Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Polícia Federal"

Desarticulada quadrilha que planejava trazer droga de avião para o RS

03 de abril de 2014 1
Uma das apreensões ocorreu em dezembro do ano passado - Foto: Divulgação / PRF

Uma das apreensões ocorreu em dezembro do ano passado – Foto: Divulgação / PRF

Polícia Federal realizou nesta quinta-feira (3) operação que desarticulou uma quadrilha responsável por trazer mais de meia tonelada de cocaína para o Rio Grande do Sul. A ação de hoje teve apoio da Brigada Militar. Foram cumpridos 20 mandados de prisão e 18 de busca e apreensão em Porto Alegre, Sapucaia do Sul, Novo Hamburgo, Santa Cruz do Sul, Campo Bom, Estância Velha e Farroupilha nesta quinta-feira, dia 03. Destes mandados de prisão, cinco foram cumpridos em cadeias gaúchas.

O objetivo é desarticular uma facção criminosa que estava associada ao narcotraficante brasileiro conhecido como “Pavão”, detido no Paraguai. A rede abastecia pontos de droga em Porto Alegre, Vale do Sinos e Santa Cruz do Sul. Os criminosos, apesar de presos no Rio Grande do Sul e no Paraguai, mantinham contato constante, gerenciando o envio de drogas para o estado.

No estado gaúcho, a quadrilha tinha, entre os líderes, Fabrício Santos da Silva, que foi preso em Foz do Iguaçu e encaminhado para a Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas. Mesmo dentro da Pasc, ele continuava coordenando o recebimento de droga.

No decorrer da investigação, iniciada em 2013, a Polícia Federal prendeu 33 pessoas, apreendeu 1,2 tonelada de drogas (meia tonelada só de cocaína), 165 mil reais em dinheiro, 24 veículos, entre eles um motor-home, um colete à prova de balas, diversas armas de calibre restrito, incluindo um fuzil AR-15, sete pistolas 9mm e uma submetralhadora.

Após várias interceptações de carregamentos de drogas pela Polícia Federal, a organização chegou a planejar a utilização de uma aeronave para o transporte de 200 quilos de cocaína que seriam arremessados em uma propriedade no município de Mostardas, ação que acabou não se concretizando.

Presa quadrilha que usava lavanderias e postos de combustível para desviar R$ 10 bilhões

17 de março de 2014 16
Um dos grupos usava rede de lavanderias e de combustíveis para movimentar valores - Foto: Divulgação / Polícia Federal

Um dos grupos usava rede de lavanderias e de combustíveis para movimentar valores – Foto: Divulgação / Polícia Federal

Dos mais de cem mandados cumpridos pela Polícia Federal nesta segunda-feira, dia 17, na operação que desarticulou quadrilha que praticava crimes financeiros pelo Brasil, dois mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Porto Alegre. De acordo com a Polícia Federal, as pessoas investigadas na capital gaúcha teriam se beneficiado do esquema, após negociar moeda estrangeira com integrantes do mercado clandestino de câmbio no Brasil.

Um dos mandados de busca e apreensão foi cumprido na casa do engenheiro Eduardo Antonini. Procurado pela reportagem da Rádio Gaúcha, não quis gravar entrevista. Ele confirma que a Polícia Federal esteve em seu apartamento procurando dinheiro e que nada achou. Disse também que não tem a menor ideia do que está acontecendo.

O outro mandado foi cumprido na casa do jornalista Marcos Martinelli. Segundo ele, o nome que constava no mandado não estava no seu nome e nem era do seu apartamento. Mesmo assim, sua esposa liberou o acesso da sua casa. Após revirar o local, os policiais levaram um lap-top.

- Não estou sabendo de nada (do seu possível envolvimento na investigação). Não tenho vinculação nenhuma (com o grupo investigado). Eu trabalho para empresas e políticos – afirmou Martinelli.

A operação foi realizada no Distrito Federal e mais seis estados, entre eles o Rio Grande do Sul. Foram cumpridas também ordens de sequestro de imóveis de alto padrão, além da apreensão de patrimônio adquirido por meio de práticas criminosas, e bloqueio de dezenas de contas e aplicações bancárias.

Um líder de uma das quatro facções criminosas, envolvidas no esquema foi preso em Londrina. A operação recebeu o nome de Lava Jato. Segundo a Polícia Federal, um dos grupos executava a lavagem de dinheiro por meio de uma rede de lavanderias e postos de combustíveis.

O grupo investigado além de envolver alguns dos principais personagens do mercado clandestino de câmbio no Brasil é responsável pela movimentação financeira e lavagem de ativos de diversas pessoas físicas e jurídicas envolvidas com crimes como o tráfico internacional de drogas, corrupção de agentes públicos, sonegação fiscal, evasão de divisas, extração, contrabando de pedras preciosas, desvios de recursos públicos, dentre outros.

A ação foi realizada desempenhada pela Polícia Federal do Paraná.

Prefeitura de Triunfo informa que vai afastar secretários investigados por crimes eleitorais

11 de dezembro de 2013 0
Ronaldo Bernardi/Agência RBS

Ronaldo Bernardi/Agência RBS

Depois que a Polícia Federal deu início à operação para combater crimes eleitorais e de corrupção em Triunfo, na Região Metropolitana de Porto Alegre, a prefeitura informou que vai afastar na tarde desta quarta-feira dois secretários e demais servidores que estão sendo investigados. O procurador Geral do município, Jaime Garcia, destaca que o afastamento temporário dos secretários de Transportes e Mobilidade Urbana João Luiz Meireles de Souza e do Meio Ambiente Simone Bombassaro faz parte da própria ação policial. Em relação às prisões, foram detidos os dois secretários, o ex-prefeito José Ezequiel Meireles (PDT), um ex-vereador e uma funcionária da Câmara.

Prefeitura

O procurador Jaime Garcia diz que a Polícia Federal segue apreendendo documentos na prefeitura e que está, junto com o secretário de Administração, prestando todo o apoio logístico aos agentes. Além disso, são testemunhas dos fatos e que, até o momento, não tem muitos detalhes sobre a operação. Ele destaca que só sabe que é sobre crimes eleitorais, mas relacionados a gestões anteriores.

“Não tenho conhecimento das prisões, se ocorreram, foram nas residências dos envolvidos. Apenas recebi os pedidos de afastamento e estamos cumprindo”, diz Garcia.

O prefeito Mauro Poeta acompanhou o início da operação e no momento não está na sede municipal. Ele se encontra em atividade externa com grupo de empresários. O gabinete de Poeta não foi alvo de cumprimento de mandados judiciais.

Polícia Federal

Cerca de 150 agentes cumprem mandados de prisão e de busca em Triunfo, na prefeitura, Câmara, escritórios e residências, e na Capital. Além disso, 26 suspeitos estão recebendo ordens judiciais com proibição de ocupar cargos públicos e se já ocupam, devem se afastar. A investigação verificou que o grupo criminoso agia há 20 anos na administração municipal.

Procurador de Triunfo afirma que prefeito não é alvo das investigações:

Operação da Polícia Federal combate crimes eleitorais e corrupção em Triunfo

11 de dezembro de 2013 10

A Polícia Federal realiza nesta quarta-feira (11/12) uma operação para combater crimes eleitorais e corrupção na cidade de Triunfo, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Cerca de 150 agentes cumprem cinco mandados de prisão, seis de condução coercitiva (quando um suspeito é levado para depor na delegacia) e 40 de busca e apreensão no município e também na Capital. Entre os presos, estão dois secretários municipais e um ex-prefeito. A quadrilha agia há pelo menos 20 anos na administração de Triunfo.

Operação TR-01

A quadrilha atuava na alternância de poder naquela cidade utilizando práticas como compra de votos, nepotismo cruzado, cotização e diversas fraudes. Além dos mandados de busca e prisão, a PF cumpriu 26 ordens judiciais de afastamento cautelar e proibição de ocupação de cargo público. Com isso, as pessoas que os receberam não podem ocupar nenhum cargo público, inclusive se for concursado.

A Operação TR-01 abalou a estrutura da quadrilha que buscava a perpetuação na administração no município de Triunfo com uso de cargos públicos e eleitorais para angariar poder e comprar votos com terceirizações e outras práticas criminosas. Dentre os crimes apurados, verificou-se Corrupção Eleitoral, Falsidade Ideológica e Documental Para Fins Eleitorais, Formação de Quadrilha, Fraude em Licitação e Peculato.

Atacadista de drogas procurado pela Interpol é preso no Paraguai em operação da Polícia Federal

03 de dezembro de 2013 0

Um dos maiores atacadistas de drogas de Paraguai foi preso nesta manhã, no país vizinho, durante uma operação coordenada pela Delegacia da Polícia Federal de Caxias do Sul. Aristides Ayala Elizeche, 42 anos, foi capturado por agentes da Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) do Paraguai, em Ciudad Del Este. A cidade era, segundo as investigações da polícia brasileira, onde ele mantinha a base de suas operações. Elizeche é apontado como o gerente de um consórcio de traficantes dos departamentos de Amambay e Concepcion, localizados na fronteira com o Mato Grosso do Sul.

paraguai

A operação da PF de Caxias, com apoio da delegacia de Itajaí, já cumpriu 25 dos 26 mandados de prisão expedidos pela Justiça Federal caxiense. Outras quatro pessoas foram presas em flagrante por posse ilegal de armas.

Os mandados de prisão foram cumpridos em Bento Gonçalves, onde policias apreenderam bananas de dinamite, um detonador, duas armas armas, munição e meio quilo de cocaína, Santa Tereza, Muçum, Marau e Guaporé, no Rio Grande do Sul; Barra Velha, Itajaí, Balneário Camboriú e Camboriú, em Santa Catarina; Santa Terezinha do Itaipu, no Paraná.

Preso chefe da quadrilha que seria responsável por injetar até uma tonelada de cocaína mensalmente no Sul do país

29 de novembro de 2013 0
fraca

Fracalossi foi alvo de duas operações da Polícia Federal (foto: Agência RBS)

O homem apontado pela Polícia Federal como um dos maiores atacadistas de cocaína da região Sul do Brasil foi preso nesta quinta-feira, em Porto Alegre. O empresário do ramo do entretenimento Ademar Fracalossi foi detido na casa onde estava morando, no bairro Cavalhadas. Ele cumpria pena em prisão domiciliar. Porém, teve a prisão decretada pela 7ª Vara Federal do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. (TRF4). Ele tem pena de 16 anos e quatro meses de prisão por tráfico e associação para o tráfico.

Fracalossi investigado e preso duas vezes pela Delegacia da Polícia Federal de Caxias do Sul nos últimos anos. De acordo com a PF, Fracalossi adquiria drogas de cartéis bolivianos e distribuía cocaína nos três estados do Sul. A quadrilha injetava no país até uma tonelada de cocaína mensalmente. O preso, conforme o apurado pela polícia, teria um patrimônio estimado em mais de R$ 30 milhões. Na lista de bens estão imóveis de alto padrão em Porto Alegre e Balneário Camboriú (SC), e carros de luxo e uma casa notuna.

A primeira prisão de Fracalossi aconteceu em 2007, durante a Operação Colméia. Nesta ação, a PF recolheu cerca de meia tonelada de cocaína em 13 cidades de três Estados. Na época, 54 pessoas foram presas. Em Viamão, parte da cocaína estava enterrada no sítio de um dos traficantes. Nos meses seguintes, os suspeitos foram liberados para responder aos processos em liberdade. Eles teriam voltado a traficar, segundo as investigações.

Já em 2010, a PF desencadeou a Operação Espelho. Cerca de 200 agentes prenderam 18 pessoas e apreenderam carros, armas, dinheiro e cocaína. Mais uma vez a polícia apreendeu grande quantidade de cocaína enterrada em tonéis plásticos em sítios com material para a mistura e beneficiamento da droga.

 

Operação da Polícia Federal combate pedofilia em 11 estados brasileiros

19 de novembro de 2013 0

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (19/11) a chamada Operação Glasnost para combater a pedofilia em 11 estados brasileiros. No Rio Grande do Sul, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão em Porto Alegre. A investigação de dois anos identificou quase uma centena de brasileiros envolvidos com a produção e divulgação de imagens com crianças e adolescentes na Internet. A apuração contra a exploração sexual continua com pelo menos mais 200 suspeitos que são alvos de outras ações. São 400 policiais federais cumprindo 80 mandados de busca e apreensão, um de prisão preventiva e 20 de condução coercitiva (quando o suspeito é acompanhado por agentes para depor na delegacia).

Material apreendido será periciado. No RS, foram cumpridos 4 mandados / Foto: Divulgação

Material apreendido será periciado. No RS, foram cumpridos 4 mandados / Foto: Divulgação

Investigação

De acordo com a Polícia Federal, fotos e vídeos de crianças, adolescentes e até de bebês, muitos deles sendo abusados sexualmente por adultos, eram produzidos e enviados para diversos lugares do Brasil e do exterior. Três suspeitos já foram identificados, sendo que um deles abusava da própria filha de cinco anos. Entre os envolvidos, há professores, chefes de grupos de escoteiros, policial militar e oficial da Aeronáutica.

FBI

O FBI está colaborando com a Polícia Federal nas investigações, já que brasileiros pedófilos que residem nos Estados Unidos foram identificados.

Mandados judiciais

Os 100 mandados foram cumpridos nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Alagoas, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Bahia e Goiás. Todo o material coletado durante o cumprimento dos mandados de busca será periciado e analisado a fim de que sejam identificados abusadores e produtores de material pornográfico infanto-juvenil, podendo servir ainda de base para o início de novas investigações.

Polícia Federal confirma suspeita de trabalho escravo em operação que fechou ‘fábrica de CDs e DVDs piratas em Caxias

12 de novembro de 2013 0

Os três homens presos na operação Escravo Digital na manhã desta terça-feira em Caxias do Sul também vão responder pelo crime de trabalho escravo. Na casa onde eles foram presos, no bairro Esplanada, os agentes da Polícia Federal encontraram uma ‘fábrica’ de CDs e DVDs piratas.

Os policiais cumpriram quatro mandados de busca e apreensão no bairro Esplanada. Além da casa onde estavam os homens presos, os agentes foram até as casas onde moram oito vendedores ambulantes que comercializavam esse material. Em depoimento, eles confirmaram que vinham do Nordeste, a maioria do estado da Paraíba, e trabalhavam em regime de escravidão. Eram submetidos a a longas jornadas de trabalho e precisavam vender uma determinada cota diária para pagarem as despesas da viagem até Caxias.

De acordo com o delegado chefe da Polícia Federal de Caxias, Noerci Melo, na casa do bairro Esplanada foi encontrado um caderno com anotações que mostrava uma dívida de cerca de R$ 17 mil que um dos ambulantes tinha com os presos.

Desarticulado esquema de produção e venda de CDs e DVDs piratas em Caxias do Sul

12 de novembro de 2013 0

Uma investigação integrada entre Polícia Federal, Ministério do Trabalho e Ministério Público do Trabalho localizou uma ‘fábrica’ de CDs e DVDs piratas no bairro Esplanada, em Caxias do Sul. O material, segundo a Polícia Federal, era distribuído para toda a região serrana. Três homens; de 19,44 e 45 anos, foram presos em flagrante por violação de direitos autorais. Os policiais cumpriram quatro mandados de busca e apreensão em residências no bairro Esplanada no início da manhã desta terça-feira.

Porém, segundo o delegado chefe da Polícia Federal em Caxias, Noerci Melo, além dos produtos falsificados, há a suspeita de que os ambulantes que comercializavam esses produtos eras submetidos a trabalho escravo. Esses ambulantes vieram do Nordeste do Brasil, principalmente da Paraíba.

“A suspeita é de que eles (ambulantes) eram trazidos para a região e precisavam vender uma determinada cota diariamente para pagar a conta da vinda deles para a cidade. Se não vendesses eram ameaçados”, explica o delegado.

Na casa onde os três homens foram presos, os policiais encontraram cadernos com anotações do controle das vendas dos CDs e DVDs com os nomes das pessoas. Nas outras três casas onde foram cumpridos os mandados de busca e apreensão, ninguém foi preso. Essas pessoas apenas foram levadas à delegacia da Polícia Federal de Caxias para prestar depoimento, pois estariam sendo explorados. Todos são, na maioria, da Paraíba.

Os três presos são dos estados da Paraíba e do Rio Grande do Norte.

 

Casa no bairro Esplanada, em Caxias, funcionava como a ´fábrica' do material. (Foto: Suelen Mapelli)

Casa no bairro Esplanada, em Caxias, funcionava como a ´fábrica’ do material. (Foto: Suelen Mapelli)

Procurada pela Interpol integrava bando que abastecia parte do RS com maconha do Paraguai

16 de outubro de 2013 0

A mulher que integra a lista dos 10 brasileiros mais procurados pela Interpol é um dos vértices de esquema que abastecia parte do Sul do país com drogas trazidas do Paraguai. A catarinense Sônia Regina Gomes, 36 anos, radicada em Caxias do Sul, está sentenciada a 14 anos e cinco meses de prisão por tráfico internacional e associação para o tráfico. Ela é, segundo uma investigação da Delegacia da Polícia Federal caxiense, integrante da quadrilha responsável pelo fornecimento de maconha no Rio Grande do Sul, a partir de Caxias do Sul. Ela está condenada ao lado de outras 24 pessoas pela Justiça Federal e com mandado de prisão expedido desde 14 de março deste ano. A preventiva tinha validade até 4 fevereiro de 2033.

sonia

A condenada por tráfico também está com prisão decretada pela 1ª Vara de Execuções Penais e Corregedoria dos Presídios do Paraná desde janeiro deste ano. Ela fugiu da Cadeia Pública Laudemir Neves, em Foz do Iguaçu ainda em 2012. A traficante foi presa durante uma abordagem de rotina da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em São Marcos, quarta-feira à noite. Ela estava com documentos falsos e acompanhada de um homem com passagens pelo sistema prisional.

Sônia foi presa em novembro de 2012, quando a Polícia Federal deflagrou a Operação Santa Fé, fazendo prisões nos três Estado do Sul do país e no Paraguai. Depois de presa, ela foi transferida para o Paraná, de onde fugiu. Nesta oportunidade, 13 pessoas, incluindo os líderes, foram capturadas. O homem apontado como o chefe do bando é um caxiense que também responde por homicídios na cidade.

A ação da PF aconteceu depois de cinco meses de investigações que contaram com apoio de informações obtidas pela Agência Regional de Inteligência da Brigada Militar e da Força-tarefa criminal do Ministério Público de Caxias do Sul.  Parte do bando foi presa ao longo das investigações. O esquema passou a ser alvo da PF quando a BM apreendeu 690 quilos de maconha em um apartamento de classe média no bairro Santa Catarina, em Caxias, em 2011.

Agentes iniciaram o monitoramento do bando e ao longo das investigações, conseguiram apreenderam um total de 4,7 toneladas de maconha. Segundo o que foi apurado no inquérito, os criminosos adquiriam maconha no Paraguai e traziam para Caxias do Sul, onde ela ficava armazenada. Além de Caxias, aconteceram prisões na Região Metropolitana do Estado e no Paraná.

As apreensões da PF

7 de novembro  de 2012: Prisão de dois réus e apreensão de 329,5 quilos de maconha em Caxias do Sul

5 de novembro de 2012: Prisão de dois réus e apreensão de 14,5 quilos de maconha em Garibaldi

4 de outubro de 2012: Prisão de um réu e apreensão de 1.131,9 quilos de maconha em Porto Alegre

21 de setembro de 2012: Prisão de uma ré e apreensão de 83 quilos de maconha em Caxias do Sul

16 de setembro de 2012: Prisão de duas rés e cinco réus e a apreensão de 2.255,4 quilos de maconha em Foz do Iguaçu (PR)

10 de julho de 2012: Prisão de casal de réus e apreensão de 5 quilos de crack em Santa Helena (PR)

7 de julho de 2012: Prisão de dois réus e uma ré e apreensão de 79,2 quilos de maconha em Caxias do Sul

25 de junho de 2012: Prisão de dois réus e apreensão de 82 quilos de maconha em Pinhalzinho (SC)

19 de junho de 2012: Prisão de um réu a apreensão de 30 quilos de maconha em Curitiba (PR)