21 abr09:45

Secretaria itinerante de combate à estiagem da Defesa Civil em Seara

A Secretaria de Estado da Defesa Civil (SDC), por meio da Diretoria de Resposta aos Desastres, dará continuidade às atividades de atendimento e assistência aos municípios atingidos pela estiagem por meio da secretaria itinerante. A segunda etapa inicia na terça-feira, dia 24 e segue até o dia 26, nas regionais de Xanxerê, Seara, Joaçaba, Concórdia, Campos Novos, Videira e Caçador.

Durante o período, a equipe composta pelo diretor de resposta aos desastres, major Aldo Baptista Neto, o gerente de operações e assistência, capitão Fabiano de Souza, e os coordenadores regionais de Defesa Civil das regiões impactadas estarão nas secretarias de Desenvolvimento Regional (SDRs) para atender, orientar e dar celeridade às ações de enfrentamento à estiagem, que deve se estender até o mês de junho, com chuvas abaixo da média climatológica. A primeira etapa da secretaria itinerante atendeu 62 cidades e a segunda atenderá outros 46.

O diretor Aldo Baptista Neto destaca que a Defesa Civil tem a missão de salvar e guardar a qualidade de vida dos cidadãos com o atendimento de água potável para consumo humano. Nos encontros com os representantes dos municípios impactados, a equipe está alertando sobre a previsão da estiagem que, segundo Epagri/Ciram, deve se estender por mais dois meses.

A Defesa Civil também recebe as demandas de cada cidade, conforme itens disponíveis no plano de ação de R$ 6,8 milhões, aprovado pelo Ministério da Integração, que são: tanques de polietileno de 5 mil e 10 mil litros, água mineral em vasilhame de 5 litros, purificador de água Clorin e caminhões-pipa. O último vai funcionar em um sistema de rodízio administrado pelas SDRs, visto que não há um número suficiente disponível de transportadores de água para atender todas as cidades.

O último relatório da Defesa Civil Estadual registra 129 municípios em Situação de Emergência por estiagem em Santa Catarina. O último a decretar foi Ituporanga. São 695.031 pessoas afetadas e R$ 667.124 milhões de prejuízo na agricultura e pecuária, conforme documentos de avaliação de danos de 123 municípios dos 129 recebidos pelo órgão.


Por

Comentários