Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

O principal jogo dos mata-matas é o primeiro

26 de abril de 2013 4

A largada da semifinal
Tenho a tese de que o que estabelece o tom de um mata-mata é justamente o primeiro jogo. Por este motivo, ele é o mais importante. Se o time da casa coloca o pingo nos “is”, algo como os alemães fizeram com os espanhóis na Liga dos campeões, então o segundo jogo passa a ser acessório.

No máximo, diante de uma goleada pró-time da casa, pode-se contar com um jogo heroico, mas improvável para uma reviravolta. Lembro da final do ano passado do Catarinense, em que o Avaí estabeleceu, diante de um Figueirense favorito, uma realidade que mostrou-se imutável depois.

Vantagem, sim
No Debate Diário de ontem estabeleceu-se a discussão. Não houve consenso, o que é sempre bom para a dialética e para a evolução das ideias. De minha parte, defendi que há, em ambas semifinais, um conjunto de fatores que, no máximo, estabelece algo que qualifico como vantagem no jogo de ida. E esta repousa junto aos mandantes, por mais óbvio que pareça. E, se não houver uma goleada, inverte-se a lógica para o duelo de volta.

Favoritismo, não
Por que sustento uma diferenciação entre vantagem e favoritismo? Porque este vem carregado de uma força que aquele não ostenta. A condição de favorito, no futebol e nos esportes em geral, é alguém que, em tese, deveria patrolar o adversário. Não é o que se configura nos dois encontros semifinais do Catarinense.

Cores e feras
Seguindo na tese acima e usando a figura de linguagem, no território do Leão este é quem manda. Quando o Leão tentar invadir o território do Tigre, a chance de ser ferido de morte é maior. Assim será em campo. E no duelo do Alvinegro com o Verdão, o preto no branco deve prevalecer

Bookmark and Share

Comentários (4)

  • garrasdetigre diz: 26 de abril de 2013

    Lendo este post lembrei de uns fatos que bagunçam suas teorias.
    Semifinal do ano passado Chapeco x Avai, como foram os jogos?
    O Criciúma reverteu um 1 x 4 pela copa do brasil contra São Caetano e fez 4 x 0. Outra virada foi contra o Atlético Mineiro. É um jogo de 180 + alguns minutos e o mais importante é o segundo jogo prá quem joga em seus domínios.

  • Marcos diz: 27 de abril de 2013

    Há poucos anos teve também um Santos e Fluminense. Goleado fora de casa, o Santos efetuou uma goleada ainda maior no Flu, na segunda partida, já em seu território.

  • JV diz: 27 de abril de 2013

    Acredito que Figueira e Criciuma passam facil para final. A chapee enganou bem e o Avai ate agora nem isso fez.

  • Rey You diz: 27 de abril de 2013

    O time do Figueirense é limitadíssimo e fraquissimo, sem bairrismos, e vai perder pra Chapecoense, apesar da paixão de sua torcida.

    O Avaí é só o marquinhos. Anulou ele, acabou o Avaí.

    A final será entre Chapecoense e Criciúma, é muito fácil de se perceber

Envie seu Comentário