23 dez15:26

Efapi 2011 teve superávit de R$ 1,3 milhão

Um inédito superávit de R$ 1 milhão e 321 mil foi o resultado da Exposição-Feira Agropecuária, Industrial e Comercial – Efapi 2011 realizada no mês de outubro, em Chapecó. Esse resultado foi obtido mesmo sem a transferência de R$ 750 mil que a União e o Estado conveniaram com a feira. O balanço financeiro final da expo-feira foi apresentado nesta semana aos membros da Comissão Central Organizadora e às comissões setoriais pelo prefeito José Caramori, presidente da feira e secretário de Articulação Institucional, Luciano José Buligon, coordenador geral e secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcio Ernani Sander, e pelo vice-presidente Ivalberto Tozzo.

Os números essenciais do balanço são expressivos. As receitas somaram R$ 2 milhões 538 mil e, os investimentos, R$ 2 milhões 117 mil, totalizando R$ 4 milhões 656 mil. Como as despesas atingiram R$ 3 milhões 335 mil reais, resulta daí um superávit contábil de R$ 1 milhão 321 mil.

As receitas foram constituídas pela venda de ingressos, espaços e estandes, placas publicitárias, locais de alimentação, exploração do parque de diversões e patrocínios, entre outros. As despesas decorreram da infraestruturação do parque de exposições Tancredo Neves, divulgação, Rodeio Country, eventos artísticos nacionais e regionais.

Ao detalhar os resultados financeiros da Efapi 2011, o prefeito Caramori enfatizou que foram realizados investimentos físicos permanentes no parque em valor superior a R$ 2 milhões, que beneficiarão as futuras feiras e eventos. Eles consistiram na construção de novos pavilhões, na instalação de uma passarela sobre a avenida Atílio Fontana e na manutenção do parque. Além disso, os núcleos de produtores instalados no parque receberam contribuições correntes na ordem de R$ 102 mil.

Caramori destacou que, além dos excelentes números do Balanço da exposição-feira-festa, os resultados mais importantes foram produzidos na economia local e regional. Lembrou que a visitação pública chegou a 648 mil pessoas, com crescimento de 20% em relação à edição anterior e os negócios passaram de R$ 130 milhões, com incremento de 19%. Além disso, a feira dinamizou ainda mais a economia local com a geração de 3.000 empregos temporários e a injeção de R$ 13 milhões em compra de serviços e produtos para realização da expo-feira.

A mobilidade, a acessibilidade e a segurança foram aspectos relevantes nessa edição. O trânsito fluiu com rapidez e cerca de 25% dos visitantes optaram pelo transporte coletivo. Atuaram de forma integrada, harmônica e produtiva as Polícias Militar e Civil, a Guarda Municipal de Trânsito e o serviço de proteção ao patrimônio público.

O prefeito agradeceu o apoio dos voluntários que atuaram nas comissões central e setoriais e destacou o integral envolvimento da comunidade, entidades empresariais, imprensa, clubes de serviço e associações culturais.

Ponto destoante

O resultado da expo-feira poderia ter sido melhor ainda se convênios no valor de R$ 750 mil, contratados com a União e o Estado, fossem pagos. O Ministério da Agricultura deixou de repassar R$ 150 mil, o Ministério do Turismo R$ 300 mil e o Governo de Santa Catarina também R$ 300 mil. Num gesto de compensação, o Ministério da Agricultura substituiu o convênio da feira por insumos (calcário, adubo e sementes) distribuídos aos agricultores do município no valor de R$ 300 mil.


Por

Comentários