Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de fevereiro 2012

Seja bem-vindo de volta, Fernandes

29 de fevereiro de 2012 45

A importância da rodada é enorme (veja o post sobre as perguntas a serem respondidas). Poderia ressaltar a necessidade urgente de Cléber Santana aparecer e dar cadência e imprimir um (inexistente) sistema de jogo ao Avaí.

Poderia ressaltar a expectativa de ver o JEC confirmando a arrancada espetacular e de ver o Tricolor do Norte como protagonista, o que só aconteceu na reta final do turno.

Poderia ressaltar atenção diferenciada que devemos dedicar ao trabalho de Sílvio Criciúma e das rodadas decisivas que o Tigre terá em casa.

Poderia ressaltar o sopro de vida que ganha a Chapecoense com a presença de Jean Carlos para o segundo turno.

Mas vou fixar a importância desta rodada para a volta de Fernan10 ao Figueirense, como confirmou em post o colega Fabiano Linhares (clique aqui e confira).

Ele deve entrar só no segundo tempo. Mas é a volta, aos poucos, ao time do cara que conhece estadual, qualifica o time e o ambiente do grupo, sempre agrega, nunca complica nem dentro nem fora de campo, e num campeonato duro, onde as vezes as coisas apertam, quando é chamado resolve,.

Fernandes, seja bem-vindo. O campeonato agradece!

Bookmark and Share

Perguntas para a rodada de amanhã do Catarinense

28 de fevereiro de 2012 79

Por que Ovelha parece não dizer o que gostaria de dizer?

Vamos saber pela forma como o Avaí jogar. Se jogar “às ganhas” como se brinca na gíria do futebol, veremos que tem o grupo na mão. Se jogar como diante de Metrô e JEC, dificilmente fica.

O Figueira manterá a mobilização no returno, mesmo sem objetivo concreto?

Vamos saber a partir da escalação. Time titular e pegando “pesado”, está mantido o foco. Jogadores poupados e/ou experiências, está deflagrado o laboratório.

O Joinville será o time a ser batido no returno?

Vamos saber com a resposta física do time à demanda vibrante e intensa que aplica o técnico Argel Fucks.

O Criciúma encontrará regularidade com Silvio Criciúma no comando?

Vamos saber de forma objetiva: o Tigre tem dois jogos em casa, difíceis, contra Atlético-Ib e Avaí. Ganha e vai brigar pelo título. Perde pontos em casa e já terá o returno comprometido.

O Verdão, agora com uma tabela não tão favorável, encontrará pontos suficientes para não desabar na tabela?

Vamos saber contra o Avaí. Um jogo maduro, com Jean Carlos mostrando seu potencial, e detonando o Leão, reporia com sobras o moral da Chapecoense.

A luta contra o rebaixamento está mesmo desenhada para três times?

Há pouca margem para Marcílio Dias e Brusque apresentarem improvável melhora e buscarem o Camboriú. Também está sob pressão o caçula da competição, acumulou pouca gordura no turno.

Bookmark and Share

Vídeo da invasão alvinegra a Camboriú e a festa da torcida do Figueirense pelo título do turno

27 de fevereiro de 2012 54

Aí um vídeo da galera, curtinho, tá no You Tube, mas mostra a energia da torcida ajudando. Se pintar mais uns vídeos curtinhos publico aqui. Parabéns, Figueirense.


Bookmark and Share

Favoritismo é para quem agüenta o peso. Figueirense campeão

26 de fevereiro de 2012 119

Como cabe a qualquer time grande, principalmente que está na elite, o Figueirense construiu e legitimou um favoritismo que teimou em aprontar enquanto esteve em outras mãos. Nas mãos do Alvinegro, não houve erro ou chances. Com o Figueira, favoritismo é legítimo. E ponto.

Luís Fernando fez um golaço, Fred carimbou de falta. Roni validou o título com dois gols. Toró ainda deixou o dele. O jogo foi até difícil no primeiro tempo, mas o 5 a 1 foi construído no talento e ao natural. Nem precisava. Paralelamente, o Avaí capengou na Ressacada (1 a 0 para o Metrô) e o Verdão ficou no empate com o Tigre (1 a 1 no HH).

O campeão do turno já esteve quase fora da parada. A então favorita era a Chapecoense. Por um momento, a primeira fase do Catarinense chegou a namorar o Avaí.

Mas time com nome e camisa é assim. Não existe matemática, não existe prognóstico, não existe situação difícil. Há, apenas, um nação alvinegra apaixonada e uma camisa a ser respeitada.

O jogo foi difícil, complicado, mas o que vale é a taça no armário e ela ficou com o Figueira.

A vaga na semifinal está garantida, a taça no armário, agora é a difícil tarefa para o técnico Branco de não deixar o ritmo cair. Para, quando chegar os mata-matas, o ritmo de competição e concentração estarem afiadíssimos.

Bookmark and Share

Não há favorito ao título do turno

24 de fevereiro de 2012 97

Quem se der ao trabalho de ler o post com análise da rodadea de meio de semana verá que falei em restabelecimento da ordem natural dos prognósticos. E isso eu sustento. A maioria, entre eles eu, achava o Figueirense o favorito para a conquista do campeonato.

Expressei esta opinião no TVCOM Esportes, na CBN/Diário, aqui no blog. Agora, uma coisa é prognóstico, outra é a realidade. O Figueira, por competência própria, impôs uma condição. Mas não decretou nada em definitivo.

Reafirmo isso no parágrafo acima, porque, achar que tem um favorito não é determinar que alguém já é campeão. Pelo contrário. Dado ao visível equilíbrio neste turno, e possível manutenção desta situação ao longo da competição, o tal favoritismo é uma condição tão instável quanto a previsão do tempo em Florianópolis.

O Figueirense se impor ao Camboriú, vencer e comemorar o título. Normal.

O Figueirense tropeçar em Camboriú, numa má jornada. Normal.

O Criciúma em ascensão superar o Verdão. Normal.

A Chapecoense, campeã estadual, superar o Tigre? Já o fez no HH em final. Normal.

O Avaí bater o Metropolitano e os dois adversários não vencerem? Difícil, mas normal.

É por este motivo que teremos uma rodada emocionante. Calculadora na mão, radinho no ouvido e, para quem não vai às arquibancadas, olho na tela.

Bookmark and Share

Pela invasão alvinegra prevista, jogo Camboriú x Figueirense deveria ocorrer em Itajaí

23 de fevereiro de 2012 64

A ideia pode parecer insana num primeiro momento. Mas seria o mais plausível possível pelas circunstâncias da rodada do final de semana.

Eu sugiro que o jogo Camboriú e Figueirense não seja realizado no estádio do Camboriú, por motivos que interessam a ambos os clubes.

Primeiro, 2,5 mil torcedores, que é a capacidade do estádio, não será suficiente sequer para a torcida alvinegra, que facilmente coloca mais de três mil torcedores em jogos com naipe decisivo nesta região.

A minha sugestão seria antecipar o jogo Marcílio x Atlético para sábado. E fazer o jogo no Hercílio Luz. Lá, haveria espaço para a imensa nação alvinegra e também para a torcida do Camboriú.

O caçula do campeonato ganharia na renda. E o jogo em emoção. Não duvido se a torcida do Figueirense lotasse Itajaí.

Se, por critérios técnicos, a troca de data não fosse aceita, então que invertesse os estádios. O Marcílio jogaria em Camboriú, o Camboriú em Itajaí.

Seria o racional para esta situação.

Bookmark and Share

A ordem natural dos prognósticos está em vigor: Figueirense líder. Chapecoense na cola

23 de fevereiro de 2012 75

Tivemos uma rodada absolutamente didática, previsível e sem surpresa no seu desenrolar. Dito isso, fica claro que o novo líder do Catarinense, o Figueirense, cumpriu seu papel e credenciou-se, como prospectava-se antes do campeonato começar, ao título do turno.

E, assim, a ordem natural dos prognósticos, o Alvinegro como favorito para o Catarinense, toma seu curso. Dado o fato de que, por um momento na competição, o Figueira parecia que não cumpriria o que de um time de elite, o único de SC, se espera.

Contou com competência na hora certa, e construiu seu caminho. Legal que, com a ausência de Aloisio, Julio Cesar disse presente. Fez três gols, um deles, uma pintura, sendo os outros dois também lindos no 4 a 0 sobre o Brusque.

O Alvinegro carimbou, com sobras, a superioridade que todos sabem ser anos-luz de distância em relação ao Brusque.

Em Joinville, não vi o jogo, mas a vitória do JEC parece ter sido consistente, pelos comentários dos colegas e os lances que vi no Torcida TVCOM, que apresentei hoje. Um 3 a 0 incontestável. Argel começa a colar o Joinville na briga por pontos na classificação geral e encaminha o time para ser protagonista no returno.

Em Ibirama, com todos os desfalques do Atlético, a mística do Estádio Herman Aichinger, território onde para vencer o time da casa só com muita superação, o Verdão buscou um empate que o mantém na briga. Coisa horrorosa o erro da arbitragem em validar aquele gol de mão. Pelo menos acertou no gol que valeu da Chapecoense.

Bom, noves fora, diante da vitória do Tigre sobre o Metrô, ficou entre Figueira e Chapecoense, com o Avaí correndo (bastante) por fora. O Atlético só milagre.

Mesmo assim, será uma rodada interessantíssima.

Bookmark and Share

Prós e contras do paradão no Catarinense

22 de fevereiro de 2012 23

O Campeonato Catarinense foi um dos poucos no país que parou no Carnaval. O Diário Catarinense fez um levantamento dos prós e contras da parada para os cinco  grandes do Estado e, também, para Metropolitano e Atlético, que estão firmes na luta pelo título. Reproduzo aqui no blog.

Os cinco grandes

Chapecoense

Prós – A parada foi terapêutica para a líder. O time vem de um empate em casa com o Camboriú e uma derrota fora para o Joinville, precisava se reorganizar taticamente.

Contras – Como começou a preparação com antecedência, estava em curva de ascensão física. A parada quebra a vantagem sobre os demais times.

Preparação – O preparador Anderson Paixão não deu folga ao grupo do Verdão no Carnaval. Todos os dias foram usados para aprimoração física.

O que rolou – A clube foi homenageado no Carnaval de Itá, pela escola de Samba, A.C.E.R.E.S KIZOMBA, no sábado. Foram 490 integrantes defenderam o tema “Verdão Campeão: Chapecoense, uma nação”.

 Avaí

Prós – Um período essencial para o Avaí buscar harmonia tática, que faltou apesar da boa campanha no turno. E entrosar peças importantes, como os reforços Patric e Cleber Santana.

Contras – Aumenta a ansiedade pelo tempo entre uma derrota num clássico (1 a 0), diante do Figueirense, na Ressacada e o próximo jogo.

Preparação – Além de treinar e não parar no Carnaval, o grupo fez jogo treino, uma goleada a favor do Leão, por 7 a 0, diante do Jaraguá.

O que rolou – A torcida Mancha Azul está suspensa pelo Ministério Público e não aparecerá identificada nas arquibancadas no Catarinense. A punição é por dois incidentes este ano, em Chapecó e no clássico.

 Figueirense

Prós – A aprimoração da parte física é tudo que o Figueirense precisa, já que foi o último time dos 10 no Estadual a começar sua preparação física.

Contras – O Alvinegro vem empolgado por duas vitórias importantes em clássicos, diante de Criciúma e Avaí e a parada quebra o ritmo do time.

Preparação – Arrumar o setor ofensivo, que não terá o goleador do time Aloísio, foi um dos trabalhos de Branco, que treinou intensamente. Heber deve ser o escolhido.

O que rolou – O técnico Branco deu uma recompensa ao grupo de jogadores Alvinegro, que foi liberado, após o intenso treino de sábado, para curtir, com moderação, a Feijoada do Cacau, no último sábado.

 Joinville

Prós –  O recém-chegado técnico Argel pode implantar com mais solidez sua filosofia de trabalho.

Contras – O time vem de vitória sobre o líder e de ascensão na tabela, a parada pode  comprometer o bom momento.

Preparação – Destaque para um coletivo, sábado, na Arena, com destaque no trabalho para o rápido ataque formado por Aldair, Cristiano e Alex, boas opções do time reserva quando houver necessidade.

O que rolou – O Joinville concentrou suas forças em garantir reforços.  O atacante Cristiano e o volante Natan, apresentados recentemente, estão regularizados e prontos para entrar em campo.

 Criciúma

Prós – Treinos técnicos e táticos, comandados pelo experiente Sílvio Criciúma, pode ajudar o time a encontrar um padrão tático, principal deficiência ao longo do turno.

Contras – A expectativa do início de trabalho de um novo técnico, que não ocorreu, pode prejudicar a tentativa de um final de turno e início de returno mais consistente.

Preparação – O técnico Silvio Criciúma trocou o sistema com três volantes por dois no meio-campo. O time testado foi: Andrey; Fabinho Capixaba, Nirley, Anderson Conceição e João Paulo; Henik, Jackson, Mateus e Guilherme; Valdo e Zé Carlos.

O que rolou – O impressionante calor em Criciúma não foi piedoso com o grupo de jogadores. Sensações térmicas acima de 40°C, mesmo assim o cronograma de treinos foi mantido pela comissão técnica.

 Eles estão na luta do turno

Metropolitano

O grupo de jogadores ganhou folga no domingo de Carnaval. Nos demais dias da parada teve treino em dois turnos. O técnico César Paulista apenas intensificou o excelente padrão tático apresentado pelo time no turno.

 

Atlético-IB

O Atlético-Ib aproveitou a parada de Carnaval para ajustar o time aos desfalques e às novidades. O atacante Rogério volta ao time, justamente contra a Chapecoense, seu ex-time. E o volante Fabrício, que já brilhou no time da Baixada, faz sua reestreia amanhã. A volta de Fabrício compensa a ausência da dupla de zaga titular, Jajá e Dinho, suspensos.

 

Bookmark and Share

Carnaval paradão

17 de fevereiro de 2012 9

A não ser que alguma novidade surja, tipo novo técnico do Criciúma, ou algo inesperado, o blog pára em parte deste Carnaval por mais absoluta falta de assunto e para um descanso também. Até terça-feira, quando já falaremos da rodada decisiva de quarta-feira.

Bookmark and Share

Joinville é o trem pagador deste Campeonato Catarinense: bate o Figueirense na média de público

17 de fevereiro de 2012 86

Levantamento feito pelo repórter Jean Balbinotti em matéria do Diário Catarinense mostra que o Joinville é o trem pagador deste Campeonato Estadual.

Fica no ar a dúvida: o Figueirense, segundo colocado, conseguirá mudar este quadro? A grande questão é: o JEC vai às semifinais? É lá que os grandes públicos se definirão.

Você pode ver a arte e a reportagem na íntegra clicando aqui, se for assinante do DC. Abaixo, dou um aperitivo do que o Jean Balbinotti constatou:

“Em oitavo lugar na tabela de classificação, com apenas seis pontos, o JEC tem o que comemorar neste Campeonato Catarinense. Apesar da campanha decepcionante, o clube lidera a média de público nos estádios.

“Em três jogos na Arena, pagaram ingresso 23.254 espectadores, o que dá uma média de 7.391 por jogo. Uma prova de que mesmo em baixa, o torcedor do JEC não abandona o clube. Em segundo lugar na lista aparece o Figueirense, com média de 6.628 torcedores, e, em terceiro, o Avaí, com média de 4.601. Vale lembrar que até o ano passado a dupla da Capital disputava a Série A do Brasileiro, enquanto o Joinville competia na Série C.

Atual campeã estadual, a Chapecoense ocupa o quarto lugar no ranking, com média de 3.883 torcedores por jogo, quase a metade da do Joinville. Os times com piores médias são o Camboriú, sétimo na classificação geral, com seis pontos, e o Brusque, penúltimo, com quatro pontos. A duas rodadas do fim do turno, tudo indica que o JEC terminará em primeiro lugar no ranking das torcidas, deixando para trás, pelo menos neste quesito, a dupla da Capital.”

 As médias (como mandante)

Joinville – 7.391

Figueirense – 6.628

Avaí – 4.601

Chapecoense – 3.883

Criciúma – 3.869

Metropolitano – 2.043

Atlético- 1.284

Marcílio – 1149

Camboriú – 606

Brusque – 398

Bookmark and Share