Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Coletiva de Rogério Micale da Seleção Olímpica mostra que estilo Dunga começou a ser sepultado

29 de junho de 2016 1
Rogério Micale

Rogério Micale (E). Foto: Moha Press

Trata-se de uma Seleção Olímpica que, no papel, pode render um ótimo time de futebol. Conhecendo o excelente trabalho de Rogério Micale, espero que a equipe e o projeto encaixe. (confira matéria mostrando detalhes da convocação). Torço muito por um trabalho de base tocado por quem conhece do riscado.

Aliás, um enorme parabéns a Micale pela serenidade na entrevista coletiva. Não comprou brigas ou deu “tiradas” polêmicas ao ser questionado sobre suposta “inexperiência”, sobre influências de Tite ou sobre Neymar. Aliás, garantiu que não vai julgar Neymar antes de ter o convívio com o jogador  e de forma inteligente garantiu que quer Tite ao seu lado de forma atuante.

Veja o que ele disse em relação a Neymar:

- Eu vou conhecer o Neymar, olhar no olho, conversar com ele, como homens que somos, e conviver com outros atletas. Vou ver características de cada um. Seria leviano fazer comentário sobre pessoa com quem não tive um mínimo de convivência, não só Neymar como qualquer outro – explicou.

É ou não um dos primeiros sintomas de uma mudança radical no estilo Dunga? Aquela chatice de ver tudo e todos contra! Truculência, respostas grossas, isso já era. Ainda bem. Demorou. Tanto Micale quanto Tite na principal farão um bem ao Brasil e à imagem da Seleção, tão desgastada pelo antigo comandante e ainda sofrendo com a atual cúpula da CBF.

Micale foi humilde e amparou-se no domínio que tem da categoria que vai treinar.

Será, aliás, a grande chance de o país permitir que novas cabeças pensem nosso futebol. E também um importante momento para Neymar mostrar ao que veio em nível de Seleção.

O garoto que rende muito no clube (por causa da estrutura do Barça, que lhe facilita a vida como coadjuvante e não como protagonista) terá que mostrar ter maturidade para ser “o cara” da Seleção.

Diga-se de passagem, mesmo com algumas excelentes atuações pela canarinho, Neymar sucumbe na Seleção tanto na produtividade, quanto nas atitudes fora de campo.

E isso só acontece porque a CBF continua sendo CBF, atrasada em termos de gestão, e comprometida em termos de convocações. A entidade está sendo obrigada a engolir dois profissionais que não vão se submeter a certas situações, casos de Micale e Tite.

Aliás, ver Del Nero usando a convocação para se promover, mas não aceitando falar sobre o futebol brasileiro, é o mais do mesmo. Aconteceu hoje e segue  preocupando. Pode a médio prazo comprometer o trabalho de Micale e de Tite na Seleção Principal.

Como leitura complementar, gostei muito do que exreveu PVC em seu blog, tratando sobre a herança maldita deixada por Dunga, mas o otimismo em relação a Micale. Clique aqui e leia.

Bookmark and Share

Comentários (1)

  • Wendell diz: 29 de junho de 2016

    Boa seleção!

    Fernando Pras é uma grata surpresa, pena que “Valdívia” do Inter está contundido, jogou muito nos amistosos pré-olímpicos.

    Boa Sorte ao Micale e a Seleção Olímpica.

Envie seu Comentário