Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de outubro 2009

O sonho da dupla na elite renasce

31 de outubro de 2009 105

Como estive participando da jornada da CBN nesta tarde/noite, ficou impossível fazer um post para cada jogo.

Acompanhei atentamente todo o jogo do Figueirense e o segundo tempo do duelo avaiano.

No primeiro, pela Série B, todas as preces alvinegras foram ouvidas. O Atlético-GO deu mole, o Figueira goleou o Brasiliense e está vivo na briga pela elite. Dois gols do RC, goleador da competição.

No segundo, pela Série A, a classificação matemática finalmente chegou, após a vitória de 2 a 0 do azurra sobre o Atlético-PR.

Um gol histórico do William, de bicicleta, coroando a permanência na Série A.

São cinco pontos do G-4, antes do Inter jogar. Sonhar não custa nada.

E não é que a possibilidade de clássico na elite, em 2010, reapareceu? E com força.

Os puristas, eu sei, são contra a ideia de que futebol forte começa com o sucesso de ambos.

Eu, contudo, não arredo pé desta tese. Dois na elite e Floripa bombando em 2010. Haja duelo de torcida, de lotação de estádio, de posição na tabela. Seria o ápice na história do futebol da Capital.

Postado por Marcos Castiel

Bookmark and Share

Classico era B, mas números entram para história

31 de outubro de 2009 22

Dois gols em clássico. Fica marcado, Leonardo!/Ricardo Duarte

Bom pessoal, o post é curtinho porque estou esta tarde junto com os colegas da CBN/Diário na jornada, dá pouco tempo para atualizar.

Sobre o clássico do Scarpelli, o mais importante é que, reservas ou não, promessas ou não, valendo algo ou não, a competição é oficial e entra com seus números para a história do clássico.

Portanto, a invencibilidade do Avaí está garantida e dura quase dois anos, já que vem de dois empates e uma vitória, somada a esta agora.

Sobre o jogo, ficou claro que bom jogador não é o que toca na bola o tempo todo, mas o que lê bem a movimentação e sabe se posicionar.

Como poucos viram a partida, explico o que já disse ao microfone da CBN: estou falando de Leonardo. Fez dois gols e garantiu a vitória de 2 a 0. Pouco tocava na bola, mas era sempre opção na zona de finalização.

Acredito que a torcida deva ter mais paciência com ele no futuro.

O goleiro avaiano Renan também merece atenção. O mesmo vale para Ildemar. Este tem estilo, precisa ganhar um pouco mais de corpo, mas vale uma aposta.

O conjunto fez a diferença, Neguinho venceu taticamente Hemerson Maria. O Figueira teve mais a posse de bola, mas o Avaí foi mais inteligente e objetivo.

No Figueira, Talhetti e Massari foram bem e Marquinhos Júnior na segunda etapa não se omitiu.

Pico sentiu o calor e, no visual, segue fora de forma. Schmoller não rendeu bem.

Postado por Marcos Castiel

Bookmark and Share

Sob pressão uns reagem, outros tremem

30 de outubro de 2009 73

Existe uma diferença, que as vezes é confundida pelo torcedor, entre obrigação de vencer e favoritismo para ganhar uma partida.

E esta confusão, quando passa para a cabeça dos atletas, é um dos piores venenos para as pretensões de um time.

Ter a obrigação de vencer, sem ser, necessariamente, franco favorito, é uma imposição que poucos clubes podem suportar sem confundir as coisas.

Dou como exemplo o São Paulo e o Cruzeiro. Ambos, na reta final da competição, estavam obrigados a vencer, mas não eram favoritos. Aliás, nunca houve Série A tão sem favoritismo.

Como clubes grandes que são, com recursos humanos e técnicos mais que suficientes, deram resposta positiva a esta pressão.

Onde quero chegar – mas o exemplo era necessário – é que acho, infelizmente, que o Figueirense não está preparado para ser “obrigado a vencer”.

E este é o caso amanhã, diante do Brasiliense, e foi o caso em vários momentos ao longo do campeonato.

Tem que ganhar, tem mais time, mas está longe de ser favorito. Desacreditados no returno da Série A, o tricolor paulista e a raposa reagiram com garbo à altura de seus status.

E o Figueira. Reagirá à altura. Espero que sim. É a hora, talvez uma das últimas barcas, para trilhar o caminho dos que não tremem.

Conferimos amanhã, juntos. Estarei com o Bob Alves comentando na transmissão da CBN/Diário e analisaremos esta situação toda. Até lá.

Postado por Marcos Castiel

Bookmark and Share

O impacto das fortes frases de Marquinhos

29 de outubro de 2009 95

“O que nós fizemos hoje não é digno do Avaí”

“Precisamos calçar as sandálias da humildade”

“É preciso cobranças, não cumprimos o plano tático”

“Jogando assim, ninguém renova contrato”

Impressionantemente fortes as declarações de Marquinhos, após o jogo. Têm força para um impacto dentro do grupo.

Um puxão de orelha digno de quem está vendo de dentro coisas que não conseguimos ver aqui fora.

É preciso refletir sobre as palavras dele. Confesso que não havia escutado esta entrevista. Ouvi agora no Debate/Diário e fiquei assustado.

Espero que tudo o que ele falou realmente aconteceça.

Postado por Marcos Castiel

Bookmark and Share

Não foi o Grêmio que ganhou, o Avaí é que perdeu

28 de outubro de 2009 175

Martini abriu a porteira com este pênalti ridículo. O que está acontecendo com ele?/Diego Vara

Martini resolveu complicar as coisas

Ninguém, absolutamente nenhum time, foi aos domínios tricolores em Porto Alegre, neste Brasileiro, e de lá retornou com uma vitória.

Nesta derrota avaiana, por 3 a 1, para o Grêmio, apenas se confirmou a lógica deste campeonato para quem foi ao Olímpico.

Mas a lógica se deu às avessas. Já que os méritos pela vitória não foram do Grêmio. O Avaí errou muito e praticamente abriu as portas para o time gaúcho vencer.

Foi um jogo com um primeiro tempo que estava indefinido, com um pouco mais de volume para o Grêmio, mas o Avaí contra-atacando com perigo.

Até…

… bater um curto circuito na cabeça do Eduardo Martini. Sair estabanado do gol, dar uma voadora e entregar um pênalti de graça ao Grêmio.

Esta saída de gol do Martini foi coisa que criança faz em pelada, não profissional.

Tcheco bateu e converteu.

Logo depois, Rochemback também teve um curto circuito mental e foi expulso, dando um gás nas pretensões avaianas.

Mas o Avaí não soube aproveitar a vantagem. Pior, descuidou-se nos contra-ataques, mostrou pouco ímpeto e até menos pegada diante de um time inferiorizado numericamente.

O time parecia desconcentrado. Quando, na casa gremista, este tipo de postura se paga caro.

Menos mal que Emerson guardou um golzinho e evitou o escore dilatado, já que alguns encaram 3 a 0 como goleada.

Sobre Muriqui

Havia um constrangimento sobre o porquê de Muriqui procurar tratar o joanete no Rio de Janeiro. Dava até margem para boatos que nem darei guarida neste espaço.

Fato é que nosso setorista avaiano, Cristiano Dalcin, ligou para o jogador, que está, adivinhe, em Muriqui. De lá, ele confirmou que faz tratamento em uma clínica especializada no Rio de Janeiro.

Terça-feira está de volta a Florianópolis. Provavelmente pronto para treinar.

Postado por Marcos Castiel

Bookmark and Share

Fique atento na rodada e na projeção

28 de outubro de 2009 61

O nível de dificuldade na luta pelo título do Brasileiro é enorme. E para o Avaí garantir a Sul-Americana também.

Na simulação por dificuldade de confrontos futuros dos candidatos ao título e da trajetória do Avaí, me parece que o caminho mais tranqüilo é o do São Paulo. Claro, se o tricolor paulista vencer o Inter hoje e, também, não for tão irregular.

Outra, o Barueri será o fiel da balança nas próximas rodadas, pega Flamengo, São Paulo e Internacional na sequência.

Mais uma questão: se o Grêmio estiver acomodado, sem chances de Libertadores e garantido na Sul-Americana, vai endurecer os jogos que interessam para a classificação do rival Inter?

Abaixo, coloquei verde em confrontos favoráveis aos lutadores pelo título, amarelo em duelos imprevisíveis, ou difíceis, e vermelho em pedreiras. Azul é para confrontos diretos. Claro, incluí o Avaí na lista para termos uma noção do futuro de nosso representante.

Na tabulação, verifiquei que o Atlético-MG é o time com mais confrontos diretos, quatro.

O Flamengo é o que tem mais jogos difíceis ou imprevisíveis, quatro, fora dois confrontos diretos.

O Palmeiras é o que tem mais pedreiras pela frente, quatro, fora dois confrontos diretos. Talvez, o caminho mais espinhoso de todos.

Acompanhe a legenda, portanto:
Verde é situação bem encaminhada
Amarelo é jogo difícil
Vermelho é pedreira
Azul é confronto direto

32ª rodada
Cruzeiro x Santo André
São Paulo x Internacional
Barueri x Flamengo
Palmeiras x Goiás
Fluminense x Atlético-MG
Grêmio x Avaí

33ª rodada
São Paulo x Barueri
Flamengo x Santos
Avaí x Atlético-PR
Palmeiras x Corinthians
Internacional x Botafogo
Goiás x Atlético-MG
Cruzeiro x Fluminense

34ª rodada
Grêmio x São Paulo
Atlético-PR x Goiás
Vitória x Avaí
Fluminense x Palmeiras
Atlético-MG x Flamengo
Barueri x Internacional
Sport x Cruzeiro

35ª rodada
Palmeiras x Sport
São Paulo x Vitória
Cruzeiro x Grêmio
Coritiba x Atlético-MG
Náutico x Flamengo
Avaí x Corinthians
Internacional x Santos

36ª rodada
Santo André x Avaí
Atlético-PR x Cruzeiro
Grêmio x Palmeiras
Flamengo x Goiás
Atlético-MG x Internacional
Botafogo x São Paulo

37ª rodada
Corinthians x Flamengo
Palmeiras x Atlético-MG
Goiás x São Paulo
Sport x Internacional
Cruzeiro x Coritiba
Avaí x Santos

38ª rodada
São Paulo x Sport
Santos x Cruzeiro
Internacional x Santo André
Flamengo x Grêmio
Vitória x Goiás
Náutico x Avaí
Atlético-MG x Corinthians
Botafogo x Palmeiras

Postado por Marcos Castiel

Bookmark and Share

A missão (im) possível do Avaí

27 de outubro de 2009 111

Ser o primeiro a vencer no Olímpico no Brasileiro é a meta

Olhando o noticiário do Avaí no clicEsportes, vi Marquinhos falando em valorização dos atletas. Esta é a meta a partir de agora, segundo o craque do time (clique aqui e veja a matéria).

Ou seja, consolidar seu contrato com o clube – e valorizá-lo – ,ou abrir novos horizontes é o que passa pela cabeça dos atletas azurras.

Nada melhor que este desafio contra o Grêmio, amanhã, para começar este empreendimento.

E nada mais difícil, também.

Eles não perdem em casa. Neste Brasileiro, o máximo que alguém conseguiu foi empatar, casos de Santos, Goiás, Sport e Vitória. No Olímpico, perderam o Botafogo, Náutico, Atlético-PR, Corinthians, Intenacional, Santo André, Cruzeiro, Flamengo, Atlético-MG, Fluminense e Coritiba.

Voltar desta Arena romana, onde quase ninguém sai vivo quando atirado às feras tricolores, seria mais uma façanha do atrevido Avaí no campeonato.

Voltar de  lá classificado, com vitória, seria uma glória e tanto. Ninguém descobriu este ano qual a fórmula para tal. Sonhar e tentar não custa nada. Ainda mais quando se está de sangue doce para arquitetar o crime.

Se empatar, tá bom.

Se perder, é normal também.

Portanto, só quem pode se dar bem, é o Avaí.

Postado por Marcos Castiel

Bookmark and Share

Por que o Figueira despencou na Timemania?

26 de outubro de 2009 122

Avaí lidera, JEC é o segundo

Eu iria fazer um post sobre as chances dos times na reta final das séries A e B, mas postergo esta empreitada em nome de uma curiosidade que toma de assalto este post.

Acontece que, logo que foi lançada a Timemania, o Figueirense liderava a compra de bilhetes.

Na época, se dizia que a Timemania era uma boa medida do tamanho das torcidas.

Ressalto que não concordo com esta tese, já que deve haver um componente da fase do time e, também, da condição social de seu torcedor.

Porém, observa-se uma certa lógica nos números, com Flamengo e Corinthians liderando, seguidos de Palmeiras, São Paulo, Grêmio, Santos, Inter , Vasco, Cruzeiro e Botafogo, nos 10 primeiros. Há uma coerência com a pesquisa mais recente do Ibope, feita em 2004.

Dentre os catarinenses é que surge a curiosidade. O Figueira despencou para o 38º lugar, atrás de times como Treze, Londrina, Ipatinga e Gama para falar só dos menos votados.

O Avaí mantêm-se bem, como primeiro catarinense, em 20º lugar, sendo o clube com melhores números afora clubes de grandes centros. São 11.907 apostas, contra 7.377 alvinegras, um percentual de 1,23% do total, contra 0,76%.

Ou seja, a diferença é absurda. Além de menos arrecadação para oclube, da constatação da desmotivação do torcedor, a desigualdade deveria preocupar a direção alvinegra. Afinal, a torcida do Avaí disparou em tamanho? A do Figueira encolheu?

Vejam que estou perguntando, não afirmando.

O JEC é o segundo melhor catarinense, em 28º. O Tigre o pior, em 62º. A tabela completa está abaixo.

Colocação

Time

UF

Nº de Apostas

Percentual

FLAMENGO

RJ

64.917

6,75

CORINTHIANS

SP

54.685

5,69

PALMEIRAS

SP

44.449

4,62

SAO PAULO

SP

41.278

4,29

GREMIO

RS

38.198

3,97

SANTOS

SP

33.809

3,51

INTERNACIONAL

RS

32.911

3,42

VASCO DA GAMA

RJ

30.764

3,20

CRUZEIRO

MG

27.277

2,83

10º

BOTAFOGO

RJ

25.586

2,66

11º

ATLETICO

MG

22.584

2,35

12º

FLUMINENSE

RJ

21.933

2,28

13º

BAHIA

BA

19.943

2,07

14º

ATLETICO

PR

17.287

1,79

15º

FORTALEZA

CE

16.571

1,72

16º

VITORIA

BA

15.727

1,63

17º

GOIAS

GO

15.499

1,61

18º

CEARA

CE

13.953

1,45

19º

CORITIBA

PR

11.934

1,24

20º

AVAI

SC

11.907

1,23

21º

JUVENTUDE

RS

10.853

1,12

22º

SPORT

PE

10.642

1,10

23º

ABC

RN

10.463

1,08

24º

SANTA CRUZ

PE

10.233

1,06

25º

GUARANI

SP

9.397

0,97

26º

TREZE

PB

9.173

0,95

27º

LONDRINA

PR

8.975

0,93

28º

JOINVILLE

SC

8.533

0,88

29º

NAUTICO

PE

8.550

0,88

30º

UBERLANDIA

MG

8.367

0,87

31º

REMO

PA

8.190

0,85

32º

IPATINGA

MG

8.114

0,84

33º

PORT DESPORT

SP

7.899

0,82

34º

GAMA

DF

7.874

0,81

35º

PONTE PRETA

SP

7.849

0,81

36º

ITUANO

SP

7.751

0,80

37º

ATLETICO

GO

7.582

0,78

38º

FIGUEIRENSE

SC

7.377

0,76

39º

RIVER

PI

7.327

0,76

40º

BOTAFOGO

PB

7.280

0,75

41º

BANGU

RJ

7.118

0,74

42º

MARILIA

SP

7.133

0,74

43º

MIXTO

MT

7.151

0,74

44º

JI-PARANA

RO

7.066

0,73

45º

INTER LIMEIRA

SP

6.932

0,72

46º

MOTO CLUBE

MA

7.013

0,72

47º

PAYSANDU

PA

6.928

0,72

48º

AMERICA

RJ

6.693

0,69

49º

AMERICA

MG

6.677

0,69

50º

BRASILIENSE

DF

6.697

0,69

51º

JUVENTUS

SP

6.520

0,67

52º

PALMAS

TO

6.458

0,67

53º

PARANA

PR

6.298

0,65

54º

VILA NOVA

GO

6.265

0,65

55º

SANTO ANDRE

SP

6.243

0,64

56º

SAO CAETANO

SP

6.182

0,64

57º

YPIRANGA

AP

6.103

0,63

58º

BARUERI

SP

5.917

0,61

59º

OLARIA

RJ

5.916

0,61

60º

SERGIPE

SE

5.931

0,61

61º

AMERICA

RN

5.710

0,59

62º

CRICIUMA

SC

5.761

0,59

63º

S RAIMUNDO

AM

5.717

0,59

64º

BRAGANTINO

SP

5.616

0,58

65º

CRB

AL

5.592

0,58

66º

NACIONAL

AM

5.287

0,55

67º

SAMP CORREA

MA

5.294

0,55

68º

CSA

AL

5.241

0,54

69º

OPERARIO

MS

5.187

0,53

70º

AMERICANO

RJ

4.904

0,51

71º

RIO BRANCO

ES

4.871

0,50

72º

TUNA LUSO

PA

4.782

0,49

73º

XV PIRACICABA

SP

4.418

0,45

74º

RIO BRANCO

AC

4.281

0,44

75º

RORAIMA

RR

4.278

0,44

76º

PAULISTA

SP

3.982

0,41

77º

UNIAO S JOAO

SP

3.934

0,40

78º

DESPORTIVA

ES

3.820

0,39

79º

U BARBARENSE

SP

3.691

0,38

80º

VILLA NOVA

MG

3.661

0,38

 

Postado por Marcos Castiel

Bookmark and Share

De grão em grão tá mais que bão!

25 de outubro de 2009 100

Marquinhos fez golaço de falta, mas comemorou de forma meio estranha/Julio Cavalheiro

É só alegria, é só festa, é só tranquilidade a passagem do Avaí na Série A. Ficou louco, Castiel, o jogo foi empate em 2 a 2?

Ora, é mais um pontinho acumulado, principalmente depois de sair perdendo por 2 a 0. Uma pena que não tenha sido vitória para seguir mais vivo na luta pela Libertadores.

Agora, convenhamos, no desespero que estava o Sport, um time de qualidade e o único que não merecia estar lidando com o rebaixamento, o resultado foi plenamente aceitável.

Um Sport campeão da Copa do Brasil, de boa campanha na Libertadores, desesperado na luta contra o descenso, veio à Ressacada e, com heroísmo, arrancou o empate.

De grão em grão, se faz o milhão diz o ditado. Assim é o humilde, o lutador Avaí. Quem não gosta, tem que aceitar.

Saiu perdendo por 2 a 0 antes dos 10 minutos. Marquinhos fez um belo gol de falta, comemorou meio exaltado com alguns torcedores da cadeira – não entendi -, mas verdade é que motivou o time para buscar o empate.

No segundo tempo tivemos uma partida truncada, meio ruim de assistir, mas o que importa é a raça e vontade de buscar o resultado, que veio no gol de Luís Ricardo.

Postado por Marcos Castiel

Bookmark and Share

Pena ver que o Figueira não acredita em si

24 de outubro de 2009 147

Pois é, Paulinho, marcou o Evando, mas não evitou o gol, né?/Flávio Neves

Toque de crueldade fica com o gol de Evando

A pior coisa do mundo no futebol é quando o próprio grupo de jogadores não confia nas metas propostas, não acredita que pode. Esta parece ser a triste realidade e a complicada lógica do Figueirense.

Dolorido para o torcedor alvinegro, mais que ver o ex-ídolo azurra Evando marcando um gol na vitória de 2 a 1, mais que sentir-se um pouco mais longe de voltar à Série A, é constatar que com pouco, mas muito pouco a mais do que o time tem a dar, neste ano, se habilitaria a terminar a competição no G-4.

Volto a colocação que usei há alguns posts: copo meio cheio ou meio vazio?

De dentro para fora no clube, a visão é do copo meio vazio. Quando jogar a toalha, a esta altura, é uma grande, uma sonora, uma inacreditável burrice.

Tenho certeza que o restante desta reta final de Série B dependerá, cada vez mais, da condição psicológica dos grupos de jogadores.

O Figueira sentiu mais do que devia aquela derrota para o Vila Nova e acusou o golpe não só jogo de hoje, mas no descompromisso de alguns atletas, refletido em festas durante a semana que causaram perda do foco e o afastamento de Maicon e Paulo Sérgio.

O desempenho irregular do Figueirense, a falta de poder de decisão, tudo isso pesa. Mas ninguém pode mudar o fato de que a tabela continua favorável ao time alvinegro. O que de nada adianta, claro, sem uma reação do time. São cinco pontos atrás do Atlético-GO, que também não inspira confiança em ninguém.

Portanto, se desistir da luta, será uma inconseqüência.

Difícil analisar de um ponto de vista lógico o jogo de ontem. Com certeza a opção de escalação não foi a melhor.

Havia dito no Debate Diário Especial, na CBN/Diário, no início de tarde: sem Maicon, colocaria Vinícius Pacheco. Obviamente a mecânica de jogo ficou comprometida e um dos motivos foi o time se postar com dois jogadores de frente, sem articulação cadenciada no meio. Isto diante de uma Ponte com atletas experientes e que, todos sabiam, jogariam fechadinhos.

O jogo foi de um time mais centrado no primeiro tempo, a Ponte, mais inteligente, mais decisivo, usando o contra-ataque. A segunda etapa teve uma pressão do Figueira, mas com um erro básico: uso inadequado das alas.

O que dizer agora? Terra arrasada? Acho que o Figueirense demonstra ser um time psicologiamente fraco, que se abate em demasia e isso é culpa da comissão técnica e também do departamento de futebol e seus comandantes.

O fator acima não tem solução. Mas a recuperação do moral do grupo, isso dá para gerenciar. É só o que resta.

Postado por Marcos Castiel

Bookmark and Share