11 out17:16

Pacientes laringectomizados

Equipe médica vem realizando encontros com grupo de pacientes laringectomizados totais, ou seja, que retiraram totalmente a laringe. Objetivo é prestar esclarecimentos e informações sobre convivência com uso de equipamento para fala, higiene, alimentação, convívio social entre outras, bem como troca experiências entre os pacientes.

O grupo de trabalho conta com participação multiprofissional como nutricionista, enfermeira, psicóloga, assistente social, bem como acadêmicos da área de saúde da Unochapecó.

Coordenam os trabalhos a fonoaudióloga, mestre em Distúrbios da Comunicação, Luciara Giacobe Steinmetz, e o médico Cirurgião de Cabeça e Pescoço, Marco Antonio Tesseroli que também é professor de Medicina na Unochapecó.

A fonoaudióloga Luciara, ressalta que a retirada total da laringe ocasiona perdas irreversíveis ao ser humano, e segundo ela, afetam as condições físicas, sociais e emocionais do paciente.

- A evidente mudança física ocasionada pela cirurgia, dificuldade de contato interpessoal e o preconceito devido à doença trazem problemas de diferentes ordens aos pacientes e seus familiares – disse.

Luciara destaca que a retomada das relações sociais fica limitada, principalmente pela ausência da voz. – A voz representa a identidade do indivíduo e sua perda pela retirada da laringe compromete a manifestação dos sentimentos, desejos e das características individuais – enfatiza.

O médico Marco Tesseroli explica que o principal objetivo do grupo é reconstruir as relações com o paciente, família e grupo social. Foram convidados para fazerem parte da equipe profissional, um psicólogo, uma nutricionista, uma enfermeira, uma acadêmica do curso de nutrição , uma do curso de enfermagem e duas acadêmicas do curso de medicina da Unochapecó.



Por

Comentários