Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Sem categoria"

Mudança de endereço

12 de maio de 2017 0

Olá pessoal, o blog Cenário Político encerra sua participação neste formato. A partir de agora você encontra informações em radiogaucha.com.br ou zerohora.com.br

Obrigada e até breve!

 

Marcela Temer não vem mais

10 de abril de 2017 0
FOTO: Beto Barata/PR

FOTO: Beto Barata/PR

Aguardada no lançamento do programa Criança Feliz, nesta segunda-feira, a primeira-dama Marcela Temer não virá a Porto Alegre. A informação foi confirmada ao Cenário Político pela assessoria da primeira dama na manhã desta segunda (10).

A presença de Marcela no evento havia sido anunciada no site do governo do Estado, assim como as do ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, e do governador José Ivo Sartori.

Conforme o Piratini, “nessa primeira fase, 72 municípios estão aderindo ao Programa, lançado em outubro de 2016″.

A primeira dama, Marcela Temer, é considerada uma espécie de embaixadora do Programa Criança Feliz, que tem entre os objetivos, apoiar e acompanhar o desenvolvimento na primeira infância, até os 3 anos, e, no caso de crianças em situação de vulnerabilidade ou de necessidades especiais, até os 6 anos.

Senador Lasier Martins é nomeado vice-presidente do PSD gaúcho

04 de abril de 2017 0
 Andréa Graiz / Agencia RBS


Andréa Graiz / Agencia RBS

Após intervenção da executiva nacional do partido, o comando do PSD no Rio Grande do Sul foi substituído. O presidente nomeado é Humberto José Chittó. O senador Lasier Martins, que chegou à sigla após desembarcar do PDT, será um dos vice-presidentes, ao lado de Letícia Boll Vargas. O ex-presidente, deputado estadual Edu Oliveira, foi realocado na nova nominata como 4º vogal, posto com pouca influência nas decisões.

De acordo com nota divulgada pelo PSD gaúcho, a intervenção ocorreu para reorganizar os cargos mais importantes após a filiação de Lasier Martins. No entanto, nos bastidores, comenta-se que houve desacordos entre Edu Oliveira, que assumiu como deputado estadual após a cassação de Mário Jardel e a desistência do 1º suplente Tarciso Flecha Negra, e o vice-governador gaúcho, José Paulo Cairoli, que havia se licenciado da presidência da sigla e que, agora, não deve ocupar postos diretivos.

Estado avalia conceder imóveis públicos por construção de novo Presídio Central

16 de março de 2017 0
Foto: Daniel Marenco / Agência RBS

Foto: Daniel Marenco / Agência RBS

A falta de dinheiro para investimentos e a crise penitenciária podem levar o Estado a encontrar uma alternativa caseira para a reforma da Cadeia Pública de Porto Alegre, o Presídio Central. Com capacidade para 1.824 presos, o local abriga mais de 4.500. A saída para recuperar os prédios passaria pela permuta de imóveis públicos com a iniciativa privada, que ficaria responsável por pagar a reconstrução.

Se essa alternativa for confirmada pelo Estado, o foco será a velocidade das obras com o menor impacto referente à transferência de detentos. As obras ficariam a cargo de empresas que utilizam módulos prontos, o que agilizaria a conclusão. A demolição e a reconstrução ocorreriam por pavilhão.

Os modelos para esse tipo de intervenção seriam o Presídio Estadual de Canoas e a Penitenciária Modulada de Charqueadas.

Troca de local

Outra possibilidade é a troca do local do Presídio, já que a área é considerada urbanizada demais para manter uma grande penitenciária. Assim, a própria área da cadeia poderia ser oferecida em troca de outro local que receberia um prédio totalmente novo.

Anúncio

Nesta sexta-feira (17), o Estado vai divulgar onde será construído o primeiro presídio federal em solo gaúcho. A agenda está marcada para as 11h30, no Palácio Piratini, e terá a presença do Ministro da Justiça, Osmar Serraglio.

Anúncio de cidade que vai receber presídio federal no Estado é aguardado para sexta

15 de março de 2017 0
Foto: Daniel Marenco / Agência RBS

Foto: Daniel Marenco / Agência RBS

Um evento com a presença do ministro da Justiça, Osmar Serraglio, está marcado para a manhã de sexta-feira (17) no Estado. A expectativa é que ele anuncie a cidade que receberá o presídio federal, com cerca de 200 vagas, que será construído no Rio Grande do Sul em um prazo de até dois anos. A agenda foi confirmada nesta quarta (15) pelo governador José Ivo Sartori, durante reunião-almoço na sede da Federasul.

A tendência é que o município que receberá a nova instituição prisional seja da Grande Porto Alegre ou da Serra gaúcha, já que a União pede acesso facilitado via rodovias e aeroporto, além de outros pré-requisitos.

A construção de outros dois presídios, com gestão estadual, também estão confirmadas para os próximos anos. No entanto, o anúncio dos locais escolhidos ocorrerá somente a partir da próxima semana.

"Ele nunca sabe de nada", diz Delcídio sobre depoimento de Lula à Lava Jato

15 de março de 2017 0
Foto: Agência Senado

Foto: Agência Senado

*Tiago Boff 

O ex-senador Delcídio do Amaral ironizou o primeiro depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como réu na Operação Lava Jato. Ao blog, Delcídio disse “ele (Lula) nunca sabe de nada”.

Nessa terça-feira (14), o ex-presidente negou ter participado de um plano para evitar que o ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, fechasse acordo de delação premiada.

Delcídio reafirmou que era do interesse de Lula e do pecuarista José Carlos Bumlai evitar a delação de Cerveró: “Se o Bumlai, que é amigão dele, foi condenado com o Nestor pela compra das sondas, em troca dos R$ 12 milhões para o PT, a quem interessaria a delação do Nestor? Ele (Lula) disse ontem que também não sabia dessa condenação. Com todo respeito”, concluiu o ex-parlamentar.

Delcídio resumiu a lista do procurador-geral da república Rodrigo Janot, que pediu abertura de 83 inquéritos para investigar políticos citados por delatores, em uma frase: “Vixe Maria”.

 

Prefeito de Canoas é eleito para a presidência da Granpal

10 de março de 2017 0
Foto: Vinicius Thormann / Prefeitura de Canoas / Divulgação

Foto: Vinicius Thormann / Prefeitura de Canoas / Divulgação

O prefeito de Canoas, Luiz Carlos Busatto (PTB), é o novo presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre (Granpal). A escolha ocorreu nesta sexta-feira (10). A posse está marcada para o dia 30 de março.

Entre os principais temas da gestão à frente da entidade metropolitana, estão a segurança pública e o projeto de linhas de aeromóvel que cheguem a diversos municípios da região.

Em relação à segurança pública, Busatto defende a interligação dos trabalhos das Guardas Municipais, Brigada Militar, Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal. Sobre mobilidade urbana, afirma que as prefeituras que compõem a Granpal devam “se debruçar sobre o assunto e discutir a viabilidade do projeto”, apresentado pela empresa chinesa China Railway First Group e em fase de estudos pelo Ministério das Cidades.

Busatto sucederá o ex-prefeito de Sapucaia do Sul Vilmar Ballin (PT). Os presidentes para os próximos anos serão os seguintes:

- 2018: André Pacheco (PSDB), prefeito de Viamão

- 2019: Miki Breier (PSB), prefeito de Cachoeirinha

- 2020: Margarete Ferretti (PT), prefeita de Nova Santa Rita

Vereadores de Porto Alegre aprovam criação do Dia de Combate ao Aumento de Mensalidades em Universidades e Escolas

23 de fevereiro de 2017 0

Os vereadores de Porto Alegre aprovaram a criação de mais uma data significativa no calendário da Capital gaúcha. Trata-se do “Dia do combate ao aumento da mensalidade nas universidades e escolas privadas”, que foi incluído no Calendário de Datas Comemorativas e de Conscientização do Município de Porto Alegre.

A data será celebrada na primeira quarta-feira do mês de junho. O projeto, de março de 2013, é de autoria do vereador Rodrigo Maroni.

Ao blog Cenário Político, o vereador explicou a criação da data: “Eu pessoalmente sou contra criar apenas uma data para algum assunto específico, mas é importante ter esse dia como símbolo para que as universidades reflitam sobre esses aumentos que muitas vezes fazem os estudantes levarem dez, doze anos para se formar, porque não conseguem pagar”.

Diogo Sallaberry/Agência RBS

Diogo Sallaberry/Agência RBS

O vereador disse que enfrentou, ao longo da sua formação superior, dificuldades para pagar a mensalidade. E que essa é a realidade de boa parte da população, que não consegue uma vaga nas universidades públicas.

“Coloquei a criação desta data, justamente no dia dos estudantes, como símbolo para refletir sobre um tema que é muito delicado”, afirmou em entrevista ao Timeline Gaúcha.

Maroni defende que o projeto tem relevância na cidade, à medida que estimularia a pressão contra as universidades. “Quando estudantes conseguem se mobilizar, consegue barrar aumentos”.

O presidente do Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinepe), Bruno Eizerick, critica a aprovação do projeto. Segundo ele, a proposta é inócua, já que o reajuste das mensalidades é amparado por legislação federal.

“Eu respeito a opinião do vereador. Mas fico muito preocupado quando a Câmara, no seu colegiado, aprova uma proposta como essa, sem base legal nenhuma. Fico preocupado exatamente com o que fazem os vereadores de uma cidade como Porto Alegre”.

Lasier diz que assinou "por engano" PEC para blindar presidente da Câmara e do Senado de investigações

16 de fevereiro de 2017 0

O senador Lasier Martins (PSD) afirmou nesta quinta-feira (16) que assinou “por engano” a PEC do senador Romero Jucá (PMDB) que blindaria os presidentes da Câmara e do Senado de investigações a respeito de fatos anteriores ao mandato.

Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

Ao blog Cenário Político, Lasier confessou que assinou o documento sem ler, a partir de um pedido de uma funcionária. “Eu estava na primeira fila quando chegou uma moça pedindo a assinatura. Pela primeira vez, assinei sem ler. Estava ali uma porção de gente do PSDB, imaginei que fosse um projeto sério”, disse.

O senador acrescentou que foi avisado por Randolfe Rodrigues (REDE), mais tarde, sobre o conteúdo da proposta, mas aí “já era tarde demais”.

“Quando terminou a sessão, o Randolfe me perguntou por que eu tinha assinado, e eu corri para tentar tirar a assinatura. Quando cheguei lá ja tinha sido registrada”, contou.

Em entrevista ao Timeline Gaúcha nesta manhã, Lasier disse que aprendeu uma “grande lição”, de não assinar nada sem antes saber do que se trata.

“É evidente que cometi erro grosseiro de assinar sem ler. Espero que acreditem em mim”.

O político ainda reforçou que sempre foi contra ao grupo liderado por Renan Calheiros, Romero Jucá e Eunício Oliveira no Senado.

“Quem me conhece sabe que eu estou exatamente no sentido contrário. Eu não votei no Eunício Oliveira para presidente do Senado, discordo dele, como vou agora protegê-lo?”.

Rosane de Oliveira fala sobre a votação por engano:

Governo Temer está convicto sobre legalidade da nomeação de Moreira Franco, diz ministro da Casa Civil

10 de fevereiro de 2017 0
FOTO: Agência Brasil

FOTO: Agência Brasil

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou nesta sexta-feira à Rádio Gaúcha que tem convicção sobre a legalidade da nomeação de Moreira Franco como ministro da Secretaria-Geral de governo. O episódio suscitou um debate jurídico, com uma série de ações na Justiça questionando a possibilidade de que o ato de tornar o peemedebista ministro tenha um instrumento para protegê-lo com “foro privilegiado”. Sendo assim, Moreira só poderia ser investigado e, eventualmente condenado, no âmbito do STF (Supremo Tribunal Federal).

“O governo não tem por que mudar de posição. Tinha e tem convicção de que agiu corretamente (nomeando Moreira)”, disse o ministro Eliseu Padilha ao blog Cenário Político.

Citado 34 vezes na delação da Odebrecht, Moreira Franco foi empossado ministro do governo Temer há uma semana. Uma decisão liminar de um magistrado do Distrito Federal suspendeu a nomeação, no entanto foi derrubada pela AGU (Advocacia-Geral da União).

Após essa decisão, outras duas liminares entenderam pelo afastamento.

A decisão final caberá ao ministro decano do STF, Celso de Mello. Ele deu prazo até segunda-feira para que o presidente da República, Michel Temer, preste esclarecimentos sobre o fato. Coube a Mello decidir a respeito de outros dois questionamentos judiciais, dos partidos PSOL e Rede Sustentabilidade.