07 set16:32

Mulher conta que quase ficou sufocada

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br


Um dos resgates mais difíceis do acidente desta quarta-feira foi o da dona de casa Beatriz Schlosser, que mora em Santa Rosa. Ela estava voltando de Toledo, com o marido, Carsildo, e a filha, Caroline.


-Fiquei duas horas até ser resgatada, pois fiquei presa entre os bancos- disse.




Carolina Scholsser e a mãe Beatriz Scholsser estão internadas no Hospital Regional de São Miguel do Oeste.





Quando o ônibus tombou, ela ficou na parte de baixo. –Fiquei com uma parte do corpo no chão, prensada contra galhos de árvores e os bancos me amassando- disse.


Um homem caiu por cima dela e ela teve que fazer muita força para retirá-lo de cima do seu pescoço. –Estava ficando sufocada- explicou.


Os bombeiros tiveram até que usar um guindaste para retirá-la. Apesar da demora, Beatriz disse que os bombeiros foram muito gentis e cuidadosos.


Ela lembrou que, no momento do acidente, estava cochilando. –Quando deu a batida todo mundo acordou e aí o ônibus capotou e começou a cair tudo- contou a dona de casa. –Era muito grito e eu sentia muita dor- completou.


Beatriz quebrou a bacia e teve que passar por cirurgia na tarde de quarta.


O marido, Carsildo, teve fratura numa das pernas e também passou por cirurgia.


Caroline também fraturou uma das pernas mas talvez não precise de cirurgia. –Levei um susto-disse. Ela tinha comemorado o aniversário de 20 anos no dia anterior. Carolina tinha ido com os pais para Toledo para comemorar o noivado dos irmão. Sua mãe disse que pretende se recuperar logo.


–No casamento vou estar entrando com o noivo- disse. A data deve ficar para 2012 para que os três, que estão no mesmo hospital, se recuperem.


Por

Comentários