25 out15:58

Motociclista tem alta

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

* Colaboraram Darci Debona e Sirli Freitas

Recebeu alta na tarde desta terça-feira o motociclista José Valdomiro Eufrázio, 21 anos. Ele estava internado no Hospital Regional de Chapecó desde o dia 12 de outubro, dia de Nossa Senhora Aparecida, após ficar cinco dias caído num barranco nas margens da rodovia 465, em Passos Maia. Uma ambulância veio até Chapecó para buscá-lo.

Segundo o neurocirurgião Clézio Alex Onuki Castro, o motociclista está neurologicamente recuperado e não apresenta nenhuma sequela aparente, mas não lembra do acidente. Como teve um braço amputado, ele passou por uma avaliação da cicatriz antes de ser liberado.

Na saída do Hospital, José, estava acompanhado da mãe Maria Eufrázio, que fez orações para Nossa Senhora Aparecida e acompanhou toda a recuperação do filho.

- É uma felicidade estar indo para casa com ele bem – disse Maria Eufrázio.


O acidente

José Valdomiro Eufrázio se acidentou na SC 465 em 7 de outubro, por volta das 20h30min, no Km 4,4, quando retornava de Ipumirim para casa após ter deixado na agroindústria onde trabalhava um atestado médico. Familiares procuraram o rapaz e teriam comunicado o desaparecimento à Polícia Civil.

Ele ficou desaparecido quase cinco dias e foi encontrado com vida em 12 de outubro, embaixo de sua moto, por volta das 13h30min, em Passos Maia. Eufrázio foi localizado pela ex-namorada Géssica Aguilheira, 15 anos, que retornava de Ponte Serrada para a cidade de ônibus. Devido à altura do ônibus ela conseguiu observar a moto e o homem. Ela não pediu para o motorista parar, apenas comentou com uma amiga o que tinha visto.

– O ônibus passou rápido e não deu tempo de parar, mas quando eu vi a moto, sabia que era ele – disse a ex namorada.

Quando Géssica chegou em casa contou para a mãe e, com uma amiga, voltaram ao local.

- Se eu não tivesse voltado ele estaria morto – se emociona.

Segundo a ex namorada, José estava sem o capacete e sem um dos tênis, mas mexia a perna. As estudantes pediram ajuda a um morador que passava pela rodovia para comunicar a Polícia.

— A primeira impressão é que ele estava morto — disse o chefe de socorro dos bombeiros de Ponte Serrada, Edson Brites de Oliveira após chegar ao local.

A vítima estava a sete metros da rodovia, em um declive cheio de vegetação e em uma região onde não há moradores por perto. Na carteira do motociclista o bombeiro encontrou uma medalha de Nossa Senhora.

Ele estava com o braço direito quebrado, já em estado de putrefação. Ele foi levado para o hospital de Ponte Serrada, onde recebeu atendimento até melhorar os batimentos cardíacos. Em seguida foi encaminhado para o Hospital Regional do Oeste em estado grave, onde passou por cirurgia.

Eufrázio teve o braço direito amputado e ficou internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do HRO. No domingo, dia 16, despertou e começou a falar. No final da tarde de terça-feira dia 18 de outubro, José deixou a UTI e foi para o quarto, onde começou a fazer fisioterapia e tratamento psicológico.

A recuperação do jovem foi gradativa e na tarde desta terça-feira, dia 25 ele recebeu alta.


Médico acredita que foi um milagre

O médico neurologista Cleiton Piekala, que atendeu José na chegada ao Hospital em Chapecó, acredita que o paciente ficou inconsciente após o acidente.

- Avalio que foi um milagre – disse.

Principalmente pelo braço fraturado, que poderia causar infecção generalizada.

- Às vezes um paciente com braço necrosado não sobrevive 48 horas- calculou.

Alguns fatores contribuíram para que José Valdomiro sobrevivesse. Um deles foi o fator de ser jovem e não ter nenhum problema de coração e diabetes. Outro foi o tempo nublado e a baixa temperatura do período, que evitaram uma degeneração mais rápida do organismo.




Por

Comentários