02 abr10:47

Atração de investimentos é tema do Interleite Sul

O ambiente institucional como fator de atração de investimentos para o setor de lácteos. Esse tema foi objeto de pesquisa do Milkpoint e será apresentado durante o 3o Simpósio Internacional sobre a Produção Competitiva de Leite – Interleite Sul. O evento inicia nesta terça-feira, dia 3, e encerra na quinta-feira, dia5, no Centro de Cultura e Eventos Plínio de Nes, em Chapecó. O simpósio deve reunir mil profissionais do setor, além de produtores, industrializadores e pesquisadores.

A pesquisa inédita será apresentada pelo coordenador geral do Interleite Sul, Marcelo Pereira de Carvalho, engenheiro agrônomo com mestrado em Ciência Animal e Pastagens. Ele é sócio-fundador e diretor-executivo da AgriPoint, que opera os sites MilkPoint, CaféPoint e FarmPoint . Carvalho também integra o Comitê de Política Econômica da Federação Internacional de Lácteos (FIL-IDF) e o Global Dairy Economists Group, grupo que reúne cerca de 20 economistas atuantes no mercado de leite em diversos países.

A rede AgriPoint possui mais de 210 mil pessoas cadastradas de 55 países, já treinou mais de 22 mil pessoas em cursos online e realizou 15 grandes eventos do setor leiteiro, entre eles o Interleite.

Marcelo Carvalho expõe que o Brasil passa por um período de forte crescimento na produção de leite. De uma taxa anual de aumento de 3,18% no período 1990 a 2000, o crescimento aumentou significativamente na década seguinte (4,43% de 2000 a 2010), atraindo investimentos na indústria e na produção. No entanto, de dois anos para cá a valorização do real tirou a competitividade externa novamente e o Brasil voltou a ser deficitário: consome mais leite do que produz e as exportações praticamente minguaram.

O coordenador realça que o Brasil continua tendo um dos mais altos potenciais para expansão da produção de leite no mundo, mas o desenvolvimento traz novos desafios, como a valorização da moeda e a competição com outras alternativas. – É necessário cada vez mais analisar essa nova realidade de forma a criar as condições para que continuemos a crescer como nos 10 anos anteriores. Nossas vantagens naturais não são mais suficientes – é preciso trabalhar a eficiência na produção e a coordenação na cadeia produtiva – destaca.


Programa intenso

Palestras de alto nível compõem a programação. Na terça-feira, as atividades iniciam às 9 horas com debate sobre competitividade dos sistemas de produção do Sul do país, reunindo os executivos Hernani Alves da Silva (Castrolanda), Selvino Giesel (Coopercentral Aurora) e Wagner B. Beskow (CCGL Tecnologia).

No período da tarde, a pauta tratará das tendências para o leite no Sul do país com os seguintes enfoques: mudanças na economia e na agricultura brasileira e seus possíveis impactos na oferta de leite, com Alexandre Mendonça de Barros (MBAgro) e mudanças no perfil do produtor de leite no Brasil: possíveis cenários futuros – revisão do projeto Cenários 2020, com Paulo do Carmo Martins (Embrapa).

Na sequência, será debatido o tema “Integração (verticalização) na produção de leite faz sentido como ferramenta para o aumento da eficiência de empresas do setor leiteiro?”, com palestra de Fábio Ribas Chaddad, da Universidade de Missouri.

Às 16h30, o MilkPoint fará apresentação de pesquisa sobre ambiente institucional como fator de atração de investimentos para o setor. Na sequência, o secretário adjunto de Agricultura de Santa Catarina Airton Spies apresentará um sumário do que foi discutido durante o dia.

Na quarta-feira, dia 4, o Interleite Sul reinicia às 8h30 com o professor Amauri Alfieri, da Universidade Estadual de Londrina, abordando os desafios impostos pelas doenças da reprodução. O professor Mateus Paranhos da Costa, da Unesp Jaboticabal, falará sobre conforto térmico e bem-estar animal como fatores limitantes para a produtividade de rebanhos leiteiros. Flávia Fontes, do Leite Integral/MilkPoint, prelecionará sobre como a criação da bezerra pode impactar sua vida produtiva futura.


Temas atuais

O período da tarde será ocupado com três temas: nutrição de precisão em busca de maior eficiência alimentar, com mínimo impacto ambiental (Alexandre Pedroso, Embrapa), manejo de pastagens tropicais para o Sul do país: desafios, limitações e potenciais (André Fischer Sbrissia, Udesc), e manejo de pastagens de inverno para o Sul do país na busca de maior conversão em leite (Paulo César de Faccio Carvalho, UFRGS).

A etapa final do Interleite Sul será cumprida na manhã de quinta-feira (5 de abril) a partir das 8h30, quando o pesquisador José Luiz Moraes Vasconcelos, da Unesp Botucatu, falará sobre Novidades para o desafio de emprenhar vacas de alta produção em clima quente.

Luiz Gustavo Nussio, docente da Esalq/USP, discorrerá sobre a tomada de decisão na escolha de híbridos para silagem. Marcos Veiga dos Santos, da FMVZ/USP, abordará o estágio atual do conhecimento aplicado sobre vacinas para a mastite bovina.

A programação será entremeada com intervalos (“milk break”) e espaços empresariais para anúncio de produtos e de inovações tecnológicas para o setor lácteo.

O Interleite Sul é uma realização é do MilkPoint e AgriPoint, em parceria com o Núcleo Oeste de Médicos Veterinários. Informações sobre o evento e as inscrições estão disponíveis no site www.interleite.com.br/sul.


Por

Comentários