11 jan08:45

Santa Catarina deve começar a exportar carne suína in natura para EUA ainda este ano

Os frigoríficos catarinenses conquistaram mais um mercado poderoso com a carne suína. O Estado deve começar a exportar o produto “in natura” para os Estados Unidos ainda neste semestre.

O governador Raimundo Colombo recebeu a confirmação da negociação do ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, nesta terça-feira. O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) também comunicou o reconhecimento do serviço de inspeção de carne suína do Brasil.


Santa Catarina exporta cerca de 250 mil toneladas de carne suína por ano.


Santa Catarina é o único Estado no país com permissão para exportar carne fresca por ser livre de febre aftosa sem vacinação — uma exigência dos principais mercados consumidores. Os demais só podem vender carne termicamente processada.

— Essa é uma política de Estado e que todos os catarinenses da área merecem aplausos, pois mantemos uma segurança e fiscalização muito grande para continuarmos com este título, que é de vital importância para o desenvolvimento do agronegócio — ressalta o governador Raimundo Colombo.

As exportações devem começar após a habilitação dos estabelecimentos comerciais e a realização de missões empresariais. A expectativa do Governo é vender 40 mil toneladas/ano a partir de 2012.


Novos mercado

Santa Catarina exporta cerca de 250 mil toneladas de carne suína por ano. Para prospectar novos mercados, o Estado vem realizando missões técnicas, como a recente viagem à Ásia.

Em outubro de 2011, o governador manteve contato com os ministérios da Agricultura do Japão e da Coreia do Sul para negociar a autorização de exportação da carne suína catarinense.

— Projetamos exportar cerca de 400 mil toneladas de carne suína ao Japão — afirma o presidente da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), Enori Barbieri. A expectativa é conquistar 30% do mercado japonês, que é o maior e que melhor paga.

O Estado estima conquistar US$ 100 milhões com as negociações com a Coreia do Sul, terceiro país que mais importa carne suína, exportando 40 mil toneladas anualmente.


DIÁRIO CATARINENSE

Por

Comentários