11 fev08:00

Estiagem deve provocar aumento de 8% na carne de frango

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

A estiagem que desde novembro atinge o Oeste de Santa Catarina deve provocar um acréscimo de 8% no preço da carne de frango. O cálculo é do presidente da Associação Catarinense de Avicultura, Cléver Pirola Ávila. –Fizemos uma estimativa de aumento de custos e chegamos a esse valor- disse o diretor.

O motivo é o aumento do déficit de milho no Estado. Normalmente Santa Catarina já importa cerca de dois milhões de toneladas do cereal. Neste ano deve aumentar em pelo menos 500 mil esse déficit. O produto terá que vir de outras regiões e até de outros países, como o Paraguai.

– Esse custo de transporte será repassado para o produto final – afirmou Ávila.

Para o presidente da Companhia Integrada para o Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), Enori Barbieri, a falta de milho é agravada pela seca no Rio Grande do Sul, que também terá que buscar a matéria-prima em outras regiões do país. Com isso o patamar da saca de 60 quilos, que deveria estar entre R$ 22 a R$ 24, está em torno de R$ 30.

-Esse custo é incompatível com a atividade- disse Barbieri.

Ele informou que o Governo Federal acenou com a possibilidade de disponibilizar milho com preços mais acessíveis ao produtor. Mas espera que isso se confirme. Para o presidente da Cidasc, os governos do Estado de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul precisam desenvolver programas de incentivo à produção de milho para não perderem competitividade de suas agroindústrias.

-Aqui nós podemos substituir áreas de soja por milho- disse Barbieri. Atualmente Santa Catarina tem um programa denominado Troca-Troca, em que o agricultor pega sementes e calcário e paga no ano seguinte, convertendo a dívidas em sacas do produto. Só que isso já não tem sido suficiente para estimular o produtor.

Na avaliação do presidente da Aurora Alimentos, Mário Lanznaster, o preço da carne de frango já recuperou os patamares de final de ano, quando aumenta o consumo para o período de festas. Ele concorda que o aumento no preço do milho está pressionando os custos das agroindústrias.

– O milho está muito caro- disse. O presidente da Aurora disse que já houve um aumento do frango vivo e deve ocorrer um acréscimo também ao consumidor, mas não muito elevado.

Ele acredita que, com a entrada da safrinha (segunda safra) dos estados do Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, em julho ou julho, o frango voltará a um preço normal. Num supermercado de Chapecó, cortes de frango em bandeja oscilam de R$ 6 a R$ 11. O consumidor Jair Girardi disse que gosta dos cortes de peito e coxa. E já prevê que vai gastar mais para manter o consumo. –Vai sobrar pra nós também- afirmou, sobre os efeitos da estiagem.


DADOS DA AVICULTURA

- Santa Catarina disputa com o Paraná a liderança na produção de aves

-O Estado é o maior exportador de aves com faturamento superior a US$ 1 bilhão

- O abate anual é de 700 milhões de aves

-Cerca de 30% da produção é exportada

-São 13 mil avicultores catarinenses, sendo 10 mil integrados às agroindústrias

-A cadeia avícola gera 40 mil empregos diretos e 80 mil indiretos em SC.




Por

Comentários