Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Eleições"

Candidatos em cidades que terão novas eleições para prefeito devem ser indicados até 5 de fevereiro

30 de janeiro de 2017 0
Foto: Maykon Lammerhirt / Agência RBS

Foto: Maykon Lammerhirt / Agência RBS

Começa nesta segunda-feira (30) e vai até 5 de fevereiro o período para convenções partidárias nos municípios que terão novas eleições para prefeito em 12 de março. Em 6 de fevereiro, todos os candidatos devem efetuar o registro junto à Justiça Eleitoral. A campanha começará no dia posterior, mas sem rádio e televisão, e irá até 11 de março.

No RS, seis cidades terão novo pleito: Arvorezinha, Butiá, Gravataí, Salto do Jacuí, São Vendelino e São Vicente do Sul. Em todas, o candidato mais votado teve o registro de candidatura indeferido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Até a escolha dos novos prefeitos, os Executivos são comandados interinamente pelos presidentes das Câmaras de Vereadores.

Eleitores têm até a próxima quarta-feira (1º) para fazer o primeiro título ou solicitar transferência do domicílio eleitoral.

Além dos seis municípios gaúchos, eleições suplementares serão realizadas em Ervália (MG), São Bento Abade (MG) e Calçoene (AP).

Tarso admite possibilidade de sair do PT se partido não fizer ‘revolução interna’

04 de novembro de 2016 24
Carlos Macedo / Agencia RBS

Carlos Macedo / Agencia RBS

O ex-governador do Rio Grande do Sul Tarso Genro defendeu nesta sexta-feira (4) mudanças profundas no comando do Partido dos Trabalhadores. Em entrevista ao programa Timeline, Tarso argumentou a importância de uma troca “nos principais cargos de direção do partido”, a fim de que ocorra uma espécie “revolução interna”. Tarso defendeu o nome de Fernando Haddad, atual prefeito de São Paulo, para comandar esse movimento.

“Acho que esta direção se esgotou. Acho que o partido, pra se revigorar, tem que fazer uma revolução interna, trocar os principais cargos de direção do partido. Eu votaria no Haddad de olhos fechados”, disse.

Questionado sobre a possibilidade de deixar o Partido dos Trabalhadores, Tarso Genro disse que pretende permanecer, num cenário em que o partido promova mudanças internas. Se isso não acontecer, Tarso fala sobre reavaliação e diz que poderá trabalhar “outra alternativa”.

“Eu estou trabalhando pra que isso ocorra (mudanças para permanecer no PT). Se isso não ocorrer, acho que muita gente, não somente eu, vai reavaliar qual o tipo de movimentação política que vamos fazer; mantendo o PT ou trabalhando em outra alternativa”, disse.

Tarso também defendeu que o ex-presidente Lula não seja candidato à presidência novamente em 2018.

“Temos que abrir espaço para novos quadros políticos. Não só do PT, mas também do campo político que representamos”.

Eduardo Cunha

Tarso Genro também afirmou que, na sua interpretação, a prisão de Eduardo Cunha foi “equivocada” do ponto de vista jurídico. Porém, disse que se sentiu satisfeito porque Cunha teve papel preponderante “no lastro da corrupção brasileira”. Na avaliação de Tarso, que foi ministro da Justiça no governo Lula, Cunha deveria ter sido submetido às regras constitucionais e processuais que orientam esse tipo de prisão e, nesse sentido, não havia necessidade de prendê-lo.

“Eu acho que foi equivocada do ponto de vista jurídico. Eu acho que a prisão não seria necessária. Ela não foi uma prisão para garantir a execução do processo. Ele estava aí, a família dele estava aí, ele estava à disposição da Justiça. Então, não precisava prendê-lo”, disse o ex-ministro em entrevista ao programa Timeline.

O ex-governador, no entanto, ponderou que Cunha deveria ter sido preso quando estava à frente da Presidência da Câmara, isso porque naquele momento “estava utilizando seu cargo para interferir no processo político do país”, disse.

Horário político em rádio e TV acaba nesta sexta-feira (28)

27 de outubro de 2016 1
Divulgação

Divulgação

Os dois blocos de 20 minutos e as inserções durante todo o dia das propagandas eleitorais acabarão nesta sexta-feira (28). O dia marca também o limite para que candidatos divulguem anúncios pagos em jornais impressos. A data ainda marca o prazo final para a realização de debates.

Na noite desta sexta, a RBSTV realiza o último debate entre os candidatos Sebastião Melo (PMDB) e Nelson Marchezan Junior (PSDB), em Porto Alegre. Em Caxias do Sul, o embate será entre Edson Néspolo (PDT) e Daniel Guerra (PRB). Já em Santa Maria, irão participar Valdeci Oliveira (PT) e Jorge Pozzobom (PSDB). A Rádio Gaúcha fará a transmissão.

No sábado (29), as campanhas ainda poderão distribuir panfletos e santinhos, além de fazer propagandas com carros de som.

Luciana Genro irá ao Rio de Janeiro apoiar candidato do PSOL no 2º turno

13 de outubro de 2016 9
Foto: Jaques Machado / Rádio Gaúcha

Foto: Jaques Machado / Rádio Gaúcha

Após tomar a decisão de não apoiar nenhum dos candidatos que disputam o 2º turno das eleições em Porto Alegre, Luciana Genro (PSOL) irá ao Rio de Janeiro atuar na campanha de seu correligionário, Marcelo Freixo. A questão ainda não foi fechada, mas há boas chances dela permanecer na Capital fluminense no dia da votação, justificando seu voto posteriormente.

“Irei para o Rio de Janeiro colaborar com a vitória do Freixo que é a esperança que nós temos de abrir uma brecha nessa situação política tão difícil”. Na cidade, o candidato garantiu uma vaga no 2º turno para disputar a prefeitura com Marcelo Crivella (PRB).

Nesta sexta-feira (14), ela estará na Cinelândia, no centro da cidade, em um ato com Marcelo Freixo e a vice dele na chapa, Luciana Boiteux.

Desempenho

Sobre seu desempenho na votação na Capital gaúcha, Luciana admite que esperava resultado melhor, mas garante que sai satisfeita frente às condições da disputa. Ela lembra que possuía apenas 12 segundos em cada bloco eleitoral de 10 minutos em rádio e televisão e somente duas inserções de 30 segundos diariamente. Ainda assim, fez 86.352 votos (12%).

“Foi muito difícil chegar ao conjunto da população, a parte dela que só se informa através da televisão, com as nossas propostas. Isso acabou fazendo com que a nossa votação ficasse aquém daquilo que eu acredito que é a vontade de Porto Alegre, que é a vontade de mudança, mas não uma mudança à direita”.

Sobre a ampliação da bancada do PSOL na Câmara de Porto Alegre, passando de dois para três vereadores, Luciana exalta o fato de o partido ter a candidata mais votada, Fernanda Melchionna. A situação repete 2012, quando o mais votado para o Legislativo municipal foi Pedro Ruas, hoje deputado estadual.

Futuro

Sem mandato desde 2010, quando não conseguiu a reeleição para deputada federal, Luciana salienta que ainda não definiu os planos para o futuro. No entanto, disse que está à disposição do partido. Até lá, afirma que vai atuar contrariamente às reformas trabalhistas e da Previdência.

“Serão dois enfrentamentos muito importantes que vão necessitar de lideranças políticas que tenham disposição para viajar o Brasil e organizar essa resistência”.

Luciana Genro integra a direção nacional do PSOL.

Candidata que recebeu 50 votos reclama no Facebook de quem mentiu que votou nela

07 de outubro de 2016 12
Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Geralmente, é o eleitor quem cobra honestidade do candidato, certo? Porém, em Canela, na Serra Gaúcha, ocorreu o contrário. Mariane dos Santos, de 27 anos, concorreu ao cargo de vereadora, recebeu apenas 50 votos e não se elegeu. O resultado foi uma surpresa, já que ela recebeu mais de mil mensagens de amigos e conhecidos afirmando que haviam votado nela. Por isso, a reclamação nas redes sociais.

“No total eu recebi 1.069 mensagens e todas me deixaram um pouco triste. Todas diziam ‘eu votei em ti’. Como não utilizei de falsidade na hora de pedir um voto de confiança, eu esperava a reciprocidade das pessoas”, contou Mariane ao Blog Cenário Político.

Esta foi a segunda vez que ela tentou uma vaga na Câmara de Canela. Há quatro anos, ela teve um desempenho pior, com apenas 30 votos. Questionada se vai seguir na política, Mariane diz: “desistir não está no meu dicionário”.

Propostas

Mariane é consultora, catequista e voluntária em projetos de recuperação de dependentes químicos. Entre as propostas apresentadas na campanha, estão a defesa de que os detentos do Presídio de Canela trabalhem enquanto cumprem suas penas e a construção de uma ciclovia na cidade.

Câmara

A Câmara de Vereadores de Canela abriga 12 vereadores. Entre os eleitos na eleição do último domingo (2), Alberi Galvani Dias (PP) foi o que recebeu o maior número de votos, 944. O parlamentar menos votados, mas eleito, foi Carlos Ricardo de Oliveira, lembrado por 482 eleitores. Os 50 votos de Mariane foram suficientes para deixá-la na 73ª posição.

Confira local e horário de votação dos candidatos à prefeitura de POA

29 de setembro de 2016 0
Foto: Roni Rigon / Agência RBS

Foto: Roni Rigon / Agência RBS

Fabio Ostermann (PSL)

- 9h30: Colégio Anchieta. Avenida Nilo Peçanha, 1.521, Bairro Três Figueiras

João Carlos Rodrigues (PMN)

- 8h30: Prédio 11 da PUC (vai acessar pela Avenida Bento Gonçalves). Avenida Ipiranga, 6681, Bairro Partenon

Julio Flores (PSTU)

- 9h: Pão dos Pobres. Rua da República, 801, Bairro Cidade Baixa

Luciana Genro (PSOL)

- Ainda não definiu horário. Escola Apeles. Rua São Manoel, 1.981, Bairro Santana

Marcelo Chiodo (PV)

- 9h: Escola Rio Grande do Sul. Rua Washington Luis, 980, Bairro Cidade Baixa

Maurício Dziedricki (PTB)

- Ainda não definiuhorário. Escola Professor Leopoldo Tietbohl, 400, Bairro Petrópolis

Nelson Marchezan Jr (PSDB)

- Ainda não definiu horário. Escola Duque de Caxias. Rua General Caldwell, 1.175, Bairro Menino Deus

Raul Pont (PT)

- Ainda não definiu horário. Escola Infante Dom Henrique. Rua Gonçalves Dias, 1.022, Bairro Menino Deus

Sebastião Melo (PMDB)

- 11h30: Colégio Leonardo Da Vinci. Avenida Icaraí, 1.879, Bairro Cristal

Caxias do Sul: "Gosto de fazer junto com as pessoas o protagonismo", diz Daniel Guerra

26 de setembro de 2016 0

O candidato Daniel Guerra (PRB) participou nesta segunda-feira (26) da série de entrevistas com os candidatos à prefeitura de Caxias do Sul, apresentada pela Rádio Gaúcha Serra no Gaúcha Repórter.

O candidato se definiu como “uma pessoa com ideais e princípios e que gosta de fazer junto com as pessoas o protagonismo”.

Afirmou que tem como sonho “implantar um projeto de cidade para Caxias do Sul”. O candidato também cita o casamento como momento inesquecível. Perguntando sobre os planos caso não fosse eleito prefeito, Guerra disse ter convicção que a população o escolherá.

Ernani Polo deixa Agricultura para atuar na campanha eleitoral

23 de setembro de 2016 0

Está publicada na edição desta sexta-feira (23) do Diário Oficial do Estado a exoneração do secretário estadual da Agricultura, Pecuária e Irrigação, Ernani Polo. Ele vai retomar o mandato de deputado na Assembleia Legislativa. No entanto, a situação é temporária e vai durar apenas durante a campanha.

Assim como Marcio Biolchi, que deixou a Casa Civil até as eleições, Polo não tinha direito a férias e, à frente da pasta, não teria a possibilidade de embarcar na campanha eleitoral de candidatos das regiões Noroeste e Missões, sua base eleitoral. Ambos irão voltar ao secretariado no dia 3 de outubro.

Com a volta de Polo à Assembleia, o segundo suplente do PP, Gerson Borba (Chico), deixa o mandato.

Caxias do Sul: candidato Assis Melo se define como "um trabalhador"

21 de setembro de 2016 0

*Por Babiana Mugnol

O candidato Assis Melo (PCdoB) participou nesta quarta-feira (21) da série de entrevistas com os candidatos à prefeitura de Caxias do Sul, apresentada pela Rádio Gaúcha Serra no Gaúcha Repórter.

O candidato falou sobre sua vida e trajetória política. Definiu-se como um “trabalhador”. Afirmou que tem como sonho “uma sociedade mais igual” e citou a eleição em que foi o vereador mais votado como um momento inesquecível da trajetória.

Se não for eleito prefeito, Assis disse que pretende continuar trabalhando como militante político.

Campanha eleitoral paralisa Assembleia Legislativa por duas semanas

19 de setembro de 2016 2
Foto: Divulgação / Assembleia Legislativa

Foto: Divulgação / Assembleia Legislativa

A Assembleia Legislativa cancelou as sessões plenárias desta e da próxima semana. A decisão é dos líderes dos partidos que compõem a Casa e foi tomada devido à proximidade das eleições, marcadas para o dia 2 de outubro. As reuniões de comissões também foram adiadas. O próximo encontro dos parlamentares para a votação de projetos será em 4 de outubro. Até lá, o Parlamento manterá as portas abertas, mas apenas trabalhos administrativos serão realizados.

Desde agosto, o Legislativo gaúcho deixou de efetuar votações em duas semanas distintas. No início de setembro, a pauta foi trancada devido à discordância sobre o veto do governador José Ivo Sartori a um projeto de lei. Já em 22 de agosto, não houve votação devido à morte do ex-deputado Pedro Américo Leal.