27 mar09:00

Estiagem causa quebra de 30 a 40% na piscicultura

Darci Debona | darci.debona@diario.com.br

Até o tradicional peixe da Semana Santa está ameaçado pela estiagem que atinge o Oeste de Santa Catarina. De acordo com o extensionista e pesquisador da Epagri de Chapecó que é responsável pela área de piscicultura, Jorge de Matos Casaca, as perdas oscilam entre 30 e 40% em toda a região. As perdas são maiores nas espécies de carpas.

O Oeste é responsável por 25% da produção estadual de 28,3 mil toneladas. As perdas devem somar entre 2,1 mil e 2,8 mil toneladas. De acordo com Casaca, a falta de chuva diminuiu o nível dos açudes e, pela diminuição do espaço, os peixes não se desenvolveram.

Além da perda de volume cerca de 30% dos 10 mil piscicultores do Oeste nem vão retirar os peixes, para não ficar com o reservatório de água vazio. Com isso vai diminuir a oferta de peixe na Semana Santa.

O engenheiro agrônomo responsável pelos dez pontos de feira dos produtores rurais em Chapecó, Samuel Vasques, disse que a oferta está sendo bem menor. Até agora apenas o ponto da esquina das ruas Uruguai com Nereu Ramos está com disponibilidade, nas quartas-feiras, sextas-feiras e sábados pela manhã. A maioria dos produtores, que iniciava as vendas até um mês antes da Páscoa, agora está guardando a produção somente para Semana Santa. Há casos de produtores que até perderam a produção pois os peixes morreram. O piscicultor Euclides Menegatti ainda está conseguindo atender a feira. Ele estima em 30% a quebra na produção. Ele pretendia vender 15 toneladas e vai conseguir apenas 12 toneladas. – Faltou renovação da água e, com pouco oxigênio, os peixes não se alimentaram direito- explicou Menegatti. O prejuízo é estimado em R$ 18 a 20 mil.

Mesmo assim ele não pretende alterar os preços, que variam de R$ 8,50 para as carpas prateada e húngara e R$ 17 para o filé de tilápia.

O extensionista da Epagri, Jorge Casaca, sugere a adoção de políticas públicas para incentivas a construção de reservatórios, que podem ser utilizados para a piscicultura e ao mesmo tempo guardar água para os períodos de estiagem.

Até o final da tarde desta segunda-feira 112 municípios haviam decretado situação de emergência, devido a estiagem.


Por

Comentários