19 abr10:23

Obras na BR 282 em Lages e Xanxerê seguem a passos lentos

Pablo Gomes e Darci Debona | pablo.gomes@diario.com.br darci.debona@diario.com.br

Ainda que estejam em andamento contínuo desde que iniciaram, há pouco mais de um ano, as obras da BR-282 no perímetro urbano de Lages, na Serra Catarinense, vão atrasar.

Em Xanxerê, as obras de duplicação na mesma rodovia, que estão paralisadas há sete meses, devem ser retomadas até o final do mês. Na Serra, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) admite que os trabalhos não ficarão prontos até dezembro, que era o prazo inicial, e só devem ser concluídos entre junho e julho de 2013.

O supervisor do Dnit em Lages, engenheiro Enio Spieker, diz que 30% das obras já foram executados e mais 20% estão em execução. O atraso de meio ano ocorreu por problemas como o excesso de chuvas em 2011, a necessidade de retirada de uma rede de alta-tensão da Celesc na rótula com a Avenida Duque de Caxias e a descoberta de redes clandestinas de esgoto em alguns pontos das obras.

Outros entrave foi a demora na contratação da empresa responsável por fazer o levantamento de preços dos cerca de cem imóveis que serão atingidos e precisarão ser indenizados. As obras integram a segunda edição do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) do governo federal. O projeto inicial foi elaborado pela prefeitura e cedido ao Dnit, que fez as adequações necessárias e o colocou em prática.

O custo total das obras teve um teto estipulado em R$ 62 milhões, mas não deverá chegar a R$ 58 milhões entre execução, supervisão e desapropriações. O projeto prevê a construção de vias laterais nas duas marginais, entre o aeroporto, no km 215, e a rótula do Bairro São Paulo, no km 221. Prevê, também, a construção de cinco viadutos, todos com passagens para pedestres.

Dois já estão prontos e foram feitos sobre a estrada de ferro ao lado da empresa Klabin Papéis, no km 217,1; um será feito sobre o Rio Ponte Grande, no km 217,6; um no cruzamento com a Avenida Luiz de Camões (Hospital Infantil Seara do Bem), no km 218,3; e outro no entroncamento com a Avenida Duque de Caxias, no km 218,9. Não estão incluídas no projeto, mas serão solicitadas pelo Dnit três passarelas para pedestres ao longo do trecho: uma no Bairro Vila Mariza, no km 216; uma entre os Bairros Gethal e Santa Maria, perto do cruzamento com a Rua Campos Sales, no km 217,8; e outra no acesso ao Bairro Frei Rogério, no km 219,2.

As três passarelas deverão custar algo em torno de R$ 2 milhões e serão feitas quando todas as outras obras estiveram prontas. O objetivo das obras é desafogar o trânsito na BR-282 – que recebe, em média, 10 mil veículos por dia, chegando a dobrar no verão e em alguns feriados -, distribuir o tráfego local, facilitar o acesso dos moradores às suas casas e garantir segurança aos pedestres que cruzam a rodovia.


Xanxerê: nada anda há sete meses na duplicação

As obras de duplicação da BR-282 na travessia urbana de Xanxerê, paralisadas há sete meses, devem ser retomadas até o final do mês. Este é o prazo que o Dnit determinou para que a empresa CBMEI – Construtora Brasileira e Mineradora Ltda – retome os trabalhos. D e acordo com a assessoria do órgão, a não retomada pode implicar advertência, multa e até suspensão do contrato.

As obras no trecho de 14 quilômetros preveem duplicação de 8,1 quilômetros, vias laterais, viaduto, duas passarelas, ciclovia, iluminação e paisagismo. A ordem de serviço foi dada em 24 de julho de 2010, com previsão de conclusão de 720 dias. Os trabalhos ocorreram normalmente até setembro do ano passado, quando a empresa começou a atrasar salários, houve uma greve de 60 funcionários e o Ministério Público do Trabalho ajuizou uma ação contra a empresa.

Na época, a CBMEI reconheceu que a empreiteira passava por dificuldades financeiras, mas que pretendia fazer o acerto e estava no prazo de conclusão da obra. Cerca de 70% da obra foi realizado. Até setembro do ano passado foram investidos R$ 41 milhões, de um total de R$ 58 milhões. Em virtude dos problemas da empreiteira, o Dnit paralisou o contrato em janeiro deste ano. Nesse período, o órgão está revisando o projeto para adequar quantitativos de alguns serviços.

Mesmo com essa revisão, o Dnit informou que a obra pode ser retomada. Além disso, já estão garantidos R$ 20 milhões no orçamento para a conclusão dos serviços. A CBMEI foi procurada por telefone mas não houve retorno da ligação para informar sobre a retomada das obras.


DIÁRIO CATARINENSE

Por

Comentários