04 set18:04

Comoção no Oeste

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br


A comoção tomou conta dos 4,2 mil habitantes da cidade de Nova Erechim, durante o final de semana. O motivo foi o acidente ocorrido no sábado pela manhã, na BR 470, em Gaspar, que deixou quatro pessoas mortas e 11 feridas, que estavam numa excursão da Escola Rudolfo Luzina, de Nova Erechim.

As vítimas estavam numa van. Outros integrantes da excursão de 72 pessoas, que iria para Balneário Camboriú, Itapema e Penha, vinha num ônibus logo atrás.


Os corpos chegaram em Nova Erechim por volta das 2 horas de domingo. Eles foram velados no ginásio da escola. Aos poucos a população foi lotando o ginásio até atingir cerca de três mil pessoas, pelos cálculos da Polícia Militar local.


-Nunca vi nada igual- disse o aposentado José Scapin, que mora na cidade há seis décadas.


O prefeito Volmir Pirovano decretou luto oficial por três dias. As atividades esportivas foram suspensas segundo o vereador Gilberto Bortese. Nesta segunda-feira não haverá aula. –A gente nem sabe como vai ser, perdemos o chão- disse a diretora da escola, Noeli Alessi Soletti. –Não tem palavras para descrever o que estamos passando- completou.


Ela afirmou que a excursão da oitava série (nono ano) do ensino fundamental já é tradicional na escola. Os alunos já ficam planejando chegar no último ano e fazer a viagem. Muitos iriam conhecer a praia pela primeira vez. Ele chegariam no sábado pela manhã em Balneário Camboriú, onde fariam uma trilha ecológica. À tarde iriam para Meia Praia, em Itapema.No domingo, visitariam o Beto Carrero World, em Penha. Mas os planos foram interrompidos pelo choque com um caminhão. As informações da Polícia Rodoviária Federal são de que o motorista da van foi desviar de outro carro que saiu do trevo de Gaspar e invadiu a pista. Nisso colidiu com o caminhão.


Os corpos foram enterrados no final da manhã de domingo, após a missa.


Bruna Zenni, 16 anos, Renata Pezenatto, 14 anos, e a professora Jocicler Mascarello, 45 anos, foram enterradas no cemitério municipal. Danielly Hinning, 14 anos, foi enterrada na comunidade São José, onde morava.


Por

Comentários