25 out11:53

Herpes labial: saiba como evitar crises, que tendem a aumentar no verão por conta da exposição ao sol

Quem convive com crises de herpes nos lábios deve redobrar os cuidados no verão. De acordo com o médico Omar Lupi, a exposição ao sol diminui a quantidade de linfócitos, e baixa a imunidade. Mesmo se a dose de sol não deixar a pessoa “vermelha”, já é o suficiente para baixar a imunidade e ativar o vírus do herpes.

A reação da crise normalmente começa com uma leve irritação na pele. Depois surgem no local pequenas vesículas cheias de líquido, que se rompem e formam feridas doloridas. É nesse período que o vírus é transmitido de uma pessoa para outra.

— A proteção solar adequada é fundamental. O sol, mesmo que em dose não elevada baixa a imunidade. No caso do herpes labial recorrente, o paciente deve usar um protetor labial, cujo fator de proteção não deve ser inferior a 30, podendo ser usado várias vezes por dia, a cada 2h — indica o especialista.

Além do sol, os mecanismos que normalmente detonam as crises — estima-se que de cada cem pessoas, 25 enfrentaram ou estão enfrentando uma manifestação de herpes, que atinge principalmente os lábios e os órgãos genitais — costumam ser o estresse, alterações hormonais e alguns tipos de alimentos.

Segundo o médico, alimentos ricos em arginina podem intensificar os efeitos do herpes. A substância está presente também no abacaxi, kiwi, sementes oleosas,como castanha do pará, castanha de caju, amendoim, avelã, nozes e pistache.

Complementos protéicos para malhar também agravam, já que vários desses suplementos são ricos em arginina. Se estiver fazendo atividade física, o paciente deve levar o suplemento ao dermatologista para que ele avalie, ou substitua por outros produtos.

Embora não exista uma cura definitiva para o herpes simples — os tratamentos até hoje não são eficazes porque o vírus habita estruturas do sistema nervosa chamadas de gânglios paravertebrais onde a medicação não chega bem — é possível amenizar os sintomas com pomadas tópicas que auxiliam a cicatrização das feridas. Existem também remédios com base em antivirais — como o aciclovir, por exemplo —, que podem promover a regressão da doença se tomados no início de cada crise.

A carne vermelha e os derivados do leite ajudam a controlar o herpes. Estes alimentos são ricos em lisina, um antídoto natural da arginina.


Como prevenir uma crise:

:: Hábitos saudáveis, tanto físicos como emocionais, reduzem comprovadamente a incidência da doença

:: Quando o assunto é o herpes, não há dúvida, o melhor conselho é aprender a gerenciar o estresse

:: Outros cuidados: evitar a exposição excessiva ao sol (a radiação ultravioleta diminui a ação das células de defesa do organismo) e usar filtro solar com FPS 15, ou mais, inclusive para a região labial.


O que é?

O herpes labial é uma infecção causada pelo vírus Herpes simplex. Ele começa como uma irritação na pele, que evolui para pequenas bolhas cheias de líquido. É nessa fase que ocorre o contágio. Uma vez rompidas, essas bolhas se transformam em feridas que podem levar até 14 dias para cicatrizar.


Como é transmitido?

A transmissão do vírus normalmente ocorre na infância, quando há contato direto com uma pessoa cuja doença está na fase de contágio (bolhas). Uma vez exposta a ele, a criança pode desenvolver ou não a infecção. As crises de herpes tendem a se manifestar durante a adolescência e a vida adulta.


Por que ocorre?

O mecanismo que desencadeia as crises de herpes labial não está totalmente elucidado. Se suspeita, no entanto, que o problema esteja relacionado ao enfraquecimento do sistema imunológico da pessoa contaminada pelo vírus.


O que desencadeia as crises?

Exposição excessiva ao sol, estresse, alterações hormonais e alguns tipos de alimentos podem detonar os episódios da doença.


Existe cura?

Não há cura para o herpes labial. Existem medicamentos que podem ajudar na cicatrização das feridas ou barrar a evolução de uma crise.


Como evitar o contágio?

:: Evite o contato direto com a infecção, especialmente na fase vesicular (bolhas).

:: Lave as mãos com água e sabão sempre que tocar na ferida.

:: Evite o contato das mãos contaminadas com os olhos ou outras partes do corpo.

:: Não fure as bolhas ou arranque a crosta das feridas.


DONNA DC/ CADERNO VIDA



Por

Comentários