13 out14:30

Gado leiteiro é atração

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

O bom momento do setor leiteiro, que deve crescer entre 12 a 14% neste ano no Oeste, está à mostra na Exposição Feira Agropecuária, Comercial e Industrial de Chapecó (Efapi). Na quarta-feira terminaram de chegar os 440 bovinos, sendo 362 das raças Jersey e Holandês e o restante das raças de corte Charolês, Tabapuã, Angus e Nelore.

A produtora Clédia Nyland trouxe 16 vacas para a exposição. No ano passado ela foi considera a melhor criadora e melhor expositora de Santa Catarina entre todas as feiras realizadas e, neste ano, novamente quer fazer bonito.

A conquista foi fruto da melhora no manejo e genética adquiridos após a filha, Nancy Cristine Leonardi, ter feito estágios nos Estados Unidos e Canadá. Com isso a produção média, que há 10 anos era de 15 litros por vaca, agora está em 27 litros.

O presidente do Núcleo dos Criadores de Bovinos da Região de Chapecó e membro da comissão agropecuária da Efapi, Enedi Zanchet, disse que a melhora na genética e o conseqüente aumento da produtividade foram alguns fatores que transformaram a região numa das principais bacias leiteiras do país.

Zanchet disse que, na década de 80, quando começou a trabalhar para a Companhia Integrada para o Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), a região produzia em torno de 30 mil litros por dia. Atualmente são cerca de 1,8 milhão de litros/dia. Isso fruto de investimentos na região. No final do mês passado a Piracanjuba inaugurou uma planta para 450 mil litros/dia em Maravilha. A Aurora também ampliou a unidade de Pinhalzinho. Outras empresas, como Batávia, Bom Gosto, Nestlé e Tirol, também recolhem leite na região.

Zanchet disse que houve a concentração da suinocultura e avicultura, além da substituição do fumo, levou muitas famílias a adotar a produção de leite, que atinge 70 mil famílias no Estado. O modelo fundiário da região, com mão de obra familiar, favoreceu a expansão.

A produção média de Santa Catarina, que era de 1,2 mil litros por vaca/ano na década de 80, saltou para 3,8 mil litros vaca/ano. Na Efapi de 1988, a recordista da raça holandesa produzia 50 litros num dia. Na edição anterior, atingiu 82 litros, um crescimento superior a 30%. O torneio leiteiro da Efapi começou ontem. Amanhã e sábado serão os julgamentos.

O presidente da Comissão Central Organizadora, Márcio Sander, destacou que houve um investimento de R$ 1,4 milhão em três novos pavilhões agropecuários, para dar conta do crescimento do setor. Atualmente a Efapi é a segunda maior feira do país na raça holandesa, com 194 animais. Perde apenas para Castro, no Paraná. A Efapi vai até domingo, no Parque de Exposições Tancredo Neves, em Chapecó.



Por

Comentários