02 fev00:18

Susto em Chapecó

Oitenta passageiros de um voo da Avianca, que sairia nesta quarta-feira, às 14h15min, do Aeroporto Serafim Enoss Bertaso, em Chapecó, com destino a Florianópolis, levaram um grande susto. Durante o procedimento de decolagem, um dos pneus estourou após entrar em contato com uma pedra.

Segundo testemunhas que não quiseram se identificar, houve um forte estrondo e a aeronove ficou instável. Houve pânico e gritaria entre os passageiros, mas ninguém saiu ferido. A decolagem foi abortada e os passageiros foram levados para dois hotéis da região. Eles foram remanejados para voos durante esta quinta-feira.

A prefeitura, que administra o aeroporto, divulgou na noite de quarta-feira uma nota oficial em que afirma que o incidente “não se deve a problemas relacionados às condições de conservação ou de obstrução da pista de pouso e decolagem”. De acordo com o texto, “o comandante da aeronave adentrou numa área interditada e não homologada, devidamente sinalizada sobre este impedimento, durante manobra preparatória para decolagem, motivo pelo qual ocorreu dano no pneu da referida aeronave”.

A prefeitura informou ainda que “os fatos descritos podem ser comprovados no relatório realizado no local pelo Corpo de Bombeiros e amplo material fotográfico que registraram a invasão da referida área”. Ainda segundo a nota oficial, “todos os documentos estão à disposição dos interessados e serão utilizados para futuros procedimentos legais na apuração do episódio ocorrido”.

A administração do aeroporto reiterou que realiza fiscalização permanente na pista para assegurar a segurança exigida no momento da realização de pousos e decolagens.



Por

Um Comentário »

  • ivanir disse:

    Viajo com frequencia à Florianoplois e São Paulo e os sustos com essas aeronaves são frequentes. Penso que os comandantes ou as pessoas responsaveis deveriam ter mais responsabilidade, ou prestar mais atenção ao que estão fazendo. Cada comandante tem um jeito de pousar a aeronave, e olha que a gente já passou por vários apuros principalmente no aeroporto de chapeco, com a aeronave balançando de um modo incomum por várias ocasioes, sem contar com as batidas violentas que dão na pista de pouso, me parece que muitas vezes até com excesso de velocidade ao aterisar. Fazer o que né, só resta rezar toda vez que se entra no avião, porque de resto não tem nada a ser feito pelos passageiros que precisam usar esse meio de transporte a trabalho.

Comentários