Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Primeiro mundo é assim, a força no futebol não fica totalmente concentrada na Capital

20 de maio de 2013 25

A distribuição de forças equânime em diversas regiões é coisa de primeiro mundo. Tanto a Capital ostentar títulos, quanto outras regiões incomodarem, e muito, é algo que só acontece onde há desenvolvimento econômico e intelectual.

Exemplos europeus são fartos entre os campeões: Juventus, Manchester, Porto e Barcelona só para ficar nestas grandes potencias que não são da capital. Tivemos Ajax, CSKA, PSG que são da Capital. Então este vai e vem é absolutamente saudável para a evolução do futebol.

Por este motivo, é muito interessante que em SC tenhamos cinco forças, com potencial para sete. Sem contar que regiões como o Planalto Serrano e o Alto Vale do Itajaí ainda têm campo para crescer.

Abaixo, dois vídeos para o delírio da galera tricolor do Sul:


 

Bookmark and Share

Comentários (25)

  • Rodrigo Figueiredo diz: 20 de maio de 2013

    Mandou muito bem Castiel, acho nosso campeonato estadual muito legal, exatamente por essa paridade entre os times, reflexo do potencial intelectual, sócio-econômico de nosso estado que é maravilhoso.
    Triste apenas é esse revanchismo entre capital e outras cidades completamente descabibo e sem propósito, nossas cidades são maravilhosas cada uma a sua maneira, fortes economicamente cada uma em determinado setor enfim é um estado grandioso, porque na verdade é formado por um povo sem igual.

  • Renato Kammers diz: 20 de maio de 2013

    Pois é Castiel, deixa eu ver se entendo esse pessoal do interior, ficam falando que é uma vergonha os times da capital (o que também concordo), porem não entendo tal colocação feita pelo pessoal do interior, vejamos, dizem que no Brasil só em SC o interior tem mais força que a capital e se sentem envergonhados por tal situação, então, pelo meu entender querem eles que o Figueira e avai sejam sempre os campeões do estado, sendo assim eles torcem realmente pra dupla da capital, sera?

  • Luiz diz: 20 de maio de 2013

    Moro na capital, torço para o Tigre e queria ressaltar a receptividade do povo de Chapecó.

    Entrei em vários bares antes do jogo, caminhei por várias ruas de Chapecó e em nenhum momento fui ofendido. O povo sempre respeitando, com aquela brincadeira sadia, foi realmente fantástico.

    Um abraço e ganharam um torcedor nessa série B!

  • alvinegro diz: 20 de maio de 2013

    Em 1991, as torcidas do Figueira e do Avaí se uniram para torcer pelo Criciúma, e foram lá no HH em peso torcer pra o Criciuma na decisão com o Gremio, isto está documentado em fotos nos jornais. Essa rixa do povo de Criciume contra a capital é muito engraçada porque o povo da capital não está nem aí para essa rixa que não existe, mas que é engraçada é. Se vocês viram o programa do Faustão ontem, ele até falou com o Cleber narrador, falou que em SC a rivalidade capital x interior é grande e desta vez deu zebra, Avai e Figueirense ficaram de fora da decisão.

  • Sergio H diz: 20 de maio de 2013

    Parabéns, Castija. Neste momento pós título com nervos aflorados, teu post é bem vindo.
    Há uma meia duzia de cabeças duras que não entendem ou aceitam que vivemos de momentos. Os times de Floripa não serão campeões estaduais ano após ano e nem os das cidades do interior. Aliás, interior não significa subdesenvolvido. O preconceito com essa palavra tem início nos próprios interioranos. Sou natural de Criciúma e me sinto orgulhoso por isso. Da msm forma me sentiria se houvesse nascido em Tóquio ou Ituporanga.
    Rivalidades há sempre de existir, sim. Mas deveria ficar entre os jogadores em campo e nos gritos das torcidas durante o jogo. Depois que o jogo acaba, façamos tal como no Tênis de quadra. Cumprimentemo-nos. Se este gesto é difícil, calemo-nos, então. Mas se nem isso, conseguimos fazer, melhor então os florianopolitanos se agarrem na reforma da Hercílio Luz e os do interior baixarem a mina de carvão. Talvez merecemos apenas isso.

  • Paulo diz: 20 de maio de 2013

    Castiel, sou de Criciuma e torço pelo Figueirense. Desde do Metropol não torço mais pra time daqui. Esses empresários alugam a camisa do time e ganham dinheiro e abandonam tudo. Quando o Angeloni ganhar o dinheiro que ele quer, abandona e o Criciuma acaba como tantos outros já acabaram e a torcida, iludida e explorada passa vergonha chupando o dedo.
    Chega de exploração e esses empresários usando nosso povo como massa de manobra e ganhando dinheiro em cima de nós.
    Figueira é tradição e o maior e melhor de Santa Catarina. Alias, o único.
    Esses títulos que não valhem absolutamente nada é bolinha de açucar na boca do urso de circo.
    Todos sabemos que o futuro do Criciuma, Joinville, como foi de Brusque e Tubarão, é negro. Não se sustentam.

  • Semprefigueira diz: 20 de maio de 2013

    Pó Castiel, vamos enganar quem?
    se a coisa é tão boa assim, caraterísticas de primeiro mundo etc. E tal, porque essa miséria de cotas de tv?
    Porque nossos times morrem a fome, enquanto em estados vizinhos os times maiores ganham até 20 x mais em cotas de tv do que os times mais fortes daqui e mesmo os times mais furrecas ganham 3 x mais o que ganham os times mais fortes daqui?
    Estádios pobres, gramados ruins, campeonato deficitário.
    Vamos enganar quem Castiel, quem?

    Semprefigueira

  • Gerson Santiago diz: 20 de maio de 2013

    O perdedor que não reconhece a superioridade de seus adversarios, sempre busca, no vaco algo para lhe conformar, antigos proverbios já diziam reconheça seus oponentes hoje para vence-los amanhã. Humildade é tudo.

  • JEC VILLE diz: 20 de maio de 2013

    Luiz ! só agora você notou…. mas é publico e notório…. as torcidas se respeitam como pessoas, gozações existem e sempre existiram… em Joinville sempre recebemos bem a todas as torcidas, assim com sempre fomos bem recebidos pelas demais… mas como toda regra tem excessão, não podemos dizer o mesmo da torcida do Avai que sempre apronta dentro e fora de casa.

  • Ricardo B. diz: 20 de maio de 2013

    Boa, Castiel! Santa Catarina é modelo a ser seguido. Certo é nosso Estado, que tem as forças distribuídas. Errados são os outros, com mega metrópoles concentrado tudo. E que siga assim, reforçando o interior cada vez mais!

  • Adriano diz: 20 de maio de 2013

    Não achei que essa postagem fizesse muito sentido.
    O Porto não deixa de ser a ‘capital’ do distrito do Porto, assim como Barcelona na Cataluña e etc.
    Outro porém é o próprio Brasil, onde a capital (Brasília) não possui representatividade no cenário nacional de futebol.

  • Filipe Coruja diz: 20 de maio de 2013

    Castija, mas em SC é o interior (Criciúma) quem ostenta títulos importantes, e a capital incomoda (?) as vezes….

  • Roberto diz: 20 de maio de 2013

    Concordo com o Luiz,da mesma forma em 95 fui a criciuma assistir aquela final e a torcida do criciuma tambem em algum momento desrespeito a de chapeco.
    Por isso que os time estao evoluindo,mas em Sc e no sul do pais entendo que a Chape foi o time que mais cresceu em termos de estrutura,acessos,e torcida.
    Ja estamos igualados aos da capital.
    Parabens castiel,

  • André diz: 20 de maio de 2013

    Só pra lembrar: Maiores times do Brasil – SP, RJ, MG, nenhum em Brasilia, logo nenhum é da capital. Primeiro mundo sitado: Espanha – 2 times lutam pelo campeonato, Alemanha – 2 times, no máximo três lutam pelo campeonato, Italia – 3 times disputam o título… e outra coisa, o catarinense ta nivelado por baixo, não é referência nenhuma e não tem nada relacionado a ser um estado relativamente “desenvolvido”. O campeonato Brasileiro não se resume em apenas um polo esportivo, e nem por isso é um exemplo a ser seguido, muito pelo contrário.
    Acho que simplesmente o pessoal da capital devia abaixar a cabeça e aceitar que seus times estão na pior, e o Criciúma hoje é o melhor time. Tentar ver lado bom nessa situação esquecendo dos problemas não ajuda em nada.

  • JV diz: 20 de maio de 2013

    Com o crescimento do futebol do Criciuma, Joinville e agora a Chapee. E os clubes de Sc estao no mesmo patamar, dentro de campo, embora as dividas dos da ilha esta puxando para baixo os dois.
    Mas falar em revanchismo entre capital e interior, esta longe de acabar, mais por culpa da midia da ilha, que fala as besterias para todas cidade via Tv e agem como numa radio local.
    Claro que todos podem gavar ou iludir sua torcida, mas deve ficar na sua cidade e outras torcida nao tem nada com o assunto. Assistimos diversos debates esportivos de outros Estado e ninguem puxa para um ou outro clube, somente a noticia.
    Portanto, para acabar quem deve iniciar isso, o povo e a midia de Floripa, porque nos sabemos que nesta cidade, nao tem nada que no interior nao tem.

  • Everton – Criciúma diz: 21 de maio de 2013

    Sou de Criciúma e digo: nosso estado é exemplo sim. Temos hoje cinco “forças” regionais(Criciúma, Joinville, Avaí, Figueirense e Chapecoense) no futebol, o que nos garante um dinamismo único no regional. Acho interessante que o campeonato catarinense é disputado a mais de 80 anos e nenhuma equipe chega a ter 20 títulos, o que prova que o nosso campeonato é muito equilibrado. Temos potencial para crescer muito mais dentro das quatro linhas. Não é por nada, mais pelo crescimento do futebol catarinense nos anos recentes, é possível projetar um futuro promissor no cenário nacional no médio/longo prazo. Esse equilíbrio no futebol só demonstra o quanto o nosso estado esta na frente dos demais, prova que temos uma economia “descentralizada”, com polos regionais bastante fortes, distribuídos uniformemente entre as regiões, refletindo de certa maneira no equilíbrio de forças no futebol (Blumenau poderia estar muito melhor representada). Nosso interior é promissor, dinâmico, com cidades belíssimas e acolhedoras e nossa capital, além de tudo isso, é a mais linda do Brasil. Portanto, essa dita “rivalidade capital X interior” é uma tremenda bobagem, fomentado por uns poucos e totalmente sem sentido. Viva SC !

  • Sérgio Luiz Pereira diz: 21 de maio de 2013

    É normal essa questão porque SC é o único estado da federação onde a capital não é a maior cidade, seja população, econômica, etc. Gosto dos seus comentários sobre o nosso futebol. Triste é ver outros comentaristas achando q SC é igual a outros estados onde tudo se fala da capital e quase nada do interior. Isso faz sentido nos outros estados, aqui não.

  • TAYLOR ALVINEGRO diz: 21 de maio de 2013

    Castija…concordo em parte contigo..
    É interessante ter outros clubes disputando em igualdade com os clubes de Florianópolis…
    Mas é RIDÍCULO os clubes interioranos tentarem se igualar em estrutura, poder de mídia e principalmente tradição…Como o Figueirense
    A questão financeira e a mais grave que eu acho…se não fossem empresarios em épocas distintas..estariam ainda em séries inferiores… tal qual como os clubes da capital…com a nossa ENORME diferença que temos o nível dos classicos e a tradição quase secular…A qual os times como Cri cri, jegue e Indiarada teimam em dizer que fazem Clássicos kkkk….piada pronta…

  • Edson diz: 21 de maio de 2013

    Apenas uma retificação Sérgio! No ES, Vitória não é a maior cidade em população. Nem mesmo a segunda maior. Tanto lá, como cá, inclusive pelo fato de ambas serem localizadas em ilhas, a população da região metropolitana entorno) apresentam íncices de crescimento elevados. Gde. Vitória com aprox. 2 M de hab. e Gde. Floripa com aprx. 1 M de hab. Coincidência ou não, principais times do interior se nivelam com os times da capital nos dois estados.

  • Emerson Torres diz: 21 de maio de 2013

    É nessas horas que a gente vê que Santa Catarina é um estado diferente. Não vejo mais aquela rivalidade entre Avaí e Figueirense, nem mesmo entre Criciúma X JEC. Vejo muitas vezes os rivais da capital torcendo contra os rivais do interior, e vice versa. Aqui em Criciúma tem uma explicação e frequentemente é demonstrada no estádio: a indignação com o veículo máximo de telecomunicação do estado vulgo RBS TV. Mas enfim, torço para que o nosso estado venha a crescer no futebol, seria legal ter clássicos na principal divisão nacional, não clássicos em estadual. Pra não desfocar o tópico, quem sabe quando a empresa responsável por este blog a qual eu to comentando voltar a ser parcial ( se é que um dia foi), acaba com essa rivalidade interior x capital.

  • Fernando Avaiano diz: 21 de maio de 2013

    O Avaí é disparado o mais vezes Campeão do Estado, nosso co-irmão é o segundo, o que demonstra a força da Capital em SC. Se pegar os últimos 10 anos, 2 anos sem Capital, no resto ou deu Avaí, ou deu Figueira, ou deu os dois. É o tipo de comentário pra jogar pra torcida, vamos ser coerentes, o interior só se deu mais ou menos nos tempos antigos de Waldomiro S. e Moacir Fernandes. Fora isso é Capital na cabeça. Só uma coisa, o time do Criciúma é fraco pra Série A, embora seja um bom time pra Série B e para o Catarinão. Mais pela dificuldade, com estes jogadores cai. Já a Chape é fraco, ter só o Grall, o Fabiano e o Nenem não dá liga. O Jec é que está contratando, pode surpreender. Já o Figueira, é o pacotão de jogadores desconhecidos, pode dar certo como pode sucumbir. O Avaí, embora sejam jogadores com alguma idade, mais são craques, principalmente para Série B. Se for por idade, o Snaider, o Riverri, entre outros não jogariam mais. A idade não tem nada haver com o que o cara joga.

  • Rodolfo Criciúma diz: 21 de maio de 2013

    Castiel, acho que há um equívoco no teu primeiro parágrafo. Aqui em SC é a capital que de vez enquando incomoda os times de Criciúma e Joinville, não o contrário. Nos últimos 60 anos as cidades de Criciúma e Jonville ganharam TRINTA ESTADUAIS.
    A capital, em contra partida, ganhou APENAS 16 ESTADUAIS.

    Portanto, não falemos em crescimento do interior. O interior sempre foi mais forte que a capital em Santa Catarina. A capital é a intrusa na festa.

    Não vou nem falar que o Criciúma tem os maiores títulos e conquistas Brasil e América a fora.

    E tem um ou outro desinformado aí que insiste em chamar o Criciúma de time de aluguel. O Criciúma é uma instituição de 66 anos e que já ganha títulos desde a década de 60. O atual presidente já dirigiu o clube na década de 80 e sempre foi torcedor, não caiu ali de para-quedas com interesse econômico.

    Além disso, o Criciúma, em razão da localização do estádio e do tamanho do CT, é o clube de maior patrimônio imobiliário em Santa Catarina.

  • Everson diz: 21 de maio de 2013

    kkkkk

    toda vez que eu to meio estressado eu venho aqui neste blog pra dar umas risadas e sempre que encontro um comentário com o tal do Fernando DOR DE COTOVELO – RAIVINHA – MÃE DINÁ- Avaiano eu caio na risada….kkkkk

    Avai mais vezes campeão, lógico disputa o campeonato desde o começo lá em 1929….acho que na proporção campeonatos disputados x idade do clube x títulos se contar bem o TIGRE é o mais vezes campeão….será?

  • ze alvinegro diz: 21 de maio de 2013

    Castiel muito bom parabens , esta qualidade que possuimos em nosso futebol a nivel estadual ou seja o equilibrio de cinco ou mais clubes , nosso canpeonato nao e rotineiro enfadonho como a maioria dos outros estados canpeonatos de dois times apenas , com certeza ficara mais atraente com a participacao de cidades como lages , tubarao , joacaba dentre outras , portanto se faz necessario o aumento imediato do numero de participantes para pelo menos 14 equipes , precisamos levar nosso futebol para todas as regioes do estado .

  • jefferson diz: 21 de maio de 2013

    André diz:
    20 de maio de 2013
    Só pra lembrar: Maiores times do Brasil – SP, RJ, MG, nenhum em Brasilia.

    Como é grande a dor de cotovelo da catarinada, entao os os dois grandes do RS sao menores q os de minas? só rindo mesmo.

Envie seu Comentário