16 mar17:36

Entidades pedem que MP aprofunde investigação do Caso Chiarello

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Cerca de 40 pessoas integrantes do Fórum em Defesa da Vida, Justiça e Democracia estiveram nesta sexta-feira no Fórum de Justiça de Chapecó, para entregar ao Ministério Público um documento pedindo o aprofundamento das investigações.

Uma comissão entregou aos promotores de justiça um documento onde aponta contradições nos laudos da morte do vereador. A vereadora Angela Vitória disse que ficou insatisfeita com o resultado dos laudos do Instituto Geral de Perícias.

Ela contestou a hipótese de que os ferimentos na cabeça do vereador e o sangramento tenham sido causados pelo próprio vereador, ao se debater após ter se enforcado. –É um absurdo pois o sangue não teria como subir- argumentou. Ela também contesta o parecer dos médicos do IGP que indicaram que o segundo sulco no pescoço teria sido causado durante o transporte do corpo.

Para ela o vereador foi agredido, amarrado no pescoço no chão e depois pendurado.

Uma das coordenadoras do Fórum que reúne 52 entidades, Deise Paludo, espera que o Ministério Público trate a questão com muita seriedade. Ela disse que o Fórum das entidades está à disposição para contribuir com a questão.

O Ministério Público recebeu nesta semana o inquérito da Polícia Civil, que foi inconclusivo, não indicando se houve homicídio ou suicídio. O Ministério Público instaurou um Procedimento Investigatório Criminal para dar sequência nas investigações.

O subprocurador geral de Justiça para Assuntos Administrativos, José Galvani Alberton, designou os promotores Jackson Goldoni, Cléber Augusto Hanisch e Benhur Poti Betiolo, para auxiliar no processo.

Goldoni disse que os promotores vão analisar o caso e podem solicitar novas perícias. O Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco) deve auxiliar na investigação.



Por

Comentários