27 jan10:57

Caso Marcelino Chiarello

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A Polícia Civil vai solicitar uma nova avaliação do laudo cadavérico da morte do vereador Marcelino Chiarello, ocorrida no dia 28 de novembro. Os delegados Ronaldo Neckel Moretto e Augusto Mello Brandão receberam nesta semana os laudos pericial, cadavérico e do local do crime, encaminhados pelo Instituto Geral de Perícias.

No entanto eles não ficaram satisfeitos com o resultado do exame cadavérico. –Há pontos inconclusivos- disse Brandão.

Ele não quis comentar sobre boatos de o laudo teria apontado suicídio.

–Se foi homicídio ou suicídio só vamos falar no final do inquérito-disse Brandão. Ele afirmou que o caso está sob segredo de justiça.

O delegado Ronaldo Neckel Moretto afirmou que o pedido de segredo de justiça foi solicitado na semana passada “para não prejudicar as investigações”.

>> Secretaria garante agilidade na investigação da morte do vereador de Chapecó.

>> PT acusa Estado de não priorizar caso Chiarello.

Brandão disse que a Polícia quer a opinião de outro médico sobre o exame cadavérico. E que vai aguardar os resultados. O certo é que uma nova prorrogação do inquérito será solicitada. Neste sábado, dia 28, completam dois meses da morte de Chiarello.

No dia da morte a primeira impressão era de suicídio. Mas, posteriormente, os própios delegados consideraram que o suicídio era forjado e começaram a tratar o caso como homicídio.

O atestado de óbito indicou como causa da morte a asfixia, causada pela fita em que o vereador foi encontrado enforcado na janela de casa, e por traumatismo craniano, causada por uma pancada na cabeça.

Brandão disse que, mesmo sem uma posição conclusiva, a Polícia Civil segue as investigações. Na semana passada foram tomados vários depoimentos. –Precisamos esclarecer todos os pontos- concluiu.


Por

6 Comentários »

  • Josiane disse:

    Não é possível que um crime tão evidente seja tratado dessa forma por um Instituto, como ficará a confiança da população? É realmente um descaso com a inteligência humana.

  • RAFAEL disse:

    é nessas horas que ficamos desanimados em viver nesse tal de Brasil. Pouca vergonha isso. Ma vamos lá em outubro teremos eleições novamente. PALHAÇADA…

  • Tobias disse:

    Acho estranho, mas fato tambem é que foi falado muito sem saber nada quando houve a morta, agora esperam que as investigações confirmem o que foi falado.
    Só vão parar com o assunto quando a pericia fizer o laudo dizendo o que o partido politico quer.
    Muitos querendo mostrar o que não existe e outros querendo esconder o que não sabem.

  • carlos disse:

    Apressa nossa e de toda a sociedade é que se faça justiça,mas a pressa de certos partidos políticos é que se confirme o que eles afirmaram e que vão ter que responder num tribunal, acusaram tanta gente,apontaram o dedo em tantas direções, mas nem todo mundo está envolvido,os culpados vão ter que pagar,e os inocentes vão fdazer seus acusadores pagarem.

  • Gilberto Vanin disse:

    Se a polícia quizesse, já teria prendido o mandante do crime! Ou vcs. acham que foi para roubar a pulserinha de ouro do cara o motivo do assassinato?
    Laudos e mais laudos! Que tal chamar o CSI de Las Vegas para ajudar? Só os babacas da polícia não sabem quem foi o mandante! Ou sabem, e mandaram calar a boca? Hummmmm!!! Até a velhinha de Taubaté já sabe!

  • carlos disse:

    Como foi distribuídos em panfletos,levantaram tantas hipóteses que eu não tenho idéia de quem pode ser o culpado,segundo os próprios companheiros,a vítima tinha um leque muito grande de atuação, mas se alguém aqui sabe quem foi o mandante,poderia ir até a polícia,ou melhor,até a imprensa que é doida por notícias e denunciar os culpados,”ou compraram a imprensa também”gostaría muito de saber quem são os bandidos,já ví muita gente dizendo que sabe quem foi,mas na hora de falar sério não aparece ninguém.

Comentários