Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Dilma Rousseff"

Dilma Rousseff está na lista das 10 mulheres do ano de publicação britânica

08 de dezembro de 2016 4
Agência Brasil

Agência Brasil

O jornal britânico Financial Times escolheu a ex-presidente Dilma Rousseff como uma das mulheres do ano. O nome dela aparece ao lado da primeira-ministra britânica, Theresa May; da ginasta olímpica americana Simone Biles; da cantora Beyouncé; da candidata derrotada à presidência dos Estados Unidos, Hillay Clinton; entre outras.

À publicação, Dilma afirmou que não vai mais concorrer a nenhum cargo público, mas que continuará “politicamente ativa”. Em um trecho de uma longa entrevista assinada pelo jornalista Joa Leahy, ela afirma que o governo à frente do Brasil é formado por “velhos brancos ricos ou, pelo menos, daqueles que querem ser ricos”.

O texto define a ex-presidente como mais para uma “tecnocrata nerd” do que para uma política nata. Sobre o impeachment, há a citação das pedaladas fiscais, mas também o destaque de que “A verdadeira razão pela qual ela perdeu o poder foi a queda da popularidade em meio a uma recessão crescente e a uma investigação de corrupção na estatal Petrobras”.

Leia mais sobre a entrevista AQUI

Dilma sobre reformas de Temer: "Teremos que disputar à unha"

17 de novembro de 2016 3
Foto: Mateus Ferraz / Rádio Gaúcha

Foto: Mateus Ferraz / Rádio Gaúcha

Escalada como a principal painelista de um evento sindical que abordou “O avanço neoliberal do mundo globalizado”, em Porto Alegre, Dilma Rousseff dividiu cerca de uma hora de fala entre o tema proposto e ataques às reformas propostas por Michel Temer e ao processo que levou a seu impeachment. A PEC 55, aprovada na Câmara Federal (como PEC 241) e em tramitação no Senado, foi o principal alvo da ex-presidente. A proposição limita os gastos públicos por 20 anos, congelando investimentos em áreas essenciais.

“Temos que disputar a PEC 55 à unha. Vamos ter que disputar à unha a reforma da presidência, vamos ter que disputar a reforma trabalhista, porque eu acho que nesse tripé está a retirada dos pobres da classe média e de todos aqueles que querem uma educação de qualidade do orçamento”.

A ex-presidente reclamou que a PEC 55 prevê incidência apenas sobre a receita corrente líquida, não afetando o pagamento de juros a instituições bancárias.

Ela pediu à plateia, formada por sindicalistas, correligionários e estudantes, engajamento nas redes sociais como forma de pressão contra as medidas. Ainda assim, afirmou que há a necessidade de mudanças na previdência devido ao envelhecimento da população brasileira, mas que “não precisa ser como estão fazendo”.

Impeachment

Sobre o impeachment, voltou a defender a tese de golpe, reafirmando não ter cometido crime de responsabilidade fiscal. Segundo Dilma Rousseff, como não havia base para cassar seu mandato, a lei foi “esticada”. Ao mencionar o fato, alfinetou o atual presidente, Michel Temer.

“Como eu não tinha conta no exterior, não tinha acusação de recebimento de propina… Aliás, a última acusação de recebimento de propina da minha campanha ficou claro que não era para mim. Era para o senhor vice-presidente”, relatou, em referência à trecho da delação premiada de executivos da empresa Odebrecht.

Evento

A ex-presidente dividiu a mesa do painel com o ex-governador Olívio Dutra e o presidente da Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas (DNA), Jeferson Salazar. O evento integrou o 40º Encontro Nacional de Sindicatos de Arquitetos e Urbanistas.

Fora de Porto Alegre, Dilma Rousseff vai justificar o voto no domingo

26 de outubro de 2016 2
Houve confusão durante o voto de Dilma no 1º turno Foto: Giane Guerra / Rádio Gaúcha

Houve confusão durante o voto de Dilma no 1º turno
Foto: Giane Guerra / Rádio Gaúcha

A ex-presidente Dilma Rousseff não virá a Porto Alegre para votar no próximo domingo (30). Ela vai justificar o voto, já que está no Rio de Janeiro onde participou do evento chamado de Ato Nacional Contra a Desconstrução do Estado Democrático de Direito. A agenda ocorreu na última segunda-feira (24) e foi realizada pela Faculdade Nacional de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Ela possui uma residência na Capital fluminense.

No primeiro turno, o voto de Dilma Rousseff na Escola Santos Dumont, na zona sul da Capital gaúcha, causou grande confusão. Um juiz eleitoral proibiu a entrada de pessoas junto com a ex-presidente no prédio, incluindo os jornalistas que cobriam o fato. Profissionais da imprensa e um policial ficaram feridos.

Confira fotos de infância de 10 políticos brasileiros

12 de outubro de 2016 1

Sempre que chega o mês de outubro, muitas pessoas trocam as fotos de perfis nas redes sociais para registros de quando eram crianças. Em 2016, os políticos não aderiram à ideia como em outros anos. A crise financeira e política brasileira pode ser a explicação para essa austeridade.

No entanto, o Blog Cenário Político trouxe as fotos de criança de algumas personalidades para que se possa fazer o “antes” e o “depois”.

1. Michel Temer

Foto 1: Reprodução - Foto 2: Marcos Corrêa / Presidência da República

Foto 1: Reprodução – Foto 2: Marcos Corrêa / Presidência da República

 

2. Dilma Rousseff

Foto 1: Reprodução / Foto 2: Agência Brasil

Foto 1: Reprodução – Foto 2: Agência Brasil

 

3. José Serra

Foto 1: Reprodução / Foto 2: Andréa Graiz / Agência RBS

Foto 1: Reprodução – Foto 2: Andréa Graiz / Agência RBS

 

4. Luis Inácio Lula da Silva

Foto 1: Instituto Lula - Foto 2: Instituto Lula

Foto 1: Instituto Lula – Foto 2: Instituto Lula

 

5. Aécio Neves

Foto 1: Blog do Aécio - Foto 2: José Cruz / Agência Brasil

Foto 1: Blog do Aécio – Foto 2: José Cruz / Agência Brasil

 

6. Fernando Henrique Cardoso

Foto 1: Fundação FHC - Foto 2: Fundação FHC

Foto 1: Fundação FHC – Foto 2: Fundação FHC

 

7. José Ivo Sartori

Foto 1: Reprodução - Foto 2: Agência RBS

Foto 1: Reprodução – Foto 2: Agência RBS

 

8. Tarso Genro

Foto 1: Reprodução - Foto 2: Julio Cordeiro / Agência RBS

Foto 1: Reprodução – Foto 2: Julio Cordeiro / Agência RBS

 

9. Nelson Marchezan Junior*

Foto 1: Arquivo Pessoal - Foto 2: Nathalia Pithan / Rádio Gaúcha

Foto 1: Arquivo Pessoal – Foto 2: Nathalia Pithan / Rádio Gaúcha

 

10. Sebastião Melo*

Foto 1 (2º da esquerda para a direita): Arquivo Pessoal - Foto 2: Nathalia Pithan / Rádio Gaúcha

Foto 1 (2º da esquerda para a direita): Arquivo Pessoal – Foto 2: Nathalia Pithan / Rádio Gaúcha

 

* Fotos de Nelson Marchezan Junior e Sebastião Melo solicitadas aos candidatos por Zero Hora.

Dilma Rousseff gravará depoimento para campanha de Raul Pont na capital

09 de setembro de 2016 5
Foto: Fernando Gomes / Agência RBS

Foto: Fernando Gomes / Agência RBS

De volta a Porto Alegre, a ex-presidente Dilma Rousseff deverá gravar um depoimento para a campanha de rádio e televisão de Raul Pont à prefeitura da Capital. A costura está sendo feita através do ex-ministro Miguel Rossetto.

“Ela está disposta a gravar um depoimento. Provavelmente será na semana que vem”, adiantou o coordenador de Comunicação da campanha petista, Marcelo Danéris.

Questionado pelo Blog Cenário Político sobre a contribuição da ex-presidente na corrida ao Paço Municipal, Danéris citou o volume de recursos remetidos à cidade durante o período em que Dilma Rousseff esteve à frente do Planalto.

“Dilma destinou cerca de R$ 1 bilhão em obras para Porto Alegre. Além disso, ela é hoje um símbolo de resistência democrática”, concluiu.

A ex-presidente voltou a morar em seu apartamento na zona sul da Capital na última semana, após deixar o Palácio da Alvorada na última semana.

"Claro que é um golpe", diz Chico Buarque ao deixar o Senado

29 de agosto de 2016 26
Foto: Mateus Bruxel / Agência RBS

Foto: Mateus Bruxel / Agência RBS

* por Kelly Matos

Em Brasília para acompanhar o depoimento de Dilma Rousseff durante o julgamento do impeachment, o músico Chico Buarque conversou ao vivo com a Rádio Gaúcha na tarde desta segunda-feira (29). Contrário ao afastamento, Chico elogiou as respostas de Dilma aos senadores e disse que mantém a “esperança”, sobre a possibilidade de reverter o cenário desfavorável à petista.

Chico voltou a classificar o impeachment como “golpe”. Ele deixou o Senado por volta de 17h.

Como você avalia o pronunciamento da presidente até aqui?

Achei muito bom o pronunciamento dela. Acho que ela está muito firme nas respostas. Vamos ver se consegue reverter alguma coisa.

O senhor acha que é possível reverter a situação e impedir o afastamento definitivo da presidente?

Vamos ver né. Estamos aqui tentando. É a esperança.

O senhor esteve com o ex-presidente Lula. Como ele está?

Estamos todos animadíssimos.

A presidente insistiu na tese de que esse processo é um golpe.

Claro que é um golpe.

Fã de Dilma, candidata adota sobrenome Rousseff na urna eletrônica: “É uma mulher honesta”

22 de agosto de 2016 1

FullSizeRender

A lista de candidatos a vereador em Porto Alegre traz um sobrenome conhecido entre os eleitores. Carolina Duarte, 20 anos, não possui qualquer parentesco com a presidente afastada, mas aparecerá na urna eletrônica como Carolina Rousseff.

“Eu sempre admirei muito a presidenta pelo seu trabalho e pelas suas características. Ele é uma mulher honesta”, disse ao blog Cenário Político.

Carolina, que enfrenta sua primeira disputa eleitoral, disse que se interessou pela trajetória de Dilma Rousseff no último ano da escola, quando preparava um trabalho sobre a ditadura militar para a disciplina de História. Depois, empenhou-se pela eleição de Dilma em 2010. Não demorou para que o envolvimento lhe rendesse um apelido entre os colegas: Carol Rousseff.

“As pessoas me chamam assim. Eu sou conhecida como Carol Rousseff. Se você falar Carol Duarte, as pessoas não vão relacionar. Mas Carol Rousseff pegou”, conta.

Fã da presidente, a jovem chegou a passar a noite em frente ao prédio onde fica o apartamento de Dilma na zona sul de Porto Alegre, em fevereiro de 2015. Depois de tocar o interfone por diversas vezes (ninguém atendeu), ela sentou-se na calçada, sozinha, onde ficou por mais de sete horas.

Popularidade

A candidata, que se filiou ao PT há cerca de um ano, disse que a ideia de concorrer surgiu entre companheiros que militam junto com ela. Disse que pretende trabalhar, entre outros temas, pela juventude, pelas mulheres e por um transporte público de qualidade.

Questionada sobre a baixa popularidade da presidente, especialmente após o início do processo de impeachment, Carolina disse não ter receio de que isso possa lhe atrapalhar na disputa eleitoral:

“De modo algum. Porque mesmo na rua, a gente vê que isso está se revertendo. Não vou dizer que a popularidade está 100%. Mas o povo está começando a perceber o que está acontecendo. Eu tenho muito orgulho de carregar o sobrenome da Dilma”, acrescentou.

Temer e Dilma usam ouro do futebol brasileiro para mandar “recados” pelo Twitter

20 de agosto de 2016 2
Foto: Roberto Stuckert Filho / Divulgação

Foto: Roberto Stuckert Filho / Divulgação

Por Mateus Ferraz

Pouco depois do gol de pênalti de Neymar que deu a inédita medalha de ouro para a seleção de futebol brasileira, o presidente em exercício, Michel Temer, usou sua conta no Twitter para comemorar. Em 140 caracteres, destacou a conquista, mas incluiu no post dois “recados” sobre o atual momento político.

Ele disse que a conquista vem “em momento histórico do país” e destacou que essa é a “Hora de nos reerguermos com a grandeza do nosso Brasil”.

Já a presidente afastada, Dilma Rousseff, demorou quase 20 minutos para se manifestar sobre o resultado da final olímpica. Ela parabenizou a equipe e destacou: “Nada como um dia depois do outro!”. Em outro post, ela comemorou exaltando Neymar como o comandante da seleção.

Na página do Facebook de Dilma, Berzoini dispara contra Jucá: "Ministro do golpe"

23 de maio de 2016 5

Por Silvana Pires

Um dos ministros mais próximos de Dilma Rousseff, Ricardo Berzoini, gravou um vídeo para a página do Facebook da presidente afastada. Na publicação, Berzoini afirma que a revelação do diálogo entre o ministro do Planejamento, Romero Jucá, e o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, demonstra a verdadeira razão do golpe contra a democracia e o mandato de Dilma.

Berzoini diz ainda que a conversa “mostra um pretendente a ser ministro do golpe conversando com uma pessoa que estava sendo investigada, e eles tentando tramar pra encontrar no impeachment a forma de refrear as investigações e a apuração dos crimes praticados”.

"A história me reservou este momento", diz Collor sobre impeachment de Dilma

11 de maio de 2016 1
Foto: Pedro França/Agência Senado

Foto: Pedro França/Agência Senado

O senador Fernando Collor (PTC-AL) fez um discurso contundente contra o governo da presidente Dilma Rousseff durante a sessão do Senado que analisa a admissibilidade do processo de impeachment dela. No fim da noite desta quarta-feira (11), ele subiu à tribuna disparando uma série de críticas contra a petista. E também comparou o atual processo que o tirou da presidência, em 1992.

Embora ainda não tenha manifestado seu voto, Collor elencou várias justificativas para o afastamento da presidente.

“O maior crime de responsabilidade está na irresponsabilidade pelo desleixo com a politica, na irresponsabilidade pela deterioração economica do pais, pelos sucessivos e acachapantes deficits fiscais e orcamentarios, na irrespos, pelo aparelhamento desenfreado do estado que o torna inchado, arrogante e ineficaz”, defendeu.

Collor utilizou parte do discurso para dizer que o seu julgamento foi mais rápido do que o da atual presidente. “o rito é o mesmo, mas o ritmo e o rigor, não”, reclamou. Ele ainda ressaltou que não foi condenado pela Justiça. O prazo para as acusações contra Collor em razão de irregularidades apontadas no período em que foi presidente prescreveram.

Ao fim do discurso, o senador voltou a lembrar do período em que foi obrigado a deixar a presidência. “A história me reservou este momento, devo vivê-lo no estrito cumprimento de um dever”. Na sequência, finalizou citando o filósofo franco-alemão Barão d’Holbach: “tudo nos prova que a cada dia nossos costumes se abrandam, os espíritos se esclarecem e a razão conquista terreno”.

Assista ao discurso: