10 out15:00

Renda que vem do lixo

Quarenta e cinco catadores da Associação dos Trabalhadores no Serviço de Reciclagem de Chapecó e Região – Astrarosc, trabalham para manter o parque da Efapi 2011 limpo. Para eles é uma oportunidade de trabalho e renda.

A Astrarosc é responsável pela coleta, separação e encaminhamento de todo o material reciclável recolhido no parque de exposições Tancredo de Almeida Neves. De acordo com o presidente da associação, Sandro Fortes, uma média de 1,5 toneladas de material será recolhida por dia até o final da feira, no dia 16.

- Só de latas recolhemos 1400 quilos nos dois primeiros dias de feira – disse Fortes.

O trabalho é duro: os 45 catadores com a equipe de limpeza das áreas cobertas do parque são os primeiros a chegar e os últimos a sair. Eles estão envolvidos no trabalho de coleta e classificação do material, que já é embalado no próprio local.

Uma novidade para este ano é o transporte dos recicláveis, que ficou por conta do comprador. – A venda é feita aqui mesmo. O comprador vem até o parque, o material é pesado e o quem compra é responsável por levar embora os materiais – explica Fortes.

Este sistema evita que a associação gaste no transporte e aumenta a possibilidade de lucros. O dinheiro arrecadado com as vendas será dividido entre os catadores.

Para Fortes, além da oportunidade de renda extra, o trabalho no parque também garante aos catadores o acesso à Feira. – Muitos moram em Chapecó uma vida inteira e nunca tinham vindo em uma Efapi. Assim eles têm acesso a algo diferente.


Orgânicos

O recolhimento do lixo orgânico é realizado pela Tucano, empresa responsável pela coleta de resíduos urbanos no município. O responsável pela área de meio ambiente na Efapi 2011 e presidente da Fundação de Meio Ambiente de Chapecó (Fundema), Nelson Krombauer, disse que 230 novas lixeiras plásticas foram instaladas no parque, 115 para lixo orgânico e 115 para materiais recicláveis, além das mais de 500 lixeiras de papelão distribuídas pelos pavilhões.

Os dejetos humanos dos banheiros móveis são armazenados e encaminhados para a central de tratamento de esgoto do município. Os dejetos animais são recolhidos e levados ao Horto Florestal da Fundema e ao Viveiro Florestal da Unochapecó, onde são processados e transformados em compostagem.

Sobre a limpeza geral do parque, Krombauer acredita que o público está mais consciente.

- O objetivo da Fundema é a educação ambiental. Estamos usando a rádio da feira para solicitar que as pessoas joguem o lixo nos locais apropriados; visitando os restaurantes e pedindo para os responsáveis fazer a separação corretamente, entre outras ações – disse.


Por

Comentários