Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Clayton é passado, qualificação do grupo do Figueirense para o Catarinense é a cobrança agora

23 de fevereiro de 2016 19
Clayton

 Clayton (E) fora do clássico. Foto: C. Estrela

Eu prefiro comentar sobre fatos, não sobre suposições.

É fato que, após longa negociação (alguns diriam leilão) chegou-se à negociação de Clayton (confira a matéria no DC).

É fato também que Clayton era o melhor jogador do Figueira e talvez o melhor de SC (ou vocês acham que um acerto de cinco temporadas é para qualquer um?)

É fato, igualmente, que o Figueirense, que já era carente no gol e na articulação de meio, agora está carente no ataque (quem funcionou no ataque até agora se não Clayton?)

Então, com base nos fatos, acima, não suposições, o que mais preocupa agora, como analista, do ponto de vista esportivo, de rendimento, é o próximo passo da diretoria do Figueirense. No Debate Diário se falou na vinda do He Man. Tem tudo para ser aquelas jogadas boas só no papel.

Porque o Rafael Moura vem de sérios problemas físicos e já manifestou (em sua soberba, que o fará rever conceitos muito em breve) de que não gostaria de jogar no Figueira. Mas, vá lá… supondo que o atleta escute conselhos de empresários e venha afim e entre em forma, aí vem a questão do salário.

Mesmo com parte paga pelo clube mineiro, os demais do grupo ficarão de olho no desequilíbrio da balança. Se o cara vier e resolver, tudo bem, mas se vier, ganhar bem e acima dos demais, e não produzir, mina o grupo inteiro. Então, bota arriscado nisso.

Falei do ponto de vista desportivo. Agora vamos ver o pós-Clayton do ponto de vista patrimonial. Neste quesito, eu não me meto, pois não tenho acesso aos dados, às fraçôes, o quanto coube a cada um. Até porque cada parte divulga um valor, que mais lhe convém.

Então, ficará a cargo do Conselho Deliberativo, o único que pode ter acesso aos dados para saber se o retorno ao clube (seja em dinheiro, seja em reforços) será proporcional.

Como disse, precisamos de fatos e não suposições. E para trabalhar com fatos e, depois, opinar, vamos aguardar os reforços, se vierem. Dando resposta esportiva, tudo se acalma. E o que e resposta esportiva? No caso do Figueirense, nada menos do que lutar pelo título. E jamais passar o constrangimento do tipo que passou em Chapecó, onde parecia um time da terceira divisão, acuado e com medo, diante da Chapecoense.

Bookmark and Share

Comentários (19)

  • Marco diz: 23 de fevereiro de 2016

    Tens razão, Castiel, Clayton já era. Aliás, um dos poucos atacantes projetados pelo Figueira que tem tudo para emplacar em grandes clubes. Sem ele, a perspectiva é negra. He Man é piada, talvez sirva para um dos clubes que disputará a 2a. divisão do catarinense. Que tal o Diego Renan, que era reserva do Marquinhos e jogou as últimas partidas e foi muito bem na organização do Avaí? Ainda fica faltando um atacante incisivo, mercadoria rara e cara no momento.

  • ney lucio felix diz: 23 de fevereiro de 2016

    A venda do Clayton foi um grande negócio para a águia do Wilfredo que tinha 30% dos direitos federativos do jogador.
    Já o Figueirense, que só tinha 10%, vai receber menos do que o Avai recebeu pelo Rafinha, jogador da base que nunca vestiua camisa do profissional qeu foi vendido por 800 mil euros que dá em torno de R$4.000.000,00 (quatro milhoes de reais) enquanto o Clayton vai render em torno de R$ 1.300.000,00 (hum milhão e trezentos mil reais).
    Grande negócio, para o Wilfredo é lógico.

  • Edson José da Silva diz: 23 de fevereiro de 2016

    É por essas e outras que Santa Catarina nunca terá um grande clube de futebol, é só aparecer um jogador diferenciado que os “gestores profissionais” negociam. Ainda não aprenderam que o negócio é vender direto para a Europa, coisa que o Atlético mineiro vai fazer daqui a pouco e encher o bolso de dinheiro, e nós, torcedores, teremos que nos conformar com refugo que o Atlético não quer mais!

  • Mazinho Alvinegro diz: 23 de fevereiro de 2016

    Aquela pakita-velha bichada ainda está na ativa?
    Não me dix!
    A pakita-velha e o Alemão Sarnento tem algo em comum e justifico:
    Os dois tem mágoa do + x CAMPEÃO e atual BICAMPEÃO.
    O primeiro porque foi dispensado por insuficiência técnica.
    O segundo, porque foi magoado profundamente por dentro, .. kkkk!

    Sobre o Rafael Moura ex-jogador, será mais uma dor de cabeça das grandes para o Eutrópio, além de ser chinelinho e ultra-mascarado.

    Mas quem duvida é doido. O Figueira parece ter um imã que atrai essas tranqueiras, vide; França – Carlos Alberto – Elias – Pedrinho (podrinho) e afins.

  • cezar diz: 23 de fevereiro de 2016

    É jogador de time pequeno, não sabe driblar, só joga a bola pra frente e sai na corrida, como é jovem e te bom arranque chega na maioria das vezes na frente dos zagueiros pesadões, chuta razoável , mas como vai pra time grande agora e vai passar a ter notoriedade não acredito num futuro promissor pra esse rapaz, vão saber marcar ai adeus ”craque”, não acredito que disse craque, mas, a imprensa e a torcida do estreito o elegeu assim paciência, afinal quem tem um olho em terra de cego é rei. Ta certo o wilfredo viu a oportunidade de ganhar dinheiro fácil com mercadoria barata, vendeu.

  • TAYLOR ALVINEGRO diz: 23 de fevereiro de 2016

    Caro e nobre Castija….quanto tempo….

    Estive ocupado com o trabalho e correria la na Prefeitura…..

    Mas fui obrigado a opinar aqui….Sobre a saida do Clayton.. uma vergonha pseudo chamada de terrivel acontecimento…..

    Como o Figueira se desfaz do unico jogador de seleção Brasileira olimpica atual de todo o Campeonato Catarinense?
    se o Ney ai encima estiver certo vc acha que R $ 1.300.000 vai trazer algum (meio )Clayton para o elenco atual…..tiro no pé com Escopeta ainda….

    Pra variar vamos trazer refugos e encostados…se bem que alguns jogaram alguma coisa nos anos anteriores aqui nao e? E lutar no returno. …mas acredito que devemos começar a olhar o Brasileirão com carinho…

    Abraco jovem….tudo de bom…e seja o que Deus (e o Brillinger ) quiser….

    TAYLOR ALVINEGRO

  • leonardo diz: 23 de fevereiro de 2016

    sou atleticano, e andei lendo a coluna e fica aqui a minha opiniao, o valor do clayton não foi pouco, o figueira que tem pouco dele 10% , segurar um jogador promissor assim e muito dificil, e tambem acho que no atletico tem bons jogadores para o figueira sim, que pena que sera uma vitrine para o atletico, mas o carlos, o dodo ,o carlos cesar, o thiago,o henrique sao bons jovens e nao aproveitados no atletico,nao sao refugos como estao vendo. Acredito que nao sentiram o pesa da camisa pois estao indo bem no mineiro e mostrando trabalho. abraço a todos fiquem com deus.

  • Mazinho Alvinegro diz: 23 de fevereiro de 2016

    Taylor, deixe de ser tanso!

    O Ney Lúcio Félix é um Bvaianus ciumento, invejoso e explico.
    Lá no mangue eles estão torrando os gurizes da base para pagar fornecedores, salários atrasados, cláusulas de penhora, trocentas dívidas trabalhistas e, mesmo se venderem todos, ainda ficam devendo o kudaskalças.

    O Clayton foi vendido 50% de seus direitos por 15.260.000,00 (3.500 euros), a maior transação da história do futebol catarinense e uma das maiores do Brasil.
    Isso provoca uma ciumeira danada na vizinhança, .. kkk!

  • + X Série A!!! diz: 23 de fevereiro de 2016

    “É jogador de time pequeno, não sabe driblar, só joga a bola pra frente e sai na corrida”… Acho que tu (bvaiano, com certeza) nunca viste o Clayton jogar. Ou és cabeça de camarão…

  • Alemão diz: 24 de fevereiro de 2016

    Engraçado.
    É só falar umas verdades, e o cara tem “mágoa”.
    Imagina o estado que o cara tem que estar em relação ao futebol para ter alguma mágoa do Figueirense, “o + vezes campeão”, coisa que só conseguiu depois de 80 anos de campeonato catarinense, e o “bicampeão” de 2014 (dois gols irregulares na final) e 2015 (tapetão).
    Acorda Mazinho Alvinegro. Não sei tua idade, mas o futebol não começou depois de 2002.
    Teu time só começou a ser realmente grande em SC depois desta época.
    Depois de 1941 foram 4 títulos em 61 anos, quando começou a sequência a partir de 2002. Chegou a ficar 31 anos sem ganhar um título (1941-1974) e depois mais 20 (1974-1994).
    Isso é time grande dentro do estado? Até o Metropol ganhou mais título nesse período.

    Pega uma turma que tem hoje 70 anos de idade, e eles vão te dizer que o Figueirense ganhar catarinense era raridade. Era tipo a Portuguesa em São Paulo.

    É isso aí…

  • Bernardo Figueira diz: 24 de fevereiro de 2016

    Caro, não precisa se fazer de desentendido para preservar a imagem de nosso nobre golpista. Tanto o UOL, Globoesporte e o próprio Meu Figueira veiculam a mesma informação; 10 % para o Clube, 30 % para a SM2 e 10% para o BMG. Todo mundo ja sabe disso, inclusive foi muito comentado no debate de segunda feira. Então essa estória de “precisamos de fatos e não suposiçoes” não cola. Era suposição que Clayton iria pro Atlético e foi. Repito, as informações de diferentes fontes coincidem. Vamos esperar o golpista se manifestar para tomar partido??

  • Marcio diz: 24 de fevereiro de 2016

    jogador de mídia… muita gente ganhando um dim dim….
    É jogador comum…..
    O goleiro Renan do Avaí era um frangueiro e jogou na Seleção Brasileira!!!!!!
    Parem de bajular!!!!!!!!!

    Coitados!
    Quanto pensam que estão formando um MARQUINHOS (ídolo) ….. é vendido rsrsrsrsrsr

  • Renato kammers diz: 24 de fevereiro de 2016

    Tem gente que se pudesse entrava pela tela do computador e pegava o cara do outro lado pra porrada, só porque torce pra outro time, tudo isso por causa dessa maravilha de futebol que avai e figueira estão jogando. Há um quintal cheio de mato pra vcs capinarem.

  • Adailton Rodrigues diz: 24 de fevereiro de 2016

    Pelos Comentarios ai de cima, Tem gente que gosta de Comparar Times de Série A com de Série B. Uma Piada. Tem gente até fazendo contas sobre quanto o Figueirense recebe pela venda do Cleytinho. Este 4 milhoes que o Figueirense recebe e mais alguns Bons jogadores para melhorar o Time e Ser Tri Campeão Catarinense, esta incomodando muita gente. Da Pena ver. Mas estão pagando pela inoperancia da Diretoria, e Arrogancia de muitos torcedores, alguns que não tem humildade para reconhecer no mais Vezes Campeão, a melhor extrutura do Futebol de Santa Catarina. Anote Ai: Vamos ser Tri-Campeões lá em Chapecó.

  • cezar diz: 24 de fevereiro de 2016

    + X Série A!!! diz:
    23 de fevereiro de 2016
    “É jogador de time pequeno, não sabe driblar, só joga a bola pra frente e sai na corrida”… Acho que tu (bvaiano, com certeza) nunca viste o Clayton jogar. Ou és cabeça de camarão…

    É ISSO AI MESMO, ESSE FUTEBOL TODO QUE FALAM, NUNCA VI.

  • Carlos Cojeka diz: 25 de fevereiro de 2016

    Se não vier o He-Man, tem o Loco Abreu…

  • Alemão diz: 25 de fevereiro de 2016

    Nossa, o tal de Adailton se superou.

    Comparar time de série A com time de série B. Essa é boa. O Figueirense, assim como Avai, Chapecoense, Ponte Preta e Goiás, são times de série B que estão na série A, basta ver a constante troca e luta anual para não cair. Ficam se revezando.
    Isso sem contar a melhor “extrutura”.

    É isso aí…

  • Edson Silva diz: 25 de fevereiro de 2016

    Rafael Moura por cleyton? O wilfredo só pode tá de sacanagem! Já cancelei minha carteira de sócio e não vou mais ao estádio! Assinarei o paperview!

  • diego diz: 26 de fevereiro de 2016

    O Castiel na foto é o Jéci e não o Marquinhos.

    Nota do editor: é verdade! Vou arrumar…

Envie seu Comentário