Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de outubro 2008

Já subiu, Leão

31 de outubro de 2008 31

Da esquerda para a direita: Hermínio, Ricardo (Maionese), Castiel, Alemão Marcelo, Vitor, Pedro e Olídio

Eu queria chegar na redação, após a cobertura ao vivo do jogo, para fazer um post sobre a jornada memorável da sexta-feira.

Trancados no trânsito, apelamos para a casa do fotógrafo Hermínio Gomes, que fica perto do aeroporto, como base para a equipe da RBS, para enviar o restante do material e, claro, escrever este post.

Não tem mais volta. O Avaí é Série A.

Em tempo: público de 12.450. Tá bom?

Vou ser sincero: que bom se os dois representantes ficassem na Série A. Seria incrível para um município como Florianópolis.

A noite é de festa. O sábado de alegria. E o domingo de preocupação com o que vai acontecer com o Figueirense.

Mando um agradecimento à equipe multimídia da RBS no jogo de hoje. O pessoal do DC Online, Vitor e Pedro, os fotógrafos Ricardo, o Maionese, e Hermínio, o motorista Olídio, mais o pessoal da retaguarda, o Alemão Rodrigo e a Patrícia, além do Alemão Marcelo, da técnica, mais a galera do clic, o Paulinho, Jorge e Maycon, todos deram um banho!

Postado por Marcos Castiel

Bookmark and Share

Avaí x Ponte Preta - comentários ao vivo

31 de outubro de 2008 7

Acompanhe aqui os comentários ao vivo de Castiel do jogo Avaí x Ponte Preta, direto do Estádio da Ressacada em Florianópolis. Fique por dentro dos bastidores da partida no blog Pré-Jogo e confira a transmissão da rádio CBN/Diário.

Para acompanhar os comentários, clique no botão de play abaixo de “Veja Agora”. Todos os comentários feitos por internautas durante a transmissão aqui no blog do Castiel passam por moderação por um jornalista do diario.com.br.

Postado por Castiel

Bookmark and Share

Cobertura total na Ressacada

31 de outubro de 2008 23

Hoje à noite é dia de blog ao vivo da Ressacada. Os blogueiros de todo o mundo que participam, mais o pessoal espalhado pelo Brasil e pelo Estado também transformam o acompanhamento da partida num bate papo animado e inteligente.

Quem não pode vir à Ressacada – espero que 12 mil o façam – acompanha o pré-jogo no ClicRBS, e, uma horinha antes, já estou no estádio e no ar para começar a conversa. Durante o jogo, o blogueiro fica no pay-per-view, na CBN, no Minuto a Minuto, no celular para quem está no estádio e, paralelamente, discute tudo aqui.

Ao longo da jornada, esclareço dúvidas, dou o meu pitaco sobre o jogo, comento os lances mais legais. A equipe do DC Online garante a publicação de vídeos e fotos exclusivas, feito por uma equipe especialmente designada para ajudar o blog, além de convidados que recebo na cabine e, também, material instantâneo dos fotógrafos do DC. Interatividade total.

Estão todos convidados. No último jogo, o blog bateu todos os recordes de acessos com o “ao vivo” do jogo com o Marília.

Postado por Marcos Castiel

Bookmark and Share

A triste sina dos apagões

30 de outubro de 2008 79

Depois de uma hora e meia de apagão no Scarpelli, depois do jogo reiniciado, não é que houve um segundo apagão?

Que noite estranha! Primeiro, até nos poucos minutos de jogo que houve tivemos outros apagões paralelos.

Um deles, o pênalti maluco que o árbitro deu.  Se foi “mão na bola” do Jackson, então foi o mesmo do Conca. Foi lamentável a interpretação.

Outro apagão foi do atacante Washington, que bateu o  pênalti na lua.

E, por fim, o apagão do time, que já perdia por 1 a 0 quando a luz foi embora novamente.

Dos males, o menor. O Figueirense seria goleado novamente, como o blog advertiu anteriormente, graças a uma escalação estapafúrdia.

A questão é que a luz voltou, pela segunda vez, quando o cronômetro do árbitro marcava 29 minutos. E agora? A regra manda esperar por 30 minutos.

Mas o árbitro optou por cancelar a partida, já que grande parte do público havia deixado o estádio.

Outra, o regulamento estabelece que a partida deve recomeçar no dia seguinte. Mas o diretor da CBF, Virgílio Elísio, entrou no ar na CBN e transferiu a partida para a próxima quarta-feira.

Pensei que a Ilha era dos casos e ocasos raros. Agora, o Continente reclama sua parcela de maluquices.

Senhores, vivemos uma das noites mais esquisitas da história do Scarpelli. O que mais deixa a todos preocupados, é saber que Mário terá de repetir a escalação lamentável no reinício do jogo, na próxima quarta-feira.

Postado por marcos_castiel

Bookmark and Share

Apagão no Scarpelli

30 de outubro de 2008 43

Ricardo Duarte

Ontem  fez cinco anos do Apagão em Florianópolis. Nesta quinta-feira, como que para lembrar, o fato se repetiu, só que, ao invés de ocorrer na Ilha, se deu no Estreito.

 

Às escuras. Assim foi a entrada de Figueirense e Fluminense no gramado do Scarpelli. 
 

Um curto circuito simplesmente deu uma pane no sistema de iluminação do estádio. O incidente foi provocado por tirinhas metálicas que escaparam da nova torcida feminina do Figueirense, a “Elas”.

 

Será que foi para adiar a apresentação da nova camisa, aquela bem polêmica que o Figueira resolveu apresentar ontem?

 

Apesar de estranho, o espetáculo nas arquibancadas, com os luminosos, ficou bonito. Esfriou os times, é verdade, mas esquentou a galera alvinegra, que não parou de cantar um só minuto.

 

Era a certeza de que haveria apoio incondicional ao time na difícil tentativa de superar o Fluminense.

 

Agora, convenhamos, lamentável a declaração do goleiro do Flu, Fernando Henrique, suspeitando que as luzes tivessem sido desligadas para ver o resultado do Vasco.

Alguém avise a este moleque que este tipo de prática pode ser comum no Rio de Janeiro, não aqui.

ATUALIZAÇÃO DO BLOG (22h)

Volta à luz para o estádio. Vai rolar o jogo. Depois dos 90 minutos, claro, a crônica aqui.

Postado por Marcos Castiel

Bookmark and Share

Ramón, Tadeu e só um atacante

30 de outubro de 2008 47

Sem Alex, formação da zaga alvinegra terá um grande teste: marcar Washington/Roberto Scola

Que Deus tenha piedade do alvinegro

A reportagem do DC chegou, ontem, na entrevista, após o treino do Figueirense e pediu, como de costume, a escalação ao técnico Mário Sérgio.

Um pedido rotineiro, para constar, porque nunca os técnicos divulgam a escalação com antecedência.

Eis que Mário Sérgio olha para todos…faz uma pausa…coloca a mão no bolso…puxa um papelzinho…e põe-se a ler a escalação do Figueirense para enfrentar o Fluminense, nesta quinta-feira.

Vamos ao time, desde que não seja Migué do Mário. Aliás, tomara que seja:

_ Wilson; Gomes, Bruno Perone e Asprilla; Diogo, Jackson, Marquinho, Cleiton Xavier, Ramón e William Matheus; Tadeu.

Bom, confirmada esta escalação, percebemos que o excecrado Ramón está mantido no time. Vemos que a equipe conta com apenas um atacante, o contestado Tadeu. Notamos que Cazumba perdeu a vaga para o incerto William Matheus. Observa-se que Diogo é retirado de onde rende razoavelmente bem, o meio, e enfiado na ala, onde não acerta um cruzamento ou passe.

Soma-se a isso, a mistura explosiva de Perone, Asprilla e Gomes, para bater cabeça com Washington, este ali na espreita. O meio com Jackson e os leves Marquinhos e Cleiton leva a uma tendência de time recuado, pela ausência de um meia que funcione como segundo homem e faça a ligação imediata após o desarme. Esta situação força o recuo ou de Marquinhos, ou de Xavier, facilmente marcados quando posicionados antes do meio-campo.

Esta seria uma formação que encaixaria bem com contra-ataques rápidos. Mas como isto pode funcionar com Ramón e Tadeu. Bruno Santos, já liberado pelo departamento médico, Ricardinho ou Rafael Coelho, qualquer um destes, nesta formação, seria mais útil.

Enfim, temos, aqui, uma escalação que me desagrada por completo. Diria, eu, prenúncio de catástrofe. Mas, como o futebol gosta de desafiar a lógica, estarei esta noite no Scarpelli desprovido de espírito crítico.

Não vou nem nas cabines. Concedi uma folga a este escriba. Sentarei, incógnito, junto a companheiros tradicionais, alvinegros fanáticos, ali na ponta esquerda das cadeiras. Acabo torcendo junto. Como faço quando vou na Ressacada de folga, só que na ponta direita.

Como falei em outro post, não é hora de avaliar, criticar e, sim, incentivar. E, isso, vai ocorrer, com certeza, por parte da torcida.

Mas vou levar o lap top e escrever algumas idéias, e, logo depois do jogo, subo ali nas cabines e mando ver num post. A discussão, com certeza, em caso de vitória ou derrota, vai ser longa.

Postado por Marcos Castiel

Bookmark and Share

Vassoura no pessimismo com o alvinegro

29 de outubro de 2008 87

Tadeu e William se sentiram mal após treino puxado/Roberto Scola

Diante da última barca, opção é pela instituição

Os avaianos vão dizer que é o efeito “Café com Brócolis”. Este, um termo pejorativo que os blogueiros se referem para reuniões que o Figueirense realiza com a imprensa. Tais encontros, esporádicos, são importantes para melhorar o relacionamento e o trabalho. Mal sabem que o Avaí também promove o bom relacionamento, mas o assunto do post é outro.

Todo este “nariz de cera”, termo usado em jornalismo quando não se vai direto ao ponto, para dizer que vou passar uma vassoura neste blog, no pessimismo dos últimos posts e, para este jogo de quinta-feira, contra o Fluminense, adotar uma postura otimista.

Por quê ? Só porque decidi, assim, do nada? Não. Tem um motivo. Aliás, dois. E não é nenhum café, exceto o que estou tomando no momento em que escrevo este post. É o exemplo que o grupo de jogadores passou para a torcida ontem. Está muito bem documentado na edição do Diário Catarinense, cujo título “À exaustão”, e as fotos do Roberto Scola, bem como o texto do Luciano Smanioto não deixam mentir.

A dedicação ao treino da tarde de ontem foi tanta, que dois atletas, Tadeu e William Matheus, passaram mal. Tiveram enjôo e foram atendidos pelo médico, tamanho o esforço. Isso que não estamos no auge do verão.

Esta é a mensagem passada ao torcedor. Se o time não tem a qualidade que se espera do Figueirense, não faltará dedicação. É o primeiro grande passo para garantir a contrapartida, que é o torcedor inflamado, jogando junto. Se, desde o apito inicial, a pegada, a mordida, a correria for forte, suada, dedicada, a resposta da arquibancada será imediata.

O segundo passo, a promoção de ingressos, também foi dado. A diretoria disponibiliza até uma opção de ingresso por R$ 7,50. Trata-se do bilhete para estudante que apresentar um volante do 36º concurso da Timemania, com o Figueirense assinalado como clube do coração.

Enfim, abro mão de discutir questões táticas, questões técnicas. Prefiro valorizar, agora, o esforço dos atletas, o chamamento da direção e, espero, conferir in loco a força da torcida.

Até a presença do Ramon no time titular não vou contestar. Mas é a última chance para o Mário Sérgio, e o atleta, provarem que estão todos errados.

Postado por Marcos Castiel

Bookmark and Share

Dunga na Ressacada

28 de outubro de 2008 116

Silvia Izquierdo/AP

O técnico da Seleção Brasileira, Dunga, já confirmou que virá à Ressacada para observar jogadores do Avaí.

A informação está confirmada no site da CBF. Para ver a informação, clique aqui.

O treinador incluiu o Avaí no seu roteiro, o jogo ainda não foi definido.

Ajudou na decisão o fato de Jorginho ser muito amigo de Silas.

Um incentivo a mais para este grupo avaiano, que está prestes a entrar para a história.

Viu, Marquinhos? Dá para chegar à Seleção Brasileira via Série B.

Postado por Marcos Castiel

Bookmark and Share

A mágica de Evando

28 de outubro de 2008 56

Veja, passo a passo, demonstrado pelo próprio Evando, como é a jogada/Daniel Conzi

O blog ficou devendo, mas hoje presta uma homenagem a grande jogada que fez o Evando, para o gol de William, sábado, no jogo do Avaí.

Nas fotos aí de cima, que estão na edição de hoje do Diário Catarinense, feitas pelo Daniel Conzi, aparecem também na edição do Diário Catarinense, com texto do Mauricio Frighetto.

Me lembro, quando o Avaí trouxe o Evando, que alguns torcedores (aliás, não foram poucos), foram contra sua vinda.

Sempre defendi que jogador de qualidade faz a diferença na hora decisiva. É o caso dele, bem como de Valber, Marquinhos, Émerson e Marquinhos.

Voltando à jogada, simplesmente sensacional. Trata-se de uma criação, de algo original, o que sempre é bem-vindo no futebol.

O mais legal é saber que, ao executar o lance, o Evando não fez uma loucura, já que nos treinos ele treinava bastante a jogada, em forma de brincadeira, é verdade, mas treinava.

Postado por Marcos Castiel

Bookmark and Share

Análise racional e emocional

27 de outubro de 2008 69

De qualquer ângulo, a situação é catastrófica

Primeiro, esclarecendo que este primeiro post do dia sai tardio em virtude de compromissos que tive pela manhã e me impediram a tradicional agilidade deste espaço.

Mergulho de cabeça na análise do Figueirense, já que o Avaí está bem encaminhado. Trata-se de uma tentativa que faço – e acredito estar bem perto da maioria dos alvinegros – de racionalizar a situação.

Existem o ponto de vista racional e o emocional. O racional diz que o Figueirense não está em condições de fazer o que é necessário para manter-se na elite. Ou seja, sendo otimista, chegar a 43 pontos. Com 42, haja oração. Com 44, dá para respirar.

Acontece que o Figueirense não ganha jogos dentro de casa e precisaria fazê-lo contra o Fluminense, contra o Atlético-PR e contra o Náutico.

Só que o alvinegro, desde que encarou a Portuguesa, não vence em casa. Já foram derrotas contra Botafogo, Vitória, Flamengo e Cruzeiro e empates com Palmeiras e Ipatinga.

É o pior mandante da competição. Ganhou só cinco jogos em casa. Tem que fazer mais de 50% do que alcançou em toda a competição até agora.

Vamos dar de bandeja que venham os nove pontos nestes jogos. Então ainda seria preciso um, talvez dois fora de casa ou contra o Internacional. Complicado, não?

O ponto de vista emocional permite pensar que, além das vitórias em casa, o Internacional poderá chegar, na última rodada, já sem motivação. E que é possível achar um pontinho nas pedreiras contra Grêmio, São Paulo ou Botafogo, principalmente diante deste último.

Enfim, prefiro ficar com a seguinte vertente: a de um jogo de cada vez. O próximo é diante do Fluminense e, este, é uma Copa do Mundo. A torcida? Bom, esta tem que decidir se quer ficar na Série A ou se quer encarar uma nova realidade.

E, se a opção por por ficar, precisa incentivar os atletas sob qualquer situação. Até o último segundo. Só depois, caso haja nova frustração, protestar. O perfil da galera no Scarpelli melhorou nos últimos jogos.

Mas ainda é necessário mais calor, mais motivação, mais pegada junto ao time. Arquibancada não ganha jogo, mas que ajuda, não tenham dúvida!

Por isso, até o jogo, é preciso uma convocação para que nação alvinegra diga presente no Scarpelli. Não dá para negar que a situação é desesperadora.

Postado por Marcos Castiel

Bookmark and Share