17 nov00:09

Mesmo com reajuste de 8% no salário, Polícia Civil decide manter greve

Diogo Vargas | diogo.vargas@diario.com.br*

Mesmo com o reajuste de 8% anunciado pelo governo, os policiais civis decidiram manter a paralisação nas delegacias de polícia de Santa Catarina até quinta-feira. O atendimento e as investigações estão comprometidos nesse período. A internet é a saída para quem precisa fazer boletim de ocorrência (www.pc.sc.gov.br).

Nesta quinta-feira, segundo dia do movimento, os policiais civis marcaram manifestação para as 9h na frente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), de Florianópolis, no Bairro Estreito. A categoria quer aumentar a participação de servidores do órgão de trânsito que, na quarta-feira, praticamente mantiveram o atendimento normal.

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol), Pedro Joaquim Cardoso, estima em 90% a adesão dos agentes de polícia pelo Estado. Na Grande Florianópolis, a participação de delegados, escrivães e investigadores também é significativa. Um grupo protestou em frente a 5ª DP, na Trindade, e na Casa d’Agronômica, mas nenhum incidente foi registrado.

Nas delegacias, os policiais atendem apenas casos graves como homicídios, assaltos e flagrantes. Na Central de Polícia de Florianópolis e de São José, nenhum boletim de ocorrência foi efetuado de manhã e tarde. A assembleia geral dos policiais será quinta-feira às 14 horas no Golden Hotel, em São José. Por enquanto, o indicativo é de greve geral, boicote à operação Veraneio e entrega de cargos comissionados por delegados.

— Isso não é o aumento (8%), é só inflação. Estamos no fundo do poço. O agente arrisca a vida, dá plantão e recebe R$ 781 de salário — lamentou o delegado Renato Hendges, presidente da Associação dos Delegados de Polícia (Adepol).


Policiais parados no Oeste

Cerca de 100 policiais estão parados nos municípios de abrangência da 12 Delegacia Regional de Chapecó, segundo o vice-presidente da Associação Regional dos Policiais Civis, Selmiro Rauber.

Nas delegacias de Chapecó foram registrados apenas os flagrantes e boletins de estupro, homicídio, seqüestro e roubo. Outros serviços estão suspensos por três dias. Teones Andrade, que é funcionário de uma agroindústria da cidade, foi buscar a documentação da motocicleta e não conseguiu. –Disseram pra voltar na segunda-feira-explicou. O mesmo ocorreu com Odair José Ramos, que foi retirar a Carteira de Habilitação.

Os manifestantes usaram camisetas, colocaram faixas e distribuíram panfletos onde pedem reposição salarial.


*colaborou Darci Debona.


Por

Comentários