07 fev11:19

Escolinha para garimpar novos talentos

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A fase da Chapecoense é tão boa que até na escolinha do clube, inaugurada em dezembro, há lista de espera. Atualmente são 430 alunos e cerca de 50 esperando vaga. A boa fase do time tem ajudado.

–A cada vitória da Chapecoense há um procura de 10 a 12 crianças- calculou um dos responsáveis pelo projeto, o treinador Júlio César da Silva.

As inscrições são feitas na sede do clube. É cobrada uma mensalidade de R$ 50 mais R$ 30 pelo uniforme. Isso dá direito a entrar no gramado nos dias de jogos. João Pedro Barbosa, de oito anos, e Jascon Sachet, de nove anos, estiveram no jogo contra o Avaí. João entrou com Neném e Jacson com Nicolas.

–Foi legal entrar com os jogadores- disse Jascon, que pretende um dia adentrar ao estádio não como visitante ou torcedor, mas como jogador da Chapecoense.

João Pedro gostou de pisar no gramado. E já tem noção de posicionamento e orientação dos companheiros. Ele também pretende ser jogadro.

Muitos pais acompanham os treinamentos, que são duas vezes por semana. Paulo Ianoski, que tem o filho João Marcos na escolinha, disse que as vitórias da Chapecoense estimulam a participação.

–É um espelho- afirmou. Seu filho foi no jogo contra o Avaí e, contra o Figueirense, ficou ouvindo a partida pelo rádio.

-É uma geração que cresce gostando da Chapecoense- disse o treinador Júlio César, que jogou no clube de 1986 a 1990. Ele afirmou que o projeto é social e atende crianças e adolescentes de sete a 15 anos. Mas também pretende garimpar potenciais jogadores para o time profissional.

Do jeito que está a campanha do time a escolinha terá que aumentar o número de vagas para dar conta da demanda. O certo é que as camisetinhas verdes estão proliferando pela cidade.


Por

Comentários