29 dez09:59

Arena Condá apresenta problemas

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Com apenas duas alas da futura Arena Condá concluídas, o estádio continua com problemas nas vistorias para o Campeonato Catarinense. Ontem dois policiais militares da Comissão de Vistorias dos Estádios de Santa Catarina, o sargento Giovani Fernandes e o tenete Alberto Cichella, estiveram em Chapecó e apontaram vários problemas.

A pior situação é da ala Leste. Lá há um muro caído e os tapumes de isolamento estão deteriorados. Há um buraco na arquibancada para a passagem do cano de água que rega o gramado. O local onde fica a torcida visitante também é considerado de risco. Além dos tapumes que isolam um dos lados da torcida, há risco de acesso das duas torcidas a pedras, que podem ser arremessadas entre as torcidas. –É um ponto sensível onde pode haver confronto entre as torcidas- explicou Cichela.

Há também outros pontos negativos. –Os tapumes precisam ser trocas e há muito material solto que pode ser arremessado- explicou.

Como é comum numa obra, não faltam entulhos. Só que esse material numa situação de confronto se transforma em arma. Em vários pontos do estádio é possível encontrar pedras, entulho ou pedaços de madeira. A limpeza e isolamento destes materiais é condição para liberar o estádio. Os policiais militares detectaram pontos de invasão ao campo, principalmente na Ala Norte.

Estas informações serão repassada para a presidência da Comissão de Vistorias e para o Ministério Público. Depois o clube terá que fazer as adequações até a vistoria final

Os laudos dos Bombeiros, de Engenharia, da Vigilância Sanitária e o alvará da Prefeitura devem estar prontos até o dia 9 de janeiro. Os policiais reclamaram da falta de alguém do clube para acompanhar e fornecer as informações. O fato é que ninguém no clube sabia da vistoria. Só o responsável pelo gramado, Antonio Lorenzi, acompanhou o início do trabalho. E depois foi chamado para outra tarefa.

O presidente da Chapecoense, Sandro Pallaoro, estranhou a falta de comunicação ao clube. Ele informou que o funcionário responsável pelas vistorias está de folga nesta semana. Mas já conversou com o secretário de Esportes, Clóvis Marinello, sobre a necessidade de acelerar as melhorias no estádio, que é da Prefeitura. –Eles me prometeram iniciar na segunda-feira- declarou Pallaoro. O presidente da Chapecoense sugeriu trocar os tapumes por grades, que dão mais segurança e menos manutenção.


Principais Problemas

-A ala leste está abandonada pois será a próxima a ser licitada para a construção de uma nova arquibancada. Parte do muro caiu e a área foi isolada com tapumes, que também já tem mais de dois anos. Foi cavado um buraco na arquibancada para colocar o cano de irrigação do gramado. Há entulho no local.

-Há entulho em vários pontos dentro e fora do estádio, que podem ser utilizados numa briga.

- Os tapumes de acesso da ala Norte, do isolamento da ala leste e que separa a torcida visitante da ala Sul estão caindo e precisam ser trocados.

-Um dos pontos sensíveis é o da torcida adversária, onde há risco das duas torcidas invadirem a área isolada onde há um barranco com pedras.

-Outro ponto sensível é na ala Norte, onde há risco da torcida pular da arquibancada para o gramado e invadir o campo.

-Não há câmeras de monitoramento instaladas no estádio. Isso foi realizado no ano passado em apenas alguns jogos, para liberar mais de 10 mil torcedores.

-O laudo de vistoria de engenharia do estádio vence nesta semana. Precisa de um novo laudo para 2012.


Por

Comentários