17 jan10:26

SDR Seara e Epagri promovem reunião sobre estiagem

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Regional (SDR) Seara promoveu na tarde desta segunda-feira, reunião técnica para discutir sobre a estiagem, orientações e procedimentos do Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro). A realização do encontro contou com a colaboração da Epagri, Cidasc, Banco do Brasil e agências credenciadas.

Secretários de agricultura e técnicos da Epagri dos municípios de Lindóia do Sul, Paial, Ipumirim, Seara, Concórdia, Peritiba, Ipira, Irani, Arvoredo, Arabutã, Itá e Xavantina participaram do encontro.

O secretário Regional de Seara, Edemilson Canale, afirmou que discussões sobre a situação da estiagem fazem-se necessárias para garantir o esclarecimento de questões pertinentes, orientações e procedimentos relativos ao Proagro, uniformizando a linguagem e linha de conduta entre os poderes representados no evento, a fim de que todos possam melhor direcionar suas ações.

De acordo com o técnico da Epagri Chapecó, Ivan Carlos Chiapinotto, o Proagro tem como objetivo exonerar o produtor rural de obrigações financeiras em operações de crédito cuja liquidação seja dificultada pela ocorrência de fenômenos naturais, pragas e doenças. – Dentro do Proagro existe o ‘Proagro Mais’. Este abrange os produtores do Pronaf, destinado a agricultura familiar – explica.

De acordo com ele, devem acionar o Proagro produtores que registraram perdas maiores que 30% por evento (da renda) amparado pelo programa.

O gerente de Mercado do Banco do Brasil, Marcelo Santos do Canto, salientou que para acionar o Proagro não há necessidade de que o município encontre-se em situação de emergência.

- É preciso que as prefeituras, Cidasc e agentes técnicos levem informações corretas aos produtores. Esta parceria entre os agentes financeiros, Epagri e Cidasc mantendo um diálogo aberto, torna-se fundamental para diminuir os transtornos e agilizar os processos junto às instituições – disse Marcelo.

Para comprovar as perdas são necessárias fotos da lavoura; em caso de áreas maiores que um hectare, GPS – área e localização da lavoura; áreas menores que um hectare estimativa de produtividade e redução de área; e comprovação de compra de insumos.

O Programa de Garantia de Atividade Agropecuária não cobre incêndios de lavoura; erosão; plantio fora de época; falta de controle da praga e doenças; deficiências nutricionais; lavouras conduzidas a mais de três anos na mesma área, sem práticas de conservação e fertilização; tecnológicas inadequadas; e lavouras sem observância de zoneamento.

O diretor de Extensão da Epagri, Dtimar Alfonso Zimatch, acrescentou que uma das preocupações do órgão é estabelecer um canal de comunicação com os municípios em situação de emergência, enviando boletins semanais do CIRAM – Epagri sobre as situações climáticas.

Atualmente 70 municípios são monitorados pelo Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola da Epagri (CEPA) das regiões Oeste e Centro – Oeste, onde praticamente todos registraram perdas na produção.



Por

Comentários