14 fev20:56

Caso Marcelino Chiarello

Darci Debona| darci.debona@diario.com.br

A ausência de registros de chamadas telefônicas para o celular do vereador Marcelino Chiarello na manhã em que ele foi encontrado morto é um dos pontos mais intrigantes. De acordo com o advogado Sérgio Martins de Quadros, essa questão deverá ser uma das bases para convencer o Procurador Geral da República, Roberto Monteiro Gurgel, a solicitar a federalização do caso para o Superior Tribunal de Justiça.



Sergio Martins de Quadros, advogado.



Quadros lembrou que alunos e professores da escola Pedro Maciel, onde Marcelino deu três aulas antes de ir para casa, afirmaram que ele recebeu várias ligações no celular. Só que não foi encontrado nada no aparelho e nem nos dados encaminhados pela operadora.

>> Passados 76 dias da morte do Vereador de Chapecó dúvidas ainda persistem

As ligações também não aparecem na conta de pessoas que fizeram ligações para o vereador, como um jornalista e assessores do Partido dos Trabalhadores. Nem uma mensagem enviada pela mulher de Chiarello apareceu.

O advogado acredita que alguém pode ter mexido no sistema, já que houve uma pane nos celulares da Câmara de Vereadores de Chapecó, entre a sexta-feira anterior ao crime e a segunda-feira em que Chiarello foi encontrado morto.

O Instituto Geral de Perícias seque analisando o aparelho para ver se consegue dados.


Por

Comentários