26 out18:37

Dom Quixote do Oeste

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Dois dragões entalhados num painel de madeira com 1,40 metro de altura por 2,20 metros de largura marcam o início da carreira artística de Francisco José Bracht, em 1981. –Foi a primeira peça que eu comercializei- afirmou Xiko Bracht, que está com uma exposição no Centro Empresarial Chapecó, mostrando seus 30 anos de carreira.

Os dragões estão num dos 28 painéis que tratam da retrospectiva da carreira do artista, que deixou sua marca em vários pontos da cidade de Chapecó. Destaque para dois murais feitos em parceira com o argentino José Kura, um sobre a Etnia Indígena, na Rodoviária de Chapecó, e outro sobre o Ciclo da Madeira, na Praça Coronel Bertaso. A obra da praça contou com a participação também da artista Daniela Almeida e alunos da Unochapecó, utilizando a técnica chamada “muralismo”. Bracht tem obras semelhantes em São Paulo, Argentina e várias cidades do Oeste Catarinense, como Itapiranga, Xanxerê e Xaxim.

Ele já elaborou mais de mil troféus para premiações. Um dos que mais se orgulha é o troféu “Empresário do Ano”, concedido pela Associação Comercial e Industrial de Chapecó, onde bateu ninguém menos que Paulo de Siqueira, artista que criou o monumento O Desbravador. –Para mim foi o principal prêmio- afirmou.

Após trabalhar com bronze, madeira e muralismo, Bracht agora se aproxima de Siqueira, ao trabalhar sucata. A nova fase veio após um período depressivo do artista, desanimado com a falta de retorno econômico para seu trabalho. Aí ele identificou-se com o personagem Dom Quixote, de Miguel de Cervantes, desenvolvendo a série “Os Guerreiros”, composta das 28 esculturas que estão sendo expostas pela primeira vez. –Elas refletem as minhas lutas para sobreviver da arte- comparou o artista.

Ele mesmo se retrata como um Dom Quixote em algumas da obras. Numa delas, o cavaleiro está a frente de uma série de moinhos de vento.

–São as minhas ilusões, que vou enfrentando uma a uma- explicou.

Xiko disse que começou a pensar nas obras ao ver os pedaços de sucata na oficina de um cunhado. Como auxílio de um sobrinho, começou a recolher as peças. Conforme o formato da peça, ia imaginando algo.

–Sou bem intuitivo e gosto de improvisar- afirmou o artista.

O suporte de prateleira quebrado virou o bico de um galo. Chapas de aço unidas formaram o corpo. Engrenagens de bicicleta se transformaram em asas de uma águia. O que era lixo vira arte nas mãos de Xiko Bracht. Ele pode não ter o retorno econômico que imaginava com sua arte. Mas ela está presente na vida da cidade. E ter uma obra sua contemplada, é a maior gratificação do artista, que torna a cidade de Chapecó mais bela e interessante.

Exposição

Tema: “Xiko Bracht, 30 anos de vida artística – Série Os Guerreiros”

Quando: De 20 de outubro a 4 de novembro

Acervo: 28 painéis e 28 esculturas

Horário de visitação: De segunda a sexta-feira, das 8h às 18h ou com agendamento pelo telefone no Sindicato do Comércio Varejista  (49)3319-4600

Local: Centro Empresarial de Chapecó, na Avenida Getúlio Vargas, 1748

Entrada: gratuita


Por

Comentários