Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "sobre o blog"

Quem precisa de mais uma mãe blogueira?

29 de setembro de 2012 0

Uma querida amiga minha, mãe de uma linda guriazinha pouco mais velha do que a Lina, revelou esta semana que está pensando em fazer um blog sobre a maternidade. Jornalista e tradutora como eu, ela pensa, como eu, que pode ser bacana ter um espaço onde dividir nossas impressões e sentimentos. Não sei se as dúvidas dela são as mesmas minhas, mas, já que eu já tenho este espaço aqui, peço carona no assunto trazido à baila por ela para dividir as minhas primeiras considerações com meus supostos dezessete leitores.

1 – Alguém precisa de mais uma mãe blogueira?
2 – O que eu posso dizer sobre a maternidade que já não tenha sido dito milhares de vezes?

3 – Alguma coisa que eu possa dizer sobre a minha experiência pode vir a ajudar alguém?

4 – Será que as coisas que eu escrever não podem vir a se transformar no futuro em motivo de vergonha para a minha Lina adolescente?

5 – Tenho eu direito de expor minha pitoca, por menos leitores que possa ter este ou qualquer outro blog que eu venha a fazer?

São questões básicas, básicas, mas que, acreditem, têm tomado parte do tempo que passa tão rapidamente nesta minha licença que se aproxima do fim.

Com licença, maternidade

23 de agosto de 2012 0

Durante a gravidez, fiz várias vezes a autocrítica de como estava monotemática. Mal sabia que depois do nascimento da minha filha a situação só pioraria. Nas primeiras semanas, pensei seriamente que meu cérebro jamais voltaria a absorver qualquer informação ou conhecimento que não estivessem relacionados àquela criaturinha linda, apaixonante e frágil no meu colo. Quatro meses e meio se passaram, e há alguns dias, naturalmente, comecei a pedir licença à maternidade e a olhar um pouco ao redor.  Sigo completamente apaixonada, minha filha está cada dia mais linda e ainda me parece frágil, mas começo a perceber que posso aproveitar o fato de ser mãe da Lina e continuar interessada no mundo ao redor ao mesmo tempo. E essa percepção tem sido libertadora.

Este blog nunca foi sobre tema algum. Como disse na minha apresentação: “Jornalista, tradutora, arquiteta de informação, gerente de projetos e professora de jornalismo online, tudo ao mesmo tempo agora, sou incapaz de concentrar meus interesses numa área só. Com preguiça de ter um blog para cada assunto, acabei optando por este, que fala de tudo um pouco – e, claro, de quase tudo mal.” O descompromisso com a profundidade sempre foi uma marca deste humilde e, mesmo assim, impressionantemente, cheguei a ter uma clientela fiel, que muito me animava a buscar novas informações sobre velhos interesses e novos interesses. Em busca desse estímulo, declaro o blog oficialmente “desparalisado” para assuntos que não apenas… a maternidade.

***

P.S.

Bendita seja a licença-maternidade. Bendita ao cubo seja a licença-maternidade de seis meses – que pode ser aumentada com um mês de férias. Porque só assim uma mãe consegue passar por esse processo que estou passando com um quê de tranquilidade.

Mas, vamos combinar, querido tempo, será que dá para passar um pouquinho mais devagar nos próximos dois meses e meio? ;-)

Da relação entre o volume de posts e a movimentação da vida

14 de setembro de 2011 1

Desde que criei meu primeiro blog em dezembro de 2003, passando pela adoção do Twitter e do Facebook, venho tentando compreender a relação existente – se é que existe – entre o volume de posts que publico/cometo e a movimentação da minha vida. A conclusão é que não consigo chegar a conclusão sobre o assunto.

Houve períodos de muito, muito trabalho em que eu postei ensandecidamente no twitter e no blog, como se quanto maior fosse a minha produtividade profissional, mais intensa se tornava a minha capacidade de escrever rapidamente sobre qualquer assunto. (Ah, sim, este tanto é fácil de confirmar: nunca um post me toma mais do que 15 minutos, por mais longo que seja. Faço um blog pessoal e sem pretensão, não jornalismo.)

Em contrapartida, há momentos da vida como os das últimas cinco semanas em que muita, muita, muita coisa acontece, e eu fico muda. Mas não é o excesso de coisas que me paralisa ou me impede de me manifestar no blog ou nas redes sociais – eu não acredito que a troca de informações em twitter e facebook seja coisa de desocupados -, é um je ne sais quoi que, imaginava, a tal relação iria explicar.

O fato hoje é que me dei conta de que faz mais de um mês e meio que não escrevo aqui. Agosto passou incólume – e, acreditem, poucos meses da minha vida foram tão relevantes para todos os aspectos da minha vida quanto o mês de agosto de 2011. Não que vá fazer alguma diferença na vida dos meus queridos 17 leitores, mas prometo voltar logo.

Um retrato da minha irrelevância

02 de julho de 2011 2

Deparei esta semana com o site wordle.net. Por curiosidade,  submeti este humilde à sua análise, e ele me devolveu um instantâneo da irrelevância que grassa por aqui.

As buscas voltaram!

14 de junho de 2011 2

Desde outubro do ano passado não faço posts “momento oráculo” por problemas na ferramenta de estatísticas. Eis que desde a semana passada estou conseguindo novamente ver que tipo de busca traz viventes desavisados a este tão parcamente atualizado blog. E então vão daqui as minhas respostas e ou observações às buscas dos últimos três meses, para não deixar os pobres ainda mais perdidos.

cassia zanon – sim! eu mesminha!
o dia se espatifa – onde mais?
ninfetas transando videos gratis – pelamordedeus! como é que tu chegou aqui, criatura? e vê lá, que eu chamo a Olivia Benson
chulé sapatilha – tava demorando… impressionante. e eu nem tenho chulé.
frases sobre lixo – #oi? deve ser para trabalho de colégio, né?
penelope cruz denise fraga – sim, sim. separadas no nascimento. eu sempre soube.
cássia zanon – sim, é com acento
chulé em sapatilha – já tentou talco?
frases de lixo – tô começando a achar que é algo contra o que eu escrevo.
chule e sapatilha – pelo jeito combinam superbem, considerando o quanto se busca isso no google.
tá ligada – infelizmente, tô. e é uma das expressões que eu mais abomino nessa vida. tá ligado?
frases implicantes – ah, isso é o que mais tem…
chule sapatilha – been there, não?
cássia zanoni – sobrou um “i”
receita de linguado grelhado do gambrinus – bá, não sei fazer igual. mas é bom, né?
frases sobre implicância – por que alguém procura por isso, gente?
depoimentos para amigos implicantes – se tu vai copiar, vai gerar mais implicância, já parou pra pensar nisso? pensa numa sozinho, criatura!
como tirar chulé de sapatilha – ADORO perguntas do tipo “bola de cristal”
samantha geimer história – bá, daí tu te deu bem. porque eu reproduzi aqui um texto maravilhoso do Sérgio Augusto sobre o que ela fez com o Polanski
bruna nervis twitter – o secreto dela não adianta. ninguém sabe qual é…
tradução de musicas que se refere a alienados - hahahahahaha
como transar o çintos - eu tava jurando que era alguma tara, mas com a superajuda da minha querida @lizicordeiro descobri que a intenção era descobrir “como trançar o cinto”. confesso que não çei!
nonsense bial - nonsense é pouco. eu ando pensando em coisas muito mais ofensivas sobre ele, para ser sincera #pavordobbb
net porto alegre fatura – chegou errada, é?
baixar “alain de botton” a arquitetura da felicidade – pô, compra o livro. é baratinho. e ainda ajuda a nossa indústria editorial a se manter funcionando.
queridice dicionario – por aqui? difícil…
uso e irrelevâncias no orkut – posso ajudar com a parte das irrelevâncias. serve?
jogo ironia atropelador ciclista – muito tri, né? o link para ele tá aqui.
em 2009 a quem pertencia a gvt – nem ideia. descobriu?
frases implicantes para msn – qual a diferença entre uma frase para msn e outra não para msn?
tirarchule de sapatilha – na boa, joga fora a sapatilha, tchê!
“falta de etiqueta no trabalho” - é uma indireta?
estupro “perdão da vítima” 2010 – meu deus, por que a pessoa chega aqui procurando por isso? nem eu sei
como enxergamos a nós mesmos – tu eu não sei, eu me enxergo muito melhor do que deveria ;-)
romance biografico – tipo assim, dá pra ser mais específico? ou é cola para trabalho de colégio?
incoerencia – total e absoluta. sempre. ou quase sempre.
balaio tem acento?? – ONDE TERIA??????? baláio? balaío? #pordeus
cartão de aniversário para a amiga “perua” – hahahahahahahaha. coitada da amiga
a voz do brasil ironia – parece que não se trabalha com isso por lá.
tumblr mais divertidos e ironicos – não sei julgar.
matÉria do jornal nacional ensinando como tirar chulÉ de sapatilha – tá brincando que teve isso???
a melhor resolução de todas – a minha foi esta aqui
amizade de aluguel – olha, dependendo da oferta, negocio.
depoimentos prontos saudades da minha implicante – #oi? me dá um pouco do que tu bebeu?
terapeutas naturistas porto alegre hagah – não seria “naturais”?
capitulei – indeed. eu também.
alienação pedro bial – parece que ele adotou como nome do meio
como tirar chulé de sapatilhas – e-u-n-ã-o-s-e-i! caramba!
o gugol musica - ai, por que eu tenho medo de pensar que alguém ache que realmente se escreve assim?
classificados odia 25 de setembro de 2008 – nossa… o que é que estava a venda nesse dia?
pra que serve a hora do brasil – para chatear quem volta para casa de carro e sem mp3player entre as 19h e 20h, claro.

Quem procura acha... aqui?

23 de outubro de 2010 1
Passou-se um mês desde o último levantamento e, afinal, chega o momento que todos estavam esperando! O post das buscas que trouxeram gente até aqui. Vamos, pois, ao momento oráculo de outubro.
cassia zanon - exato! ponto para você!
sapatilha chulé - chega a ser inacreditável a extensão do problema, tamanha a quantidade de vezes que esta busca aparece por aqui!
diquinha amiga +luis - serve uma diquinha inimiga?
futebol e politica não se discute - a não ser que estejamos todos do mesmo lado. inclusive fiz um post sobre isto.
como tirar chulé da sapatilha - olha, usar meia e talco, imagino que previna. mas quem sabe tu desiste de usar a sapatilha e compra umas havaianas?
“ficar é o novo ir” - depende pra onde, né?
praticando o desapego - faz bem.
ver çintas de senhora - çinto muito, mas não entendi o objetivo.
coisas aleatórias sobre ti – sobre mim? fofa, querida, expansiva, implicante, leitora voraz, geek… tá bom assim? ahhhh, era sobre TI! if, then, else, essas coisas? não entendo muito não.
o dia se espatifa – bingo!
gugol musicas tema da borboleta - oi? achou? agora me mostra o que é?
frases para alguem implicante - que tal… “deixa de ser implicante!” ou “como tu é implicante!” ou ainda “seu implicante!” e também o simples porém singelo ” feio!”
jogos de iscala - iscala??? daqueles que çobem montanha?
blog como o tempo passa - passa, mesmo. mas é divertido ainda assim.
jogo de se espatifar no chao - não, menino! vai se machucar todo!
descobriu que tenho chule - quem? e fez o quê?
transar com ninfetas é crime pelas leis - É SIM!!!!
as tela vista baby – hahahahahahaha. esta é a minha preferida
sapatilha tom cruise – na verdade ele usa salto alto, né? #baixiiiinho
dizer que estÁ tudo bem - assim, ó: “está tudo bem”.
minha sapatilha da chule - então compra uma de melhor qualidade!
falta de etiqueta no trabalho - é triste.
download livro “arquitetura da felicidade” – se descobrir onde tem, me avisa?
vendedor: alô, bom dia, poderia falar – não estou interessada, obrigada.
google.com anonimus gourmet porto alegre - tia, pede pro teu filho explicar como usa isso aqui, vai…
25 piores defeitos humanos - só 25???

Superego, chulé e felicidade - das buscas que me divertem

20 de setembro de 2010 0

Não tenho sobre o que escrever? Meus problemas sempre acabam quando dou uma espiada nas buscas que têm trazido gente até este humilde. E os seres consultantes do grande oráculo gúgol não cessam de me espantar. Vamos então ao que rolou por aqui nos últimos 30 dias.

frases de implicancia – se tá querendo colar é porque a implicância não é genuína. implicâncias são belas geradoras de frases per se.

felicidade é - se descobrir, me conta?

fromspring.me - é FORMspring, criatura! e eu acho um saquinho, to be quite honest.

pontos que eu faco em cruz - como eu vou saber, se é tu quem faz?

www.fromspring.me - enquanto não mudar o que tá errado, vai continuar caindo aqui!

cassia zanon - presente!

o dia se espatifa - achou!

dona de casa - só nas horas vagas, obrigada.

sapatilha chulé - não tenho. o chulé, i mean. sapatilhas eu tenho. #adoro

cassia - yo!

frases sobre lixo - oi? era um tema de escola? que medo desses alunos de hoje, meu deus.

como tirar chule de sapatilha - no meu tempo tinha um talco chamado tênis pé baruel. não sei se funciona, mas, sei lá, tenta.

alain de botton - adoro. escrevi sobre ele algumas vezes por aqui, mas tô com preguiça de dar link neste momento.

etiqueta ao longo dos tempos - a teoria melhorou bastante, já a prática… dose…

frase de implicancia - no singular dá igual que no plural, viu?

chulé sapatilha - tá feia a coisa, hein, amiga?

carl hiaasen caça turistas - ótimo livro! achou já? não empresto, mas posso vender. caro :-p

cronica zaffari ricardo freire - achou? é muito bacana, mas não sei se ainda está na web :-(

significado de implicancia - (im.pli.cân.ci:a) sf. 1. Manifestação ou sensação de má vontade, de antipatia; BIRRA; CISMA; IMPLICAÇÃO: Tenho implicância com bajuladores. [ antôn.: Antôn.: empatia, simpatia. ] 2. Impertinência, provocação: Não cedeu o lugar por pura implicância. [F.: implicar + -ância] Tá lá no aulete.uol.com.br, o melhor dicionário de português de acesso livre online. #ficaadica

frases sobre chulé - sério??? pra quê, pelamor?

www.clicrbs.com.brcom.br - não, assim não vai rolar. tenta de novo: www.clicrbs.com.br.

fromspring - tu tá brincando comigo, né?

cameron diaz chulé – amiga, se ela tem chulé ou não não interessa! vai cuidar da tua sapatilha, que é melhor…

www.semprefeliz,com.br - só se o ser for idiota, né? ou estiver sempre chapado… tira a vírgula e vê se funciona.

como tirar chulé de sapatilhas - a esta altura tu já descobriu? já pensou em botar fora?

paco sanchez - querido! baita professor! me acho só por ter tido aulas com ele…

cronica de ferias humoristica - problema com plurais, we have?

dialogos comidas - pode desenvolver melhor? diálogos sobre comida? diálogos com comida? diálogos depois da comida?

frase de sapatilha - hahahaha

borboletas no estomago - azar, eu curto

denise fraga penelope cruz - ainda vou usar essas buscas como prova científica de que, sim, as duas foram separadas no nascimento. só que uma tem um cabeleireiro melhor…

sapatilha da chule - dá! tu ainda não percebeu? compra sandália! ou usa com meia de algodão, quem sabe?

porto alegre melhor lugar para se ficar - eu curto a minha casa.

querido diário de agosto dia 12 - oi?

o dia 1 - é o primeiro dia do mês

crônica de cada escolha uma renúncia - verdade. não fiz uma crônica sobre isso, mas concordo.

e obrigatorio ter razão social - obrigatório não é, mas ajuda, né?

autores de filmes - quais? meus preferidos são italianos, judeus ou descendentes.

melissa x chulé - que fixação!

chulé de sapatilha - vou transformar o blog em um blog temático: sapatilha se espatifa.

reciclar é preciso livro - depende do livro. tem coisa que eu não dou, não empresto e não troco, sorry.

o’que quer dizer as tela vista baby - hahahahahaha! eu me divirto…

o que é falta de etiqueta - é grosseria, falta de noção… entendeu?

sapatilhas sao chule - não, não é bem assim. uma coisa é uma coisa, outra coisa… bom, outra coisa fede.

vizinhos indecentes - ui! me conta!

blog super ego - duas coisas meio contraditórias. se meu superego funcionasse direito, provavelmente eu não teria este blog. mas, enfim.

O tempo passa, o tempo voa...

17 de setembro de 2010 1

… e eu, antes de começar a escrever, me pergunto que fim levou o barbudo da propaganda do Bamerindus.

Quase dois meses sem passar por aqui. E não que eu não tenha nada a dizer, pelo contrário. De 26 de julho pra cá, assinamos um contrato de financiamento imobiliário de 30 anos, usei os limites dos meus cartões de crédito parcelando material de construção,  finalizamos uma obra, fiz a 14ª mudança da minha vida e depois de muitas caixas abertas, muitas espanações, muitas doações de objetos e roupas que podem servir melhor a outras pessoas do que a mim, estou aqui sentada no meu novo escritório, de frente para o Márcio, pensando em quantas coisas ainda queremos fazer.

Em julho, eu havia retomado a publicação de posts. Como de costume, não havia qualquer intenção de gerar relevância ou reflexões importantes, apenas uma maneira de me conectar com meus poucos porém qualificadíssimos  leitores e de ter um registro divertido para, daqui a um tempo, lembrar do que me vinha ocorrendo. Porque, sim, eu ainda acredito no “blog” como um diário, um registro, uma marca. Deixei de registrar, por exemplo, várias coisas bacanas que rolaram e estão rolando na firma e perdi o timing.

Porque este blog é um pouco o meu jeito de cumprir parte do que determina a sabedoria popular sobre realização pessoal: plantar uma árvore, escrever um livro, ter um filho. Enquanto não escrevo meu livro, fico deixando minhas mal digitadas linhas por aqui. A árvore, plantei há três semanas no jardim da casa nova – uma bergamoteira, a Maricota. O filho? Espero do fundo do coração que venha quando estiver pronto para vir.

Jogo de se espatifar, sapatilha com chulé e mais buscas que trouxeram gente até aqui

26 de julho de 2010 2

Mais de dois meses se passaram, e chega o momento de fazer um novo levantamento das buscas que trouxeram internautas (incautos ou não) até este humilde. Vamos às respostas da vez.

samantha gailey depoimento completo em português – não tem aqui. mas já que puxaram o assunto, eu gostei de o polanski ter sido libertado. #prontofalei

como fico sabendo se uma pessoa É cadastrada – onde? independentemente… não sei.

jornalista rbs colorada gaucha – presente! embora eu ache que tenha muitas outras  qualidades e defeitos que me identifiquem além desses.

frases sobre educação – oi? tentando colar para um trabalho de pedagogia ou é impressão minha?

sapatilha de plastico popular – bá, não recomendo. deve dar muito chulé.

frases de implicancia a homem – tenho muitas. mas procuro reservá-las aos dias de TPM.

arquivo by cobaia – oi?

dave eggers histórias curtíssimas – tem isso é? não li. dele, recomendo fortemente Uma comovente história de espantoso talento, sobre o qual ainda escreverei um dia.

praticando o desapego – sempre. infelizmente, nem sempre com sucesso.

como fazer uma melissa dar de si? – pedindo com jeitinho, de repente?

como tirar chulé sapatilha – jogando ela no lixo e comprando uma nova?

carnaval iscala rio – não intendi a pergunta

jogo de se espatifar – não conheço. mas não me convida pra jogar, por favor… #medo

Felicidade é quando o último canapé da bandeja sobra para você. – Bem disse o Luis Fernando Verissimo na crônica pra qual eu dei link aqui

denise fraga penelope cruz – sim, sim, também acho iguais. cansei de dizer.

cronicas sempre feliz com voçe – com voçê, eu não çei…

home lenoxx ht 718 reclamação – pra mim não reclamaram, não

+denise+fraga+penelope+cruz – idênticas!

eu não quero mais blog – então termina com ele, ora!

frases implicantes - tenho muitas. confere na categoria “implicâncias implicantes

como ganham os vendedores de emprestimos – enganando os coitados que tiram os empréstimos.

menino do pijama listrado corby – lindo livro! não vi o filme.

música bonita – uma só?

não quero ter razão quero ser feliz – bem o disse o maior poeta brasileiro vivo: ferreira gullar

idéias de tweets - vai inventar os teus!

como fazer buscas no google - acesse www.google.com e digite a busca no campo de busca :-)

arquitetura da felicidade 500 dias com ela – sim, escrevi sobre os dois aqui

aste la vista baby significado – hahahaha. de novo?

calçados de plastico dão chulé??? – que que tu acha? (melissa não dá, incrivelmente…)

terapia x criatividade – parece que a terapia ganhou a partida. triste, mas é a realidade.

Reciclar é preciso? Ou de quando tweets iam para o blog

22 de julho de 2010 1

Num momento insone, me dou conta de que este blog, ou seu primeiro antepassado, vá lá, tem mais de seis anos de existência. Funçando nos arquivos de cinco anos atrás, encontros dois pré-tweets que achei bacaninhas.

Máxima gramatical
Crase é como vírgula: melhor faltar do que sobrar. 
(Numa tentativa de fazer os colegas compartilharem da minha compreensão empírica da língua portuguesa.)

Máxima musical
Beatles é como Chico: a gente sabe que é bom, mas sempre que ouve se dá conta de que, POR*A, É BOM PRA CA*ALHO!