18 ago16:19

Três cavaleiros fazem 200 quilômetros margeando o Rio Uruguai

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Uma aventura que resgatou tradições dos tempos da colonização do Oeste Catarinense, no início do século passado, encerrou na terça-feira (16). Depois de percorrerem 200 quilômetros a cavalo durante nove dias, de Chapecó até o Salto do Yucumã, no município de Derrubadas-RS, três profissionais liberais chapecoenses retornaram ontem para casa.

Chapecoenses resolveram resgatar a tradição dos colonizadores do Oeste

O empresário Auri Casali, 44 anos, o advogado Osmar Macedo, 53 anos, e o professor aposentado João Sebastião Batista, de 78 anos, realizaram um sonho. –Eu me emocionei ao rever os caminhos que percorri a cavalo quando era mais jovem- lembrou Batista.

Os três saíram de Chapecó com chuva. Além dos cavalos, onde cada um levava seus pertences pessoais, duas mulas com 50 quilos cada levou os mantimentos, como charque, salame e lingüiça. Tudo dentro das bruacas, que são compartimentos de couros que eram utilizados pelos tropeiros no século passado.

Mas nem tudo foi bonito. Os aventureiros encontraram muito lixo nas rodovias e um cavalo acabou se cortando com cacos de garrafa próximo a Palmitos. Uma das mulas teve que ser utilizada para transporte.

Os três só tinham definido pontos de parada nos primeiros dias, em casa de conhecidos. Depois, foram conseguindo pousada em centros comunitários, clubes e Centros de Tradições Gaúchas.

- A receptividade foi muito boa por onde a gente passou- disse Auri. No Dia dos Pais, já em solo gaúcho, eles não tinham almoçado quando uma famílias os convidou para almoçar com eles.

Uma das vantagens da aventura foi poder observar mais calmamente as belezas da fauna e flora e os contornos do Rio Uruguai, que ganhavam diferentes tons conforme a intensidade do sol. O advogado Osmar Macedo disse que a viagem permite um olhar para dentro de si, fugindo da rotina dos compromissos profissionais.

Em Derrubadas os três chegaram ao Salto do Yucumã, que é o maior salto longitudinal do mundo, com 1,8 quilômetro de extensão. Este era o grande obstáculos dos balseiros que levavam madeira do Oeste Catarinense para a Argentina, pelo rio. O local somente permitia passagem em épocas em que a cheia cobria o “Salto Grande”, inspiração de muitas músicas. Mesmo com o fim do ciclo da madeira, o local continua a impressionar pela beleza e a inspirar novos aventureiros.

TRAJETO

Chapecó- Salto do Yucumã (no município de Derrubadas-RS, na fronteira com a Argentina.

Saída: 8h30 do dia 8 de agosto.

Municípios percorridos: Chapecó, Guatambu, Planalto Alegre, Caxambu do Sul, Águas de Chapecó, São Carlos, Palmitos, Caibi, Riqueza, Mondaí, Itapiranga, Barra do Guarita-RS e Derrubadas-RS.

Trecho percorrido: 200 quilômetros a cavalo, durante nove dias, e retorno de caminhão.

Por

Um Comentário »

  • ketelln rocha disse:

    muito boa esta foto
    e um abraço para os cavaleiros doutor Macedo e Seu Sebastão

Comentários