22 jan20:37

Um baleado e dois feridos em briga de torcidas

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Um torcedor da Chapecoense foi baleado de raspão no braço e dois torcedores do Avaí saíram feridos em confrontos entre torcidas ocorridos no início da tarde deste domingo, em Chapecó. Eles foram conduzidos até o Hospital Regional do Oeste, medicados e liberados. De acordo com a Polícia Militar, foram três ocorrências antes da partida. Houve troca de pedradas, pauladas e garrafas quebradas.

Uma casa teve três vidraças quebradas.

Na rua Rui Barbosa um integrante da Torcida Organizada Garra Independente, da Chapecoense, levou um tiro de raspão no braço direito. O jovem, que não quis se identificar, disse que uma pessoa saiu de um bar onde estava concentrada a Torcida Jovem, também da Chapecoense, e deu três disparos para cima e outro que acabou lhe atingindo. Ele não conseguiu identificar o autor dos disparos.

O presidente da Torcida Jovem, Kleber Mello, disse que torcedores da Mancha Azul e das outras torcidas organizadas da Chapecoense, a Raça Verde e a Garra Indedpendente, chegaram na sede do clube jogando pedras e foguetes. -A gente estava fazendo o almoço- informou. Ele reconheceu que já havia um clima de provocação entre as torcidas organizadas da Chapecoense e que até as faixas que eles tinham para levar no estádio foram roubadas. -Recebi um email anônimo dizendo que nossa sede seria invadida- reclamou Mello.

Uma integrante da Garra Independente que estava junto com a torcida Mancha Azul disse que estavam indo comprar carne e pão quando passaram dois integrantes da Torcida Jovem provocando e aí iniciou a confusão.

O delegado da Polícia Civil, Danilo Fernandes, disse que 28 pessoas foram detidas, sendo 24 da torcida do Avaí e quatro da Chapecoense. Da torcida do Avaí quatro eram menores. Os detidos foram encaminhados para a delegacia e depois reencaminhados para equipe da Justiça Presente, no estádio Índio Condá. Lá eles fizeram uma audiência durante o jogo. O Conselho Tutelar acompanhou os menores.

No final da audiência foi proposta uma transação penal. Eles foram enquadrados no artigo 41 do Estatuto do Torcedor e terão ficar de três meses sem frequentar estádios. Nos dias do jogos de seus clubes os torcedores terão que comparecer na delegacia. Se não aceitassem a transação os torcedores reponderiam a inquérito policial, onde o Estatuto do Torcedor prevê penas de reclusão de um a dois anos e multa.


Por

Um Comentário »

  • Tatiana disse:

    Isso SEMPRE acontece com torcida do avaí. Pelo menos não foi bomba.
    A torcida do avaí é sempre violenta, e eu acho que sempre que os jogos aqui forem do avaí, a atenção com eles deveria ser redobrada.

Comentários