Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Deputados estaduais que recusaram aumento salarial deixaram de receber mais de R$ 100 mil

26 de novembro de 2015 0

 

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Por Mateus Ferraz

Os deputados estaduais que chegaram à Assembleia gaúcha em 2015 já ocuparam os cargos com um generoso reajuste nos salários. Aprovado no ano passado, o aumento de 26,34% nos contracheques elevou os vencimentos R$ 25.322 (antes era R$ 20.472). No entanto, em meio aos primeiros discursos vindos do Executivo de caos nas finanças, três parlamentares afirmaram que iriam abrir mão do excedente. O trio cumpriu a promessa e, juntos, deixaram de receber R$ 102.286.

Confira AQUI os documentos que comprovam a renúncia dos valores

Doação

A forma escolhida pelos parlamentares foi diferente. O deputado Pedro Ruas (PSOL) resolveu dividir, todos os meses, R$ 3.709 entre duas entidades assistenciais. Cada uma recebe R$ 1.854. Até o momento, 16 locais foram atendidos. O parlamentar explica a decisão de doar e não devolver os valores.

“Isso seria alimentar o que está errado. Se nós vamos devolver ao Erário, é pra pagar os aumentos que não concordamos”, relata Ruas.

As entidades são escolhidas através de critérios definidos pelo gabinete, como idoneidade e real necessidade. O local também não pode contar com uma grande entidade como mantenedora. Confira AQUI a lista das casas beneficiadas.

Devolução

Já os deputados Marcel Van Hattem (PP) e Tiago Simon (PMDB) preferiram deixar R$ 3.827 cada um, todos os meses, nos próprios cofres da Assembleia.

“Se não há dinheiro em caixa, como garantir que haja aumentos? Então, nesse sentido, essa decisão vem também para demonstrar que só podemos ser direitos se houver deveres respectivos e, obviamente, se tivermos dinheiro em caixa”, explica o deputado Marcel Vah Hattem.

Tiago Simon faz questão de destacar que a atitude dele foi individual e que não quis servir de exemplo aos colegas.

“Era fundamental que o exemplo partisse de cima. Então, nesse sentido, a minha decisão pessoal, respeitando meus colegas, foi no sentido de abrir mão desse reajuste, entendo que nós já recebemos um salário muito bom”, diz.

Assembleia

De acordo com o presidente da Assembleia Legislativa, Edson Brum (PMDB), a Casa devolveu aos cofres do Piratini cerca de R$ 2,1 bilhões. No final de 2015, economias do Parlamento serão utilizadas para pagar o 13º salário dos servidores do Legislativo, já que o Executivo não terá dinheiro suficiente nos cofres para a despesa.

Aumento

Os deputados que encerraram o mandato no final de 2014 aprovaram aumento de 26,34% aos deputados, com impacto de R$ 3,5 milhões ao ano (de R$ 20.472 para R$ 25.322). O reajuste ao governador foi de 45,97% (de R$ 17347 para R$ 25.322) e ao vice e aos secretários foi de 64,22% (de R$ 11.564 para R$ 18.991).

Devido à repercussão negativa do aumento, o governador José Ivo Sartori (PMDB) e o vice José Paulo Cairoli (PSD). No entanto, a restrição não foi seguida pelos secretários.

Envie seu Comentário