Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Polícia Federal"

PF combate fraude na concessão do seguro desemprego e em benefícios previdenciários

10 de dezembro de 2015 2
Operação da PF e do Ministério do Trabalho ocorre em NH e em Nova Santa Rita / Foto: Polícia Federal

Operação da PF e do Ministério do Trabalho ocorre em NH e em Nova Santa Rita / Foto: Polícia Federal

A Polícia Federal (PF) e o Ministério do Trabalho realizam na manhã desta quinta-feira (10) uma operação para desarticular organização criminosa que fraudava a concessão do seguro desemprego, em torno de R$ 650 mil, e também benefícios previdenciários. Os suspeitos simulavam contratos de trabalho retroativos com a utilização de laranjas para depois demitir as pessoas e obter valores de forma ilícita. O grupo agia há pelo menos 15 anos. Foram identificadas ao menos 20 empresas - de turismo, de calçados e até mesmo de roupas – inativas utilizadas no esquema.

Na chamada operação”Mandacaru” , 50 policiais cumpriram quatro mandados de prisão preventiva, sendo um deles de um agente do Sistema Nacional de Emprego (Sine) e funcionário da prefeitura de Nova Santa Rita, além de nove mandados de busca e apreensão e duas suspensões de atividade de contador. As ordens judiciais foram cumpridas nas cidades de Novo Hamburgo e Nova Santa Rita. Uma agência do Sine teria fraudado 20% dos requerimentos em apenas um mês deste ano.

Além dos quatro presos hoje, ( sendo três da mesma família em Novo Hamburgo, mais o agente do Sine) outras 15 pessoas foram indiciadas durante a investigação. Foram apreendidas  mais de 100 carteiras de trabalho. A mãe de um dos envolvidos tinha quatro  carteiras de identidade e recebia auxilio doença. Os salários partiam do R$ 1,2 mil.

Investigações

As investigações iniciaram em setembro deste ano, a partir de levantamento feito pela Força Tarefa Previdenciária para identificação de empresas inativas que poderiam estar sendo utilizadas para inserções de vínculos empregatícios falsos. A PF constatou que haviam sido encaminhadas diversas Guias de Recolhimento do Fundo de Garantia e Informações à Previdência Social (GFIPs) com um grande número de empregados para seis pessoas jurídicas. No entanto, nada foi encontrado nos endereços em que as empresas deveriam estar funcionando. Logo em seguida, o grupo confeccionou rescisão de contrato de trabalho e encaminhou requerimentos de seguro desemprego.

Sine

O procedimento foi feito em uma única agência do Sine em Nova Santa Rita, embora as empresas e os supostos empregados tivessem como sede ou residência outras cidades da região. Nos levantamentos feitos constatou-se que, enquanto a média de encaminhamentos mensais de seguro por empresa era de no máximo dois, para as firmas investigadas esse número podia chegar a 20. No mês de outubro de 2015, 20% dos requerimentos dessa agência foram fraudulentos.

Prejuízos

O prejuízo levantado até o momento somente com a concessão de seguro desemprego chega a R$ 650 mil. Esse número leva em consideração apenas um pequeno grupo de empresas, porém, com a continuidade das investigações em relação a outras pessoas jurídicas e também a benefícios do INSS, é provável que os valores sejam muito maiores.

Diversas carteiras de trabalho e cartões bancários foram apreendidos / Foto: Polícia Federal

Diversas carteiras de trabalho e cartões bancários foram apreendidos / Foto: Polícia Federal

Operação desvenda sonegação de R$ 2,3 bi em mercado de cigarro clandestino

05 de novembro de 2015 0

Por Lucas Abati 

Esquema gerou prejuízo avaliado em R$ 2,3 bi. Foto: Divulgação / Polícia Federal

Esquema gerou prejuízo avaliado em R$ 2,3 bi. Foto: Divulgação / Polícia Federal

Uma operação realizada na manhã desta quinta-feira (05) combate o mercado clandestino de cigarros no país. Além do Rio Grande do Sul, a ação acontece em Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Pará. São sete mandados de prisão, sete de condução coercitiva e 50 de busca. A estimativa é que o esquema gerou prejuízo que supera R$ 2,3 bilhões em tributos não recolhidos pela União.

Dois mandados de prisão foram cumpridos em Santa Cruz do Sul. Os outros em Arroio do Tigre, Venâncio Aires, Foz do Iguaçu, Cascavel e Rio de Janeiro. Todos serão encaminhados à Delegacia da Polícia Federal de Santa Cruz do Sul. No Rio Grande do Sul, foram cumpridos mandados de busca em Santa Cruz do Sul, Vera Cruz, Venâncio Aires, Arroio do Tigre, Rio Pardo, Cerro Grande, Barão do Triunfo e Cachoeirinha.

A operação nomeada de Hunos é comandada pela Polícia Federal, Receita Federal e Procuradoria da Fazenda Nacional. De acordo com a investigação, os suspeitos utilizavam empresas de fachada e laranjas para desviar tabaco sem pagamento de tributos. Parte da carga era encaminhada ao Paraguai, onde era processada e voltava ao Brasil contrabandeada. O restante seguia para fábricas em São Paulo e Rio de Janeiro que produziam e usavam marcas paraguaias para revenda.

O pagamento aos processadores do fumo era realizado em automóveis de luxo e máquinas. A Justiça também determinou sequestro de 59 imóveis, 47 veículos e contas bancárias, que totalizam um valor aproximado de R$ 80 milhões.

Polícia Federal investiga envio de cocaína de Porto Alegre para África do Sul

23 de outubro de 2015 0

* Por Eduardo Cardozo

A Polícia Federal (PF) investiga o envio de cocaína de Porto Alegre para a África do Sul, através de serviços postais. Foram duas cargas que partiram da Capital com destino a Camarões e República do Benim.

A primeira apreensão aconteceu há dois anos em  São Paulo. Cerca de 900 gramas da droga estavam escondidas no forro de bolsas. Já a segunda apreensão foi registrada em janeiro de 2014, quando três quilos da droga foram encontradas dentro de uma peça mecânica.  A investigação iniciou em São Paulo, mas como o envio foi feito em Porto Alegre, a Justiça Federal remeteu à Polícia Federal da Capital para dar continuidade na investigação.

O homem que remeteu a droga utilizou documentos falsos e há indícios de que outras cargas foram enviadas anteriormente para os mesmos países e também para Moçambique.

Qualquer informação deve ser repassada pelo telefone (51) 3235.9412.

PF indicia nove pessoas por prejuízo de R$ 17 milhões a clientes do mercado de capitais no RS

05 de outubro de 2015 2

A Polícia Federal (PF) indiciou nove pessoas por terem causado um prejuízo aproximado de R$ 17 milhões a clientes do mercado de capitais no Rio Grande do Sul. A conclusão do inquérito foi na sexta-feira da semana passada (2), mas divulgada somente nesta segunda-feira (5). A chamada Operação Churning foi deflagrada em setembro de 2013. Os envolvidos atuavam na gestão de carteira (serviço que monitora clientes, identifica oportunidades de negócios e controla riscos de operações) e faziam isso sem autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e muito menos dos clientes.

Indiciamentos

Os indiciamentos são por crimes contra o sistema financeiro nacional e mercado de capitais, lavagem de dinheiro, entre outros. A investigação inicial era de um prejuízo de R$ 2,5 milhões, mas, em dois anos, a PF apurou que houve milhares de operações indevidas de compra e venda de ações, ou seja, nem sempre tinham como objetivo o lucro para os clientes. Ao todo, foram pelo menos 20 clientes lesados pelos criminosos. Não foram divulgados os nomes dos três administradores investigados e nem das duas empresas que eles são sócios, uma da zona Norte de Porto Alegre e outra de Passo Fundo.

* Churning é uma prática ilícita conhecida no mercado, na qual o intermediário realiza excessivas operações de compra ou venda de valores mobiliários, sem aparente fundamento econômico, e com o fim de gerar taxa de corretagem.

A Operação Churning foi deflagrada em setembro de 2013 e prejuízo inicial era de R$ 2,5 milhões / Foto: Polícia Federal

A Operação Churning foi deflagrada em setembro de 2013 e prejuízo inicial era de R$ 2,5 milhões / Foto: Polícia Federal

Saiba mais:

Polícia Federal investiga prejuízo de R$ 2,5 milhões a clientes do mercado de capitais no RS.

PF conclui inquérito sobre fraude no Mapa e identifica prejuízo de R$ 20 milhões

18 de agosto de 2015 0
Francisco Signor foi indiciado por corrupção passiva, associação criminosa, advocacia administrativa e lavagem de dinheiro

Francisco Signor foi indiciado por corrupção passiva, associação criminosa, advocacia administrativa e lavagem de dinheiro

* Por Cid Martins

A Polícia Federal (PF) concluiu o inquérito sobre esquema de fraude no Ministério da Agricultura (Mapa) no Rio Grande do Sul e indiciou cinco pessoas, além de identificar prejuízo de R$ 20 milhões aos cofres públicos. Já em maio, logo depois de realizar a Operação Semilla, a PF havia anunciado o indiciamento de quatro investigados, incluindo o superintendente na época e que foi afastado pela Justiça Federal, Francisco Signor.

Crimes

Também foram indiciados outro servidor público e uma ex-servidora por corrupção passiva e ativa, advocacia administrativa e associação criminosa. O esquema beneficiava empresas do setor agropecuário e agroindustrial que atuavam no setor de sementes e defensivos agrícolas. Enquanto elas pagavam propina, tinham redução no valor de multas aplicadas pelo MAPA. Os agentes públicos também trabalhavam na suspensão de processos de auto de infração.

Desvio

O inquérito policial da Operação Semilla identificou um prejuízo de R$20.523.288,36 aos cofres da MAPA/RS. Este dinheiro é fruto de desvios diretos de pagamentos a eventos fictícios da empresa Ícone Eventos e Viagens Ltda. A Polícia Federal chegou até este montante através de dados da investigação e documentos colhidos na fase ostensiva da Operação, no dia 13 de maio.

* Saiba mais:

PF indicia ex-superintendente do Ministério da Agricultura no RS

Condenados presos em operação da Polícia Federal contra tráfico internacional de drogas

17 de julho de 2015 0

* Por Lucas Abati

Traficante tinha revenda de veículos na zona norte de Porto Alegre para lavar dinheiro / Foto: Polícia Federal

Traficante tinha revenda de veículos na zona norte de Porto Alegre para lavar dinheiro / Foto: Polícia Federal

Onze pessoas presas na Operação Suçuaranacontra o tráfico internacional de drogas no Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul foram condenadas à prisão pela 7ª Vara Federal.

As penas vão de 3 anos e 11 meses a 15 anos e 3 meses de reclusão para os envolvidos. Além disso, a decisão entrega à União R$ 141 mil, sete imóveis e 57 veículos. Os réus podem recorrer da sentença.

Polícia Federal realiza operação contra tráfico internacional de drogas no RS e MS

A Operação Suçuarana foi realizada em maio de 2014 e desarticulou uma organização criminosa. Segundo a Polícia Federal, a cocaína saia da Bolívia ao Paraguai de avião e entrava no Brasil por terra, onde era distribuída em quatro estados: Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

 

Polícia Federal apreende mais de 30 armas em Porto Alegre, incluindo fuzil e submetralhadora

03 de junho de 2015 0
As armas foram encontradas em uma residência vazia / Foto: Polícia Federal

As armas foram encontradas em uma residência vazia / Foto: Polícia Federal

A Polícia Federal apreendeu 33 armas em um endereço residencial em Porto Alegre. A investigação é sigilosa, tanto é que nem o bairro foi divulgado. A ação ocorreu no final do dia de terça-feira (02), mas divulgada somente nesta quarta-feira (03) pelo fato de que os agentes estavam verificando a procedência do armamento. Os policiais encontraram um fuzil 556, duas submetralhadoras 9 milímetros, pistolas, revólveres de diversos calibres (44, 357 e 38), além de munição e acessórios. Não havia morador residindo no local abordado e o responsável pelo imóvel foi ouvido pela Polícia Federal. Foi instaurado inquérito para apurar a origem das armas.

 

Justiça Federal em NH condena três pessoas por tráfico internacional de armas e de drogas

26 de maio de 2015 0

A Justiça Federal em Novo Hamburgo (NH) condenou três pessoas por tráfico internacional de armas e de drogas. Esta é a primeira decisão sobre um total de três ações penais encaminhadas pelo Ministério Público Federal (MPF) contra uma quadrilha desarticulada em abril do ano passado pela Polícia Federal (PF). Ao todo, 36 suspeitos foram denunciados e 33 chegaram a ser presos em sete cidades gaúchas. As penas destas três pessoas condenadas, que ainda podem recorrer da decisão, vão de 16 a 86 anos de reclusão.

Operação Panóptico

De acordo com a PF, uma facção criminosa que atua nos presídios do Rio Grande do Sul mantinha contato com traficantes do Paraguai para abastecer com drogas e armas pontos de venda de entorpecentes em Porto Alegre, Vale do Sinos, Serra gaúcha e região de Santa Cruz do Sul. Durante a investigação, que iniciou em 2013, descobriu-se também que os traficantes simulavam viagens de motorhomes em família para enviar drogas ao estado e para isso, usavam até crianças. A PF também apreendeu durante o período de apuração dos fatos, 1,2 mil tonelada de drogas, R$ 165 mil, 24 veículos, entre eles um motorhome, um colete à prova de balas, diversas armas de calibre restrito, incluindo um fuzil AR-15, sete pistolas 9mm e uma submetralhadora.

Nesta primeira ação penal, foram enquadrados os réus acusados de serem os chefes da quadrilha, responsáveis pelo comando, coordenação, controle das ações do grupo e das grandes ações do tráfico (aquisição das drogas, carregamento e transporte até o Brasil). As outras duas ações penais do MPF contra a organização criminosa seguem tramitando na Justiça Federal em Novo Hamburgo.

Durante a investigação de um ano, cerca de 1,2 mil tonelada de drogas foi apreendida / Foto: Polícia Federal

Durante a investigação de um ano, cerca de 1,2 mil tonelada de drogas foi apreendida / Foto: Polícia Federal

* Saiba mais:

Traficantes simulavam viagens em família para enviar drogas ao RS.

Operação nacional da PF contra pornografia infantil cumpre mandado judicial em Esteio

20 de maio de 2015 0

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quarta-feira (20) a Operação Araceli em nove estados brasileiros e no Distrito Federal (DF), que tem como objetivo combater a pornografia infantil. No Rio Grande do Sul, foi cumprido um mandado judicial na cidade de Esteio, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Além do RS e do DF, cerca de 120 policiais cumpriram 29 mandados de busca e apreensão no Acre, Alagoas, Amazonas, Ceará, Goiás, Pernambuco, Roraima e Santa Catarina.

Apreensão em Esteio de material que têm conteúdo pornográfico envolvendo crianças / Foto: Polícia Federal

Apreensão em Esteio de material que têm conteúdo pornográfico envolvendo crianças / Foto: Polícia Federal

Esteio

Policiais federais cumpriram um mandado de busca e apreenderam em uma residência quatro computadores e dois HDs externos. Foi verificado que um dos HDs continha arquivos com conteúdo pornográfico infantil. Além disso, um dos notebooks transmitia e recebia material pornográfico. O responsável pelo material não foi localizado em casa e nem no local onde trabalha. Depois de identificá-lo, a PF tenta agora localizá-lo.

Crimes

Os crimes investigados na Operação Araceli, que apura armazenamento e divulgação de imagens e vídeos de pornografia infantil, preveem penas que podem chegar a 6 de anos de reclusão e multa.

Araceli

O nome da operação presta homenagem à menina Araceli Cabrera Sánchez Crespo, 8 anos, que foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada em 18 de maio de 1973, crime que até hoje permanece impune. Posteriormente, a data ficou instituída como o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”.

* Em abril deste ano o Governo Federal lançou o portal #HumanizaRedes, que recebe denúncias de violações de direitos humanos, inclusive pornografia infantil: http://www.humanizaredes.gov.br

* Saiba mais:

PF faz operação contra pornografia infantil em nove Estados.

 

BM impede roubo de cargas e prende ladrões que se passavam por fiscais da Receita Federal

02 de abril de 2015 0
Divulgação

Divulgação

A Brigada Militar (BM) da Restinga, zona Sul de Porto Alegre, impediu um roubo de cargas e prendeu quatro ladrões que se passavam por fiscais da Receita Federal (RF). Os PMs apreendeream na tarde desta quinta-feira (02) um caminhão carregado com roupas e ventiladores e com os suspeitos, encontraram dois bonés e uma camiseta da RF, além de uma capa de colete da Polícia Federal (PF).

Os presos e produtos serão encaminhados à PF. A BM recebeu uma denúncia anônima pelo 190 e acredita que o material possa ser contrabandeado. Ainda foram apreendidos três veículos que acompanhavam o caminhão, um estava com giroflex e outro é investigado pelo fato de que o proprietário seria uma policial civil da 16ª delegacia da Capital.

IMG_9204

Divulgação