Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Liderança do Brusque é tapa na cara das previsões que, aliás, são sempre uma temeridade em SC

20 de fevereiro de 2014 12
Foto: Artur Mozer

Foto: Artur Mozer

Todo o ano eu tenho calafrios quando preciso fazer a famosa previsão de favoritos e decepções do Campeonato Catarinense antes do início da competição.

E o motivo é simples: fácil é dizer no RS, em MG, na BA, em BH, no RJ e em PE quem é o favorito. Chega a ser um exercício de monotonia.

EM SP o número aumenta para uns cinco clubes, com mais chances de surpresas entre os times do interior. Mas nem de perto se assemelha à concorrência e à indefinição no resultado final do campeão em relação ao que ocorre em Santa Catarina.

Aliás esta é uma avaliação que se estende mundo afora, já que os europeus também têm certa dose de monotonia na definição de campeões.

E não é uma exceção em SC, e sim a regra. Aqui, qualquer um dos cinco grandes pode ser campeão na mesma proporção. E qualquer um dos demais médios e pequenos pode surpreender. Só neste campeonato já tivemos oscilações, passando pelo Metropolitano e chegando agora ao Bruscão. E quem dúvida que um Atlético ou Marcílio não pode achar umas vitórias na reta final?

Em vários anos tivemos times fora do eixo dos grande incomodando, o Atlético chegou a ser vice duas vezes, o Marcílio foi vice perdendo para o JEC, o antigo Tubarão foi duas vezes vice para o Criciuma, até o Juventus em 1973 foi vice do Avaí para os mais novos que não viram a construção desta história. Dá para citar o vice do Blumenau para o Avaí e até o vice do Caxias, embora este seja de Joinville (mas num ano que o Guarani de Palhoça foi ao quadrangular final).

Então, voltando ao drama das análises, no ínicio da competição, antes de sair de férias, eu fui obrigado a determinar uma decepção: e lasquei o Brusque. Numa análise de grupo, orçamento, nomes. Sabendo que poderia e até fosse provável quebrar a cara. Dito e feito. Taí o time jogando bem e liderando (veja matéria do DC Esportes falando na inspiração em Pingo). Claro, pode despencar, mas como disse acima a análise em SC tem sempre que ser do momento.

O Brusque é o único que se intrometeu entre os cinco grandes para roubar um título desde a década de 1970, quando o Ferroviário lascou um título para Tubarão. Desde então os títulos ficam por Joinville, Criciúma, Chapecó e Florianópolis. Menos em 1992, quando deu Brusque, terra do Carlos Renaux, time mais antigo de SC e bicampeão do Estado.

E onde o povo adora futebol. Posso falar de cadeira, no ano passado estive na cidade para prestigiar, com o comendador Roberto Alves, a solenidade de 100 anos do Carlos Renaux. O estádio é modesto, mas observamos as arquibancadas e a vibração é muito grande.

A qualidade técnica do nosso futebol pode não ser exuberante (e me diga onde é no atual estágio do futebol brasileiro?), mas a competitividade é inigualável. Que bom.Que venha mais emoção! A tabela prova isso (confira a classificação clicando aqui).

Bookmark and Share

Comentários (12)

  • LORIZETE SOARES diz: 20 de fevereiro de 2014

    SIGNIFICA QUE O CAMPEONATO CATARINENSE TEM QUE ACABAR!!!!!!

  • maiconf diz: 20 de fevereiro de 2014

    DE ULTIMO PRA 1° em 3 rodadas. DALHE BRUSCÃOOOOOOOOOOOOO

  • Arthur diz: 20 de fevereiro de 2014

    Belo e correto comentário,Castiel. Lasquei o Marcílio como último e, pasme, o meu Avaí como campeão. Agora vamos disputar o descenso e com grandes chances de…deixa prá lá, não arrisco mais nada!

  • + X Série A diz: 20 de fevereiro de 2014

    Caro Castiel: Nasci em 1972 e, como colocaste, de lá para cá, o título só saiu das mãos de FIGUEIRENSE, Avaí, Chapecoense, Criciúma e Jec em 1992… Acontece que a fórmula deste Estadual é absurda e ridícula (mais uma!). Ela privilegia aquelas equipes que fazem “pré-temporada” de 3 ou mais meses e prejudica quem investe mais para ter uma equipe competitiva para o ano todo, seja nas Séries A ou B e na Copa do Brasil. Ela define quem disputa ou não o título em 9 rodadas! Considerando que os finalistas jogarão 17 vezes e os do “hexagonal de consolação” terão 19 jogos, por que não se elaborou uma fórmula com PONTOS CORRIDOS, definindo o campeão, as vagas na Copa do Brasil e na Série D, além dos dois rebaixados, em 18 rodadas? Além disso, nossos times das Séries A e B estariam mais bem preparados para a disputa do Brasileirão. Quem acha que o campeonato está emocionante, que aguarde a segunda fase. A emoção ficará quase que restrita ao quadrangular final. Bom, Brusque e Metropolitano não tem nada a ver com isso… Mas que a fórmula é horrível, isso é!

  • + X Série A diz: 20 de fevereiro de 2014

    Corrigindo o meu “portugueis” mal digitado: Brusque e Metropolitano não TÊM nada a ver com isso…

  • garrasdetigre diz: 20 de fevereiro de 2014

    Nós fazemos um estado diferente!
    Como dificilmente um clube mantem um bom grupo de um ano para outro, a tendência é sempre manter o aperto (equilibrio). Tem outro componente que influencia para diminuir diferenças técnicas. A malandragem coloca alguns arbitros na roda e derruba alguns favoritos durante uma partida.

  • Fabio diz: 20 de fevereiro de 2014

    Só faltou dizer quem foi o “Tico e o Teco” (expressão criado pelo jornalista da Folha de SP José Roberto Torero) que criou essa fórmula com a bênção da TV e dos “grandes” clubes.

  • Supremacia Azul diz: 20 de fevereiro de 2014

    O Brusque é mais um jabuti em cima do poste!

  • trricolor diz: 20 de fevereiro de 2014

    de 1978 a 1985 quem foi campeao catarinense?

  • Christian diz: 21 de fevereiro de 2014

    O Juventus vice-campeão de 1973 era o de Rio do Sul e não o de Jaraguá.

  • Zé Buscapé diz: 21 de fevereiro de 2014

    Tem gente que não gosta da fórmula pois diminui e muito a chance dos INCOMPETENTES (AVAI).

  • zé alvnegro diz: 22 de fevereiro de 2014

    Otimo comentario Castiel , nosso canpeonato nao é de dois clubes apenas , isto é antes de tudo um previlegio , outro fato que me agrada é os comentarios denegrindo o mesmo tachando de fraco amador nivel baixo como acontecia no ano passado, a subida de dois para a serie A fechou a boca dos corneteiros , este equilibrio de 5 ou mais clubes é uma qualidade que é unica no brasil se excluirmos os dois estados do centro , esta mais do que na hora de aumentar o numero de participantes no mesmo , pelo menos 14 clubes , é inadimissivel que cidades como lages com quase 200 mil habitantes , tubarao , concordia entre outras , fiquem tanto tanto tenpo fora da primeira divisao .

Envie seu Comentário