31 ago18:14

Reconstrução no Oeste

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br


Aos poucos foram sendo reestabelecidos o fornecimento de água, energia elétrica e sinal de telefone e internet.


Apenas em alguns pontos de Formosa do Sul, que decretou estado de Calamidade por ter mais de 70% das casas danificadas, e Irati, que decretou situação de emergência por danos em 90% das casas, ainda não havia água no final da tarde de quarta. Nos dois municípios 1,3 mil alunos estão sem aula e a previsão de retorno é a partir de sexta.


Em Anchieta, que também decretou estado de Calamidade por ter mais da metade da população atingida, as aulas para 1,8 mil alunos deve voltar nesta quinta. Houve um mutirão para arrumar e limpar as escolas.


Quarta foi dia de reconstrução e de tentar secar o que molhou. A agricultora Fernanda Vidaletti aproveitou o sol para secar os colchões.


-Está tudo molhado- mostrou.


Fernanda disse que nem conseguiu dormir direito durante a noite.


–Sonhava que as pedras caíam e acordava- comentou.


Além de tentar arrumar a casa, a primeira preocupação era cobrir a casa. O marido Itamir Vidaletti disse que gastou cerca de R$ 11 mil para comprar cerca de 300 telhas, que chegaram na manhã de quarta. As telhas tiveram que vir do município vizinho de Guaraciaba.


O agricultor ainda mostrou as pedras que guardou no freezer, do tamanho de um ovo. O granizo quebrou até vidros de uma janela.

O comerciante Antonio Pereira dos Anjos chegou a chorar ao lembrar dos momentos de terror vividos na noite de segunda-feira. Todo o telhado de seu bar foi destruído. Como os colchões molharam seus filhos tiveram que dormir na casa de vizinhos, onde o estrago foi menor.


A prefeita de Anchieta, Ione Presotto, disse que a maior preocupação é com o frio que já começou ontem e deve continuar nesta quinta.


–Ficou tudo molhado no temporal- explicou.


Já foram distribuídos 20 colchões e 25 cobertores, para idosos, doentes e famílias carentes. Outros 70 colchões e 60 cobertores estão sendo enviados pela Defesa Civil do estado, segundo o representante municipal do órgão, Oscar Rizzotto. Ele afirmou que um levantamento das perdas está sendo elaborado para buscar a doação de telhas.


O prefeito de Formosa do Sul, Jorge Comunello, disse que o município vai receber 15 mil telhas da Defesa Civil do Estado, que devem ser distribuídas para as famílias mais carentes. Enquanto alguns já começaram a reconstruir outros protegem seus telhados com lonas até receberem a doação. A informação das prefeitura é que não há mais famílias desabrigadas.


Por

Comentários