse processo Ricardo Alexandre Bicalho da Cruz, 28, e Johnatam Perez dos Passos, 32, mas eles foram assassinados. Os quatro foram acusados como responsáveis pelo assassinato de Diógenes da Silva Martins e também tentar matar outras seis pessoas.

Todos os crimes aconteceram no começo da noite de 9 de novembro de 2007, na Rua Leoclides Pereira Dias, no loteamento Mariani. Na oportunidade, Harlan, acompanhado dos outros réus, estacionou um Corsa próxima à casa de Ramilton Godoy Mello. Ali estavam os irmãos Douglas e Maicon da Luz Isoppo, Vagner José Hoffmann e Lilia Cristina da Silva Camargo.

De acordo com a sentença de pronúncia, os quatro desembarcaram do carro e emboscaram o grupo parado em frente à residência. Imediatamente, eles começaram a atirar. Diógenes tentou fugir de moto e foi baleado. Maicon, Douglas e Rodrigo também foram atingidos pelos atiradores. Em seguida, os quatro embarcaram no Corsa e fugiram. Vagner, Ramilton e Lilia conseguir escapar sem ferimentos, mesmo sendo alvo de disparos dos quatro atiradores. Os crimes teriam motivação passional. Ramilton teria impedido que Harlan agredisse própria mulher. Ramilton também já foi morto.

TJ mantém sentença que leva acusados de matar jovem a julgamento popular em Caxias do Sul

05 de junho de 2014 0

Desembargadores da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça mantiveram a pronúncia e acrescentaram uma qualificadora à sentença contra os autores e o mandante do assassinato de Diego Macedo dos Passos. De acordo com o entendimento da Justiça, Adriano Luiz Schu e Rodrigo Vanderlei Ludwig mataram Diego em 23 de julho de 2008, a mando de Adilson José Moresco. O crime foi uma vingança contra Diego, que matou o irmão de Adilson, o comerciante Adão Moresco, em março do mesmo ano.

Adão foi morto depois de cobrar de Diego a pintura da fachada de sua empresa, no bairro Cruzeiro, que havia sido pichada pelo rapaz. Como vingança, Adilson, segundo a denúncia do MP, contratou Adriano e Rodrigo para matar Diego. A emboscada aconteceu em um bar no bairro De Zorzi. A dupla nega a autoria do crime e Adilson também nega envolvimento no episódio.

Pela decisão dos desembargadores, os réus estão pronunciados por homicídio qualificado por ter sido cometido mediante pagamento e à traição. O julgamento dos três ainda não tem data definida.

Suspeito de integrar quadrilha que roubou carro-forte com R$ 1,7 milhão é absolvido pelo TJ

02 de junho de 2014 0
Blindado foi explodido em localidade do interior de Caxias (porthus júnior/agência rbs)

Blindado foi explodido em localidade do interior de Caxias (porthus júnior/agência rbs)

 

Continua sem solução o roubo de um carro-forte com R$ 1,7 milhão, ocorrido no pátio da Universidade de Caxias do Sul, em novembro de 2009. Desembargadores da Oitava Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado mantiveram a decisão da Justiça de Caxias do Sul que absolveu Delarci Aires Matos, 35 anos, do crime. Matos era um dos únicos dois homens identificados. O outro é o ex-PM Wanderley Grehs, 53, que também foi inocentado do crime pelo judiciário.

O ataque ao carro-forte na UCS, em valores, foi um dos maiores da história da Serra. Na tarde de 10 de novembro, um carro-forte da Brinks parou em um dos estacionamentos da universidade para recolher valores em um banco do centro de convivência. Depois de que três vigilantes entraram no banco, um criminoso, que tinha a chave da porta do carro-forte, invadiu o blindado e rendeu o motorista.

O veículo foi levado até a localidade de Santo Homo Bom, onde outros estavam três outros criminosos, e explodido. Bandidos levaram 14 malotes com dinheiro.

Apontado com um dos proprietários de 700 quilos de maconha apreendidos em Caxias é condenado

02 de junho de 2014 0
maco

Apreensão do entorpecente aconteceu em outubro de 2011 (daniela xu/agência rbs)

 

A Justiça de Caxias do Sul condenou Wellington da Costa Amorim, 22 anos, a 12 anos de prisão em regime fechado pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico, receptação e posse ilegal de arma. Amorim é dos dois homens apontados pela Justiça como proprietários dos 700 quilos de maconha apreendidos em apartamentos de um condomínio de classe média alta, no bairro Santa Catarina, em 27 de outubro de 2011.

A localização da droga aconteceu durante uma operação do setor de inteligência da Brigada Militar. Christian Hernandes Carneiro Alves, 31, já havia sido julgado e condenado, em agosto de 2012, a 11 anos e nove meses de prisão.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, PMs abordaram um Focus roubado, onde estava Christian. O detido disse ter os documentos do veículo em sua residência e levou os brigadianos até um condomínio no bairro Santa Catarina. No prédio, policiais foram informados por moradores que o rapaz tinha outro apartamento alugado. No lugar denunciado foram encontrados 500 quilos de maconha.

Na garagem do condomínio PMs acharam outros 200 quilos da droga. O entorpecente estava dividido em frações iguais e acondicionado em um Chevette e uma Hyundai Santa Fé. Amorim chegou no prédio e foi detido logo depois. Ele admitiu a propriedade de parte da droga. Um revólver calibre 38 também foi apreendido.

STJ nega recurso para diminuição de pena de babá condenada por torturar crianças em Caxias do Sul

29 de abril de 2014 0

O ministro do Superior Tribunal de Justiça, Jorge Mussi, negou o pedido da defesa da babá caxiense condenada por torturar um casal de gêmeos, entre julho e dezembro de 2010. Cristiane Prestes de Azevedo cumpre a pena de 10 anos, três meses e 10 dias de prisão na Penitenciária Industrial de Caxias do Sul e queria uma redução na pena por ter confessado o delito.

Por entendimento do ministro, deve ser mantida a decisão do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, que afastou a atenuante da confissão e aumentou a condenação inicial de Cristiane. Para Mussi, a confissão foi apenas mais um dos elementos que comprovam a prática do crime de tortura.

Câmeras que flagraram agressões foram instaladas por pais das crianças (reprodução)

Câmeras que flagraram agressões foram instaladas por pais das crianças (reprodução)

Cristiane foi flagrada torturando o casal de gêmeos por câmeras instaladas pelos pais das crianças. As agressões aconteceram quando as vítimas tinham entre cinco e 11 meses de vida. A babá foi presa preventivamente em dezembro de 2010. Imagens das câmeras captaram a mulher batendo nas crianças, arremessando os gêmeos sobre uma cama e os arrastando por braços e pernas.

A babá chegou a ter a preventiva revogada e deixou o presídio em janeiro de 2011, mas foi presa novamente em julho do mesmo ano. Em janeiro de 2012, ela foi condenada pela 3ª Vara Criminal de Caxias a sete meses e 11 dias de prisão. A defesa e o Ministério Público recorreram da decisão e o processo foi encaminhado ao Tribunal de Justiça do Estado. Desembargadores reformaram a decisão de primeiro grau e, a pedido do MP, aumentaram a pena dela para 10 anos, três meses e 10 dias.