05 jan11:22

Polícia Civil prende comandante de quadrilha especializada em furtos e roubos de caminhões em Chapecó

Na noite desta quarta-feira, dia 04, a Divisão de Investigação Criminal – DIC, da Polícia Civil de Chapecó prendeu em uma empresa no trevo próximo a BR 282, Ivandro Luiz Paulo do Nascimento, 29 anos, considerado comandante da quadrilha especializada em roubos e furtos de caminhões na região Sul do país. Nascimento, que tinha prisão preventiva, foi encaminhado ao Presídio Regional de Chapecó, onde está à disposição da Justiça. Ele vai responder também por receptação.

A operação Mandrake começou há cerca de um ano, quando agentes da Polícia Civil de Chapecó e de Sombrio realizaram buscas na região Oeste, extremo Oeste de Santa Catarina, Paraná e em cidades vizinhas do Rio Grande do Sul.


Dez pessoas já haviam sido presas

Durante a investigação os policiais prenderam dez integrantes da quadrilha, que residiam em Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul. Estados onde ocorriam os crimes. Foram presos: Adílio de Oliveira; Ademir Modler; Leandro Gomes, vulgo “Pato”; Valcir de Lima, vulgo “Bugre”; Fabio Caetano de Azevedo, vulgo “Fabinho”; Marcelo Caetano de Azevedo, vulgo “Celinho”; Nilton Antonio Wohlmeister, vulgo “Dieco”; Marcia Fernandes Nunes; Marcio Jose Cardoso e Sidnei Silveira Reus.

Além da prisão dos investigados, várias apreensões foram realizadas. Foram recuperados caminhões, carretas, e muncks (possui sistema hidráulico para movimentação, içamento, remoção de equipamentos e máquinas industriais e de construção civil), todos furtados na região Sul e encaminhados à perícia para depois devolver aos proprietários.

- A desarticulação da quadrilha contou com as Polícias Civis do Estado de Santa Catarina (Araranguá, Chapecó, Criciúma e Joaçaba), do Estado do Rio Grande do Sul (Carazinho e Ijuí) e da Polícia Rodoviária Federal – disse o delegado Ronaldo Moretto.

Segundo o Delegado Ronaldo Moretto com esta investigação houve uma diminuição das ocorrências de roubos/furtos de caminhões, carretas e cargas na região. As investigações continuam.


Por

Comentários