24 abr20:10

Seis pessoas foram presas na Operação Bolicho

Juliano Zanotelli | juliano.zanotelli@rbsonline.com.br

A Polícia Federal de Chapecó, com apoio de policiais federais gaúchos e do litoral do estado deflagrou nesta terça-feira a Operação Bolicho. Segundo o delegado da Polícia Federal de Chapecó e responsável pelo caso, Oscar Biffi, a intenção foi coibir o crime de falsificação de dinheiro, estelionato e comércio ilegal de arma de fogo em Santa Catarina. Seis pessoas de uma quadrilha especializada foram presas.

Foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão. Três em Chapecó, no Oeste, três no litoral catarinense e três no Rio Grande do Sul.

A investigação iniciou em novembro de 2011, quando duas pessoas foram presas em Faxinal do Oeste, após usar dinheiro falso para abastecer em um posto de combustível da cidade.

Nas investigações os policiais constataram que além do crime de moeda falsa, a quadrilha praticava outros delitos como a falsificação de documentos, uso de documento falso, estelionato e comércio ilegal de armas de fogo.

O chefe da quadrilha, de 49 anos, e a companheira de 38 anos, foram presos nesta terça-feira, na cidade gaúcha de Pontão. Além de usar documentos falsos eles possuem diversos registros por delitos, como estelionato, falsidade ideológica e uso de cheque clonado.

De acordo com o delegado, eles mudavam constantemente de lugar, principalmente em cidades do norte do Rio Grande do Sul e oeste catarinense. – Os dois se utilizavam de várias identidades falsas e praticaram inúmeros crimes de estelionato em todo o estado de Santa Catarina – disse o delegado.

Com eles, os policiais apreenderam dinheiro falso, várias carteiras de identidade e um revólver. Segundo a Polícia os documentos falsos eram produzidos por outros dois membros da quadrilha, residentes em Camboriú, no litoral catarinense.

Outro membro da quadrilha foi preso em Porto Belo. Com ele foram encontradas cédulas falsas remetidas pelo chefe da quadrilha.

Em Chapecó, foram procedidas buscas em três locais. Uma pessoa foi presa em flagrante com posse irregular de munições calibre 38. Ele foi liberado após o pagamento da fiança e responderá o processo em liberdade.

Os detidos responderão por vários crimes, como os de formação de quadrilha, moeda falsa, posse irregular de arma de fogo, uso de documento falso, falsificação de documentos e falsa identidade.

Na operação a Polícia Federal apreendeu: 41 cédulas falsas, sendo: 23 de R$ 100, 18 de R$ 50; seis cédulas de identidade, uma carteira de motorista e folhas de cheque falsas, um revólver, calibre 32 com seis munições e 10 munições calibre 38.


Por

Comentários