Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Argel volta ao Figueirense para reagrupar os soldados alvinegros e para reeditar suas famosas entrevistas quentes

11 de julho de 2016 6
Argel, Figueirense

Figueirense entrega de volta a bola a Argel

Este post está muito longe de avaliar se a volta de Argel será boa ou ruim para o Figueirense. E nem este é o propósito. Mas o espaço não vai ficar em cima do muro: acho muito legal que o treinador receba a bola de volta para tentar reerguer o Figueirense.

Os motivos são vários. Elenco alguns deles.

Primeiro: nunca vi uma direção, a menos que a insanidade reine, trazer de volta alguém que não tenha feito algo de muito bom para o clube. O presidente Wilfredo Brillinger e o departamento de futebol do Figueira aproveitaram a saída de Argel do Inter para trazê-lo de volta porque confiam no técnico. E sintonia entre direção e comandante é tudo no futebol de hoje em dia.

Segundo, a passagem de Argel pelo Alvinegro é positiva. Com ele, o Figueira tinha personalidade, revelava garotos, sabia lidar com os mais experientes, tinha bom padrão tático e tinha ótimos resultados de campo.

Terceiro, sequer encaro o que ocorre agora como uma volta e, sim, como uma continuidade. Interrompeu-se um trabalho que é retomado.

Quarto, podem até não gostar da personalidade de Argel e de suas entrevistas. Mas, eu, se fosse dirigente (e não sou, isso é um exercício de opinião) teria me representando alguém que é de iniciativa, que não espera acontecer, que não é morno. Argel pode não ser simpático com jornalistas, mas joga o jogo. Diz presente, bate de frente, compra a briga. No mundo do futebol, isso é fundamental.

Vai dar certo? Volto à frase inicial. Já que Série A é pedreira e imprevisível. Pode não funcionar, mas acredito que com o grupo à disposição, Argel pode colocar o Figueira nos trilhos. E até torço para isso, para o bem de nosso futebol.

Não tenho dúvida que ver os “soldados” em campo será salutar para o Figueira.

Bookmark and Share

Comentários (6)

  • RICARDO CUSTODIO diz: 12 de julho de 2016

    Na próxima entrevista coletiva ele poderia dizer se acha um retrocesso na carreira dele sair do Inter pra treinar um time que ele mesmo chamou que pequeno.

  • carlos diz: 12 de julho de 2016

    Ele mesmo falou que figueirense é um time muito pequeno. Vai levar pra série B este ano.

  • da ilha diz: 12 de julho de 2016

    A verdade no futebol não dura 24hs, Seja bem vindo de volta Argel

  • carlos diz: 13 de julho de 2016

    Temos treinadores bem melhores que Argel. Vai ser sempre a mesmice de sempre. Emerson Maria sim que seria um grande treinador não esse time fraco e medíocre.

    Vai levar i Figueirense para a série B. Não chega no final do campeonato. Não tinha emprego e o tanso do figueira logo arrumou. É time pequeno e ruim mas vou faturar uns 900.000,00 até o fim do ano com os bobos que me contrataram novamente.

  • Rogério diz: 13 de julho de 2016

    Nossa, grande mesmo é o Avaí, o Criciuma, o JEC…times que não saem da B.

  • MAURINO BASTOS diz: 17 de julho de 2016

    Carlos, Emerson Maria? Ele pode chegar na seleção, mas no meu Figueira, não quero nem que passe pelo entorno do estádio. Voce parece mulher de bandido que gosta de apanhar. Um cara que aprendeu dentro do nosso clube, foi dispensado é verdade, mas na primeira oportunidade achincalhar, cuspir no prato que comeu, debochando de todos nós? Não meu amigo. Eu só não quero que ele passe fome, o resto, que morra.

Envie seu Comentário