07 mar09:16

Quebra-cabeça para não perder a cabeça

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Além de ter o cargo ameaçado após seis jogos sem vitória, o técnico da Chapecoense, Gilberto Pereira, tem um verdadeiro quebra-cabeça para montar o time que enfrenta domingo o Camboriú, fora de casa.

O motivo é que ele não poderá contar com oito jogadores. Três deles foram dispensados na segunda-feira, por baixo rendimento técnico: o lateral Gilberto Matuto, o atacante Tiago Cavalcanti e o meia Marcelinho. Três estão no departamento médico: os volantes Marcos Alexandre e Janderson e o zagueiro Rafael Lima. Dois estão suspensos: o volante Diogo Roque e o zagueiro Souza.

Além disso o volante Wanderson sentiu dores musculares e não participou do treinamento. Por isso o técnico Gilberto Pereira teve que utilizar no treinamento de ontem o lateral William como volante para poder completar o time. Até o zagueiro Dema, que não joga desde a Série C do ano passado, está cotado para voltar neste domingo.

Se está difícil montar o time titular, imagina o banco. Não há volante disponível e a solução será buscar jogadores oriundos da base.


Leandrinho é aguardado

Pelo menos no ataque ele terá mais opções para montar o quebra-cabeça. O atacante Eber, 30 anos, que estava na China, estará à disposição. Outra novidade provável é o meia-atacante Leandrinho. A direção fez um acerto verbal com o jogador, que rescindiu contrato com o Pelotas. Ele deve chegar hoje em Chapecó para assinar contrato. Leandrinho já atuou pelo Brusque e Metropolitano.

O diretor de futebol Cadu Gaúcho disse que o clube está atrás de mais reforços. Mas está difícil encontrar jogadores bons dentro do padrão salarial do clube. Ele afirmou que apesar de aumentar a carência do plantel as dispensas eram necessárias. –Tem coisas que a gente não pode protelar- disse. O técnico Gilberto Pereira afirmou que preferia ter mais jogadores do que diminuir o plantel. Resta a ele encontrar a melhor solução para tentar retomar o caminho das vitórias.



Por

Comentários