03 dez22:47

Crimes passionais dominam homicídios em Chapecó

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br*

O crescimento do número de homicídios em Chapecó é confirmado pelos dados registrados pelas Polícias Civil e Militar. A Polícia Militar registrou 16 homicídios em 2010 e 40 em 2011. Já na Polícia Civil o número pulou de 33 para 50.

Os crimes passionais dominam os registros na Polícia Militar. Dos 40 homicídios, nove são por desentendimento. Outros nove por rixa, acerto de contas, vias de fato ou desavença. E quatro foram por questões amorosas ou ciúmes. Mortes ligadas ao tráfico de drogas foram seis. Cinco foram por assalto e latrocínio.

Para o comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar de Chapecó, tenente coronel Benevenuto Chaves Neto, um dos motivos de tantos homicídios é a questão cultural na cidade, de lavar a honra com sangue.

–Infelizmente o pessoal resolve algumas questões na faca ou no tiro- explicou. Isso potencializado pelo uso de bebidas alcoólicas.

O comandante chamou a atenção para uma ocorrência registrada há 10 dias, no bairro Maria Goretti, onde uma família fez festa o dia inteiro e, quando o dono da casa foi dormir e reclamou do som alto, foi degolado pelos cunhados e um adolescente, a golpes de facão.




Casa no Bairro Maria Goretti onde homem foi degolado.


A reportagem foi na casa na sexta-feira e foi informada por vizinhos que a viúva e o filho não moram mais lá.

Outra questão problemática apontada pelo comandante é o baixo efetivo de policiais na cidade. Atualmente Chapecó tem 219 policiais militares para 183 mil habitantes. O tenente-coronel Chaves disse que houve uma reposição de 53 policiais no meio do ano e outros 83 estão em formação para a região. Mas é necessário ampliar ainda mais o efetivo, para dar conta do crescimento da cidade.

Com isso a polícia poderia combater principalmente os homicídios ligados ao tráfico.

O coordenador da Central de Polícia de Chapecó, delegado Fabiano Toniazzo, disse que houve vários homicídios ligados ao tráfico, principalmente no Bairro São Pedro e arredores.

–Somente numa semana foram três homicídios nessa região – explicou.

Ele também considera que os crimes passionais têm grande peso.

–Estão deixando de conversar para sair na bala- avaliou.

A delegada regional Tatiana Klein Samuel disse que já vinha observando o aumento do número de homicídios na cidade e, por isso, solicitou mais um delegado para a Divisão de Investigação Criminal de Chapecó, onde foi criada em novembro a Divisão de Homicídios.

–Com isso teremos um trabalho mais especializado nessa área- explicou. Atualmente esta divisão coordena as investigações do assassinato do vereador Marcelino Chiarello.

O aumento da violência na cidade está assustando os moradores, já que Chapecó sempre foi considerada uma cidade tranqüila. Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas, Gilberto Badalotti, esse aumento da violência é visível. Ele lembrou que os assaltos à estabelecimentos comerciais, que eram raros, agora estão freqüentes.

–A cidade está crescendo e atrai pessoas boas e pessoas ruins- disse Badalotti.


*Colaborou Juliano Zanotelli



Por

Um Comentário »

  • Rafael disse:

    A cidade cresceu, e mesmo sabendo que a cidade cresce mais mainda, as policias Mitlitar, civil e guarda municipal o numero é muito baixo para 186 mil habitantes (de acordo com o IBGE 2011) assim atrairá muito mais “pessoas ruins” do que “pessoas boas”.

Comentários