22 ago15:27

Duas oestinas participam do Parlamento Jovem

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br 

Duas estudantes da Escola de Educação Básica Osni Paulino da Silva, de Anchieta, serão as representantes de Santa Catarina no Parlamento Jovem 2011, projeto que pretende estimular o debate e a conscientização política entre os jovens brasileiros.

Alexandra Pereira da Silva e Gabriela Perin, ambas com 17 anos e cursando o último ano do Ensino Médio, estão entre os 77 selecionados em todo o país.

Entre os dias 26 e 30 de setembro elas vão participar de uma simulação da rotina dos parlamentares, participando de sessões e defendendo seus projetos perante os demais selecionados. Os projetos aprovados poderão até virar lei, se forem adotados por algum deputado.

Gabriela vai sair do Oeste pela primeira vez

A viagem mais longa que Gabriela Perin fez em seus 17 anos de vida foi até Caibi, que deve dar pouco mais de 100 quilômetros de Anchieta. Nem São Miguel do Oeste ela conhece direito. Mas agora, graças ao projeto aprovado no Parlamento Jovem, vai andar pela primeira vez de avião, conhecer Chapecó e, pela primeira vez, sair de Santa Catarina.

-Quando soube que tinha sido escolhida fiquei assustada- disse. Ela está pegando dicas de como arrumar a mala para a viagem. –Não sei se a gente vai dar entrevista para a televisão- imagina.

Ela acompanha o noticiário e faz pesquisas para defender seu projeto, que é de garantir vaga nas universidades públicas para estudantes com boas notas no Ensino Médio. Ela não considera justo avaliar em apenas algumas provas, em um ou dois dias, o conhecimento acumulado ao longo dos anos. Segundo ela isso privilegia quem pode pagar cursinhos pré-vestibular.

-Tem muita gente que não tem condições de pagar e fica desestimulado- disse. Ela própria vai tentar vestibular para Biologia, na Universidade Estadual de Londrina e na Unoesc de São Miguel do Oeste, pois considera difícil passar para Odontologia numa universidade pública. Além disso, pelo custo do curso, não conseguiria pagar uma universidade particular. Seus pais são agricultores no interior de Anchieta e, seu pai, enfrenta problemas de saúde.

Pelo menos ela vai ter uma nova experiência, que pode enriquecer seu conhecimento. –Acho que vai ser muito bom para o currículo- diz.

Também avalia que o projeto do Parlamento Jovem é uma oportunidade da população mostrar suas idéias. Ela tem uma imagem negativa dos políticos. –O que é bom para o povo demora e o que é bom pra eles aprovam rápido- explicou.

Ela citou o exemplo do aumento do salário dos deputados, em que eles são rápidos e generosos com eles mesmos.

Ela não pretende seguir carreira política. Mas considera necessário acompanhar o trabalho dos políticos. –São nossos governantes- avalia. Só fiscalizando e cobrando para melhorar a atuação deles.

Alexandra quer seguir carreira política

Depois de ser selecionada para o Parlamento Jovem 2011, Alexandra Pereira da Silva começou a cogitar a participação na vida política. –Me passou pela cabeça pois agora sei que posso conseguir- afirmou.

Ela já é participativa na escola, ajudando nas gincanas e promoções, além de ter sido líder de turma.

Até este ano ela não acompanhava a política. –Não gostava muito- confessou. Mas agora está ligada no que acontece. Um dos motivos é a argumentação para defender seu projeto. Alexandra quer que o ensino e língua estrangeira inicie já no primeiro ano do ensino fundamental e não mais a partir da quinta série, como é atualmente. –Nesse mundo capitalista e globalizado é fundamental saber uma segunda língua- argumenta. Ela lembrou que há estudos confirmando que quanto mais cedo é melhor para aprender outra língua. –As crianças aprendem mais rápido- explica.

Ela lembrou que, quando recebeu a notícia de que seu projeto tinha sido selecionado, ficou paralisada.

A ansiedade para a viagem é muito grande. –Vai ser a primeira vez que vou andar de avião- comentou. Depois que seu projeto foi escolhido, recebe os parabéns todos os dias. Recentemente ela passou do turno da manhã para estudar à noite, pois sua mãe começou a trabalhar e ela precisa ajudar a cuidar da irmã pequena.

Ela está se preparando para o vestibular, que pretende prestar para Enfermagem, na Unoesc de São Miguel do Oeste. Além disso, está convencida de que o jovem tem um papel na comunidade. –Nós temos como mudar- declara. Ela quer aproveitar a experiência de Brasília para um dia, quem sabe, aplicar em sua cidade o que irá aprender.

Por

Comentários